Sinal de Babinski: o que é, para que serve, causas e tratamento

Atualizado em setembro 2023

Sinal de Babinski é um reflexo que ocorre ao estimular a pele da planta do pé, da lateral externa do calcanhar em direção ao dedão do pé, para avaliar as fibras nervosas presentes entre o córtex cerebral e medula espinhal.

Geralmente, esse sinal é avaliado em consultas com o neurologista, sendo considerado um reflexo normal quando a pessoa encolhe os dedos dos pés, e positivo quando estica o dedão para trás e os outros dedos do pé se abrem como se fosse um leque. 

O sinal de Babinski, ou reflexo de Babinski, é positivo durante os primeiros dois anos de vida do bebê, devido a imaturidade do sistema neurológico. Porém, quando é positivo em adultos, é indicativo de danos neurológicos como AVC, poliomielite ou meningite, por exemplo.

Imagem ilustrativa número 1

Para que serve

O sinal de Babinski serve para avaliar a integridade de fibras nervosas presentes entre o córtex cerebral e medula espinhal, o que auxilia no diagnóstico de doenças neurológicas.

A avaliação do sinal de Babinski faz parte do exame neurológico em consultas de rotina ou quando a pessoa apresenta sintomas de doenças neurológicas, como dor de cabeça ou dor no pescoço, paralisia ou rigidez em alguma parte do corpo, convulsões ou tremores, por exemplo. 

Se apresenta sintomas de problemas neurológicos, marque uma consulta com um neurologista na região mais próxima:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Neurologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Como é feito

O exame que avalia o reflexo de Babinski é feito pelo neurologista no consultório ou no hospital, estimulando a sola do pé com um objeto pontiagudo.

Esse estímulo inicia-se na lateral externa do calcanhar e segue em direção ao dedão do pé.

Assim, de acordo com o movimento dos dedos do pé, como flexão plantar ou extensão dorsal, o médico identifica se o sinal de Babinski é normal ou positivo.

Como entender o resultado

O resultado do sinal de Babinski pode ser normal, positivo ou ausente:

1. Exame normal 

Em crianças com mais de 2 anos, adolescentes ou adultos, o o exame é considerado normal quando ocorre flexão plantar dos dedos do pé ao receber o estímulo.

Essa flexão plantar é caracterizada por a pessoa dobrar ou encolher os dedos para dentro.

2. Sinal de Babinski positivo

O sinal de Babinski é considerado positivo quando a pessoa realiza um movimento de extensão do dedão do pé, ou seja, estica o dedão do pé para trás e os outros dedos se abrem como se fosse um leque ao receber o estímulo.

Esse sinal positivo é considerado normal em bebês até 2 anos de idade, devido a imaturidade do sistema nervoso, e geralmente desaparece por volta dos 12 aos 18 meses de vida.

No entanto, em crianças com mais de 2 anos, adolescentes ou adultos, o sinal de Babinski positivo é indicativo de danos neurológicos, e em casos mais graves, pode ser acompanhado da flexão do joelho ou quadril.

Nesses casos, o neurologista deve solicitar exames adicionais, como ressonância magnética, eletroencefalograma, eletromiografia, por exemplo, para identificar a causa do dano neurológico.

3. Sinal de Babinski ausente

Em algumas pessoas, o sinal de Babinski pode ser ausente, ou seja, não ocorre flexão ou extensão dos dedos do pé ao receber o estímulo.

Nesses casos, o médico pode realizar outras variações do sinal de Babinski para provocar a flexão dos dedos, como o sinal de Chaddock, estimulando o maléolo lateral no tornozelo, ou o sinal de Gordon estimulando a panturrilha.

Além disso, também podem ser realizados outros exames, como o sinal de Oppenheim, aplicando pressão no lado medial da tíbia, na canela, ou sinal de Throckmorton, estimulando a articulação do dedão do pé.

Possíveis causas do sinal de Babinski positivo

O sinal de Babinski positivo em crianças com mais de 2 anos, adolescentes ou adultos, pode ser causado por:

  • Meningite;
  • Poliomielite;
  • AVC;
  • Raiva;
  • Lesão ou tumor no cérebro ou na medula espinhal;
  • Infecções virais no cérebro;
  • Paralisia cerebral.

Além disso, o sinal de Babinski também pode ser positivo no caso de doenças neurodegenerativas, como esclerose múltipla, esclerose lateral amiotrófica, doença de Parkinson ou Alzheimer, por exemplo.

Como é feito o tratamento

O tratamento para o sinal de Babinski positivo é feito pelo neurologista e varia de acordo com a condição neurológica diagnosticada através dos exames complementares.

No caso de infecções, como a meningite, por exemplo, o tratamento pode ser feito com o uso de antibióticos ou antivirais, o que varia com o tipo de microrganismo responsável pela infecção. Veja como é feito o tratamento da meningite.

Já para doenças neurodegenerativas, o tratamento geralmente envolve o uso de remédios para aliviar os sintomas, fisioterapia ou terapia ocupacional, de forma a melhorar a qualidade de vida.