Síndrome mão-pé-boca: o que é, sintomas e tratamento

Revisão médica: Drª. Beatriz Beltrame
Pediatra
julho 2022
  1. Sintomas
  2. Diagnóstico
  3. Transmissão
  4. Tratamento

A síndrome mão-pé-boca é uma doença contagiosa causada pelo vírus Coxsackie, que pode ser transmitido de pessoa para pessoa ou através de alimentos e objetos contaminados. A doença mão-pé-boca é mais comum em crianças com menos de 5 anos, mas também pode acontecer em adultos. 

Os sintomas da síndrome surgem após 3 a 7 dias da infecção e incluem febre superior a 38ºC, dor de garganta e falta de apetite. Após 2 dias do surgimento dos primeiros sintomas, aparecem aftas dolorosas na boca e bolhas dolorosas nas mãos, pés e, por vezes, na região íntima, que podem coçar.

O tratamento da síndrome mão-pé-boca deve ser orientado pelo pediatra ou clínico geral e pode ser feito com remédios para a febre, anti-inflamatórios, remédios para a coceira e pomadas para as aftas, com o objetivo de aliviar os sintomas.

Foto das bolhas da síndrome mão-pé-boca
Foto das bolhas da síndrome mão-pé-boca

Sintomas de mão-pé-boca

Os sintomas mais comuns da síndrome mão-pé-boca são:

  • Febre acima dos 38ºC;
  • Dor de garganta;
  • Muita salivação;
  • Vômito;
  • Mal-estar;
  • Diarreia;
  • Falta de apetite;
  • Dor de cabeça;

Estes sintomas aparecem 3 a 7 dias após a infecção pelo vírus. Depois de mais 2 a 3 dias é comum o surgimento de manchas ou bolhas vermelhas nas mãos e nos pés, assim como aftas na boca, que ajudam no diagnóstico da doença.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da síndrome mão-pé-boca é feito pelo pediatra ou clínico geral por meio da avaliação dos sintomas e das manchas.

Por causa de alguns sintomas, essa síndrome pode ser confundida com algumas doenças, como a herpangina, que é uma doença viral em que o bebê apresenta feridas na boca semelhante às feridas do herpes, ou a escarlatina, em que a criança apresenta manchas vermelhas espalhadas pela pele. Por isso, o médico pode solicitar a realização de exames laboratoriais complementares para fechar o diagnóstico. Entenda mais sobre a herpangina e saiba o que é a escarlatina e principais sintomas. 

Como acontece a transmissão

A transmissão da síndrome mão-pé-boca ocorre através da tosse, espirros, saliva e do contato direto com as bolhas que tenham estourado ou fezes infectadas, principalmente durante os primeiros 7 dias da doença, porém mesmo após a recuperação, o vírus ainda pode ser transmitido através das fezes durante cerca de 4 semanas.

Prevenção da síndrome de mão-pé-boca

Para evitar pegar a doença ou evitar transmiti-la para outras crianças é importante:

  • Não ficar perto de outras crianças doentes;
  • Não partilhar talheres ou objetos que tenham entrado em contato com a boca de crianças com suspeita da síndrome;
  • Lavar as mãos após tossir, espirrar ou sempre que se precisar tocar no rosto.

Além disso, o vírus pode ser transmitido através de objetos ou alimentos contaminados. Por isso, é importante lavar os alimentos antes do consumo, trocar a fralda do bebê com luva e depois lavar as mãos e lavar bem as mãos após usar o banheiro. Veja quando e como lavar as mãos corretamente. 

Como é feito o tratamento

O tratamento da síndrome mão-pé-boca deve ser orientado pelo pediatra ou clínico geral e pode ser feio com remédios para a febre, como o Paracetamol, anti-inflamatórios, como o Ibuprofeno, remédios para a coceira, como anti-histamínicos, gel para as aftas,  ou lidocaína, por exemplo.

O tratamento dura cerca de 7 dias e é importante que a criança não vá à escola ou à creche durante este período para não contaminar outras crianças. Confira mais detalhes do tratamento da síndrome mão-pé-boca.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em julho de 2022. Revisão médica por Drª. Beatriz Beltrame - Pediatra, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • CDC. Hand, Foot, and Mouth Disease. Disponível em: <https://www.cdc.gov/features/handfootmouthdisease/index.html>. Acesso em 19 jun 2019
  • AMERICAN ACADEMY OF PEDIATRICS. Infectious Diseases Curriculum: Hand-Foot-and-Mouth Disease. 2009. Disponível em: <https://www.aap.org/en-us/advocacy-and-policy/aap-health-initiatives/healthy-child-care/Documents/M3_HandFoot.pdf>. Acesso em 19 jun 2019
Mostrar bibliografia completa
  • NHS. Hand, foot and mouth disease. Disponível em: <https://www.nhs.uk/conditions/hand-foot-mouth-disease/>. Acesso em 19 jun 2019
Revisão médica:
Drª. Beatriz Beltrame
Pediatra
Formada pela Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná, em 1993 com registro profissional no CRM PR - 14218.