Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

O que é síndrome de Marfan, sintomas e tratamento

A Síndrome de Marfan é uma doença genética que afeta o tecido conjuntivo, que é responsável pela sustentação e elasticidade de vários órgãos do corpo. As pessoas com esta síndrome tendem a ser muito altas, magras e possuem os dedos das mãos e dos pés extremamente longos e também podem apresentar alterações no coração, olhos, ossos e pulmão.

Esta síndrome ocorre devido a um defeito hereditário no gene da fibrilina-1, que é o principal componente dos ligamentos, paredes das artérias e articulações, fazendo com que algumas partes e órgãos do corpo fiquem frágeis. O diagnóstico é feito por um clínico geral ou pediatra através do histórico de saúde da pessoa, exames de sangue e de imagem e o tratamento consiste no suporte das sequelas causadas pela síndrome.

O que é síndrome de Marfan, sintomas e tratamento

Principais sintomas

A síndrome de Marfan é uma doença genética que provoca alterações em vários sistemas do corpo, levando a sinais e sintomas que podem surgir no nascimento ou até mesmo ao longo da vida, sendo que gravidade varia de uma pessoa para outra. Estes sinais podem aparecer nos seguintes locais:

  • Coração: as principais consequências da síndrome de Marfan são as alterações cardíacas, levando à perda de sustentação na parede das artérias, podendo ocasionar o aneurisma de aorta, dilatação ventricular e prolapso da válvula mitral;
  • Ossos: esta síndrome faz com que os ossos cresçam excessivamente e pode ser observado através do aumento exagerado da altura de uma pessoa e pelos braços, dedos das mãos e dos pés muito longos. Também pode estar presente o peito escavado, também chamado de pectus excavatum, que é quando forma-se uma depressão no centro do tórax;
  • Olhos: é comum que pessoas que tenham essa síndrome apresentem deslocamento de retina, glaucoma, catarata, miopia e podem ficar com a parte branca do olho com coloração mais azulada;
  • Coluna vertebral: as manifestações desta síndrome pode ser visíveis em problemas na coluna como a escoliose, que é o desvio da coluna para o lado direito ou esquerdo. Também pode-se observar o aumento do saco dural na região lombar, que é a membrana que recobre a região da coluna.

Outros sinais que podem surgir por causa desta síndrome é a frouxidão dos ligamentos, deformidades no palato, conhecido como céu da boca, e pé chato, que é caracterizado por pés longos, sem a curvatura da sola. Veja mais o que é pé chato e como é feito o tratamento.

Causas da síndrome de Marfan

A síndrome de Marfan é causada por um defeito no gene chamado fibrilina-1 ou FBN1, que tem função de garantir sustentação e formar as fibras elásticas de vários órgãos do corpo, como ossos, coração, olhos e coluna vertebral.

Na maioria dos casos, esse defeito é hereditário, isto significa que é transmitido do pai ou da mãe para o filho e pode acontecer tanto em mulheres quanto em homens. Entretanto, em alguns casos mais raros, este defeito no gene pode acontecer por acaso e sem razão conhecida.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da síndrome de Marfan é feito por um clínico geral ou pediatra com base na história familiar e nas alterações físicas da pessoa, sendo que podem ser solicitados exames de imagem, como a ecocardiografia e eletrocardiograma, para detectar possíveis problemas no coração, como a dissecção da aorta. Saiba mais o que é dissecção da aorta e como identificar.

Também é indicado fazer raio X, tomografia computadorizada ou ressonância magnética para verificar se existem alterações em outros órgãos e exames de sangue, como os testes genéticos, que são capazes de detectar as mutações do gene responsável pelo aparecimento desta síndrome. Após sair os resultados dos testes, o médico fará um aconselhamento genético, em que serão dadas recomendações sobre a genética da família.

Opções de tratamento

O tratamento da síndrome de Marfan não tem como objetivo a cura da doença, mas ajuda a reduzir os sintomas de modo a melhorar a qualidade de vida das pessoas com esta síndrome e tem como objetivo ajudar a minimizar as deformidades da coluna, melhorar o movimentos das articulações e reduzir a possibilidade de luxações.

Por isso, os pacientes com síndrome de Marfan devem fazer exames regulares do coração e vasos sanguíneos, e tomar medicamentos como betabloqueadores, para prevenir lesões no sistema cardiovascular. Além disso, pode ser necessário tratamento cirúrgico para corrigir lesões na artéria aorta, por exemplo.

Esta informação foi útil?

Sua opinião é importante! Escreva aqui como podemos melhorar o nosso texto:

Ficou alguma dúvida? Clique aqui para ser respondido.
Verifique o email de confirmação que lhe enviamos.

Bibliografia

  • BITTERMAN, Adam D.; SPONSELLER, Paul D. Marfan Syndrome: A Clinical Update. Journal of the American Academy of Orthopaedic Surgeons. Vol.25, n.9. 603-609, 2017
  • CLEVELAND CLINIC. Marfan Syndrome. Disponível em: <https://my.clevelandclinic.org/health/diseases/17209-marfan-syndrome>. Acesso em 26 Dez 2019
  • MARFAN FOUNDATION. What is marfan syndrome?. Disponível em: <https://www.marfan.org/about/marfan>. Acesso em 26 Dez 2019
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Enviar Mensagem