Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Cancro duro: o que é, sintomas e tratamento

O cancro duro é uma pequena lesão que pode aparecer na região genital ou anal que é indicativo que infecção pela bactéria Treponema pallidum, que é o microrganismo responsável pela sífilis.

O aparecimento do cancro duro corresponde à primeira fase da doença, que recebe o nome de sífilis primária, e muitas vezes passa despercebido, por não causa dor ou desconforto e muitas vezes está localizada no ânus ou na vagina, não conseguindo ser visualizado.

O cancro duro é uma lesão muito infectante, pois possui grande quantidade de bactéria no local e, por isso, a relação sexual desprotegida favorece a transmissão dessa bactéria. Por isso, é importante que seja identificado e tratado, pois assim é possível evitar a transmissão para outra pessoa e a proliferação da bactéria e espalhamento pelo organismo, dando origem às formas mais graves da doença.

Cancro duro: o que é, sintomas e tratamento

Principais sintomas

O cancro duro normalmente aparece cerca de 10 a 20 dias após o contato com a bactéria, que acontece através de relação sexual anal, oral ou com penetração sem camisinha. Assim, o cancro duro pode aparecer na boca, no ânus, no pênis ou na vagina de acordo com a forma em que houve o contágio e pode ser identificado através das seguintes características:

  • Pequeno caroço rosado que pode evoluir para úlcera;
  • Bordas elevadas e endurecidas;
  • Centro da lesão mais claro;
  • Pode estar coberto por secreção transparente;
  • O caroço não dói, coça ou causa desconforto.

Nos homens o cancro duro pode ser identificado mais facilmente, pois na maioria das vezes aparece no pênis, no entanto no caso das mulheres a identificação do cancro duro é mais difícil, pois costuma aparecer nos pequenos lábios e na parede da vagina.

Além disso, a identificação do cancro duro é dificultada pelo fato de desaparecer naturalmente após 4 a 5 semanas, sem deixar cicatrizes ou levar ao aparecimento de outros sinais ou sintomas. No entanto, o desaparecimento do cancro duro não é sinal de cura da doença, mas sim de que a bactéria está se espalhando pelo organismo e que pode levar ao aparecimento de outros sintomas à medida que desenvolve-se. Conheça mais sobre a sífilis.

Como confirmar o diagnóstico

Pelo fato de não doer ou causar desconforto, o cancro duro é na maioria das vezes identificado durante exames ginecológicos ou urológicos de rotina, em que durante o exame físico o médico identifica a presença de um pequeno caroço rosado ou de úlcera vermelha na região genital.

Para confirmar que se trata do cancro duro, o médico pode realizar uma raspagem da ferida para avaliar a presença da bactéria no local ou solicitar a realização do exame para sífilis, que é conhecido como VDRL, que indica se há ou não infecção por Treponema pallidum e em que concentração a bactéria está presente no organismo. Entenda como é feito o VDRL e como entender o resultado.

Como é feito o tratamento

O tratamento para o cancro duro é feito com injeções de Penicilina, cuja dose e duração deve ser recomendado pelo médico de acordo com o resultado dos exames. É importante que durante e após o tratamento a pessoa realize o exame para sífilis para que se saiba se o tratamento está sendo eficaz. Veja mais detalhes sobre o tratamento para sífilis

Como prevenir

Para prevenir o aparecimento do cancro duro é preciso diminuir o risco de contato com a bactéria Treponema pallidum e, para isso, é importante que seja utilizado preservativo durantes as relações sexuais, mesmo que não exista penetração. Isso porque o cancro duro é altamente contagioso e, assim, a bactéria pode ser facilmente transmitida de uma pessoa para outra.

Confira no vídeo a seguir mais informações sobre a sífilis:

Bibliografia >

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Sífilis. Disponível em: <http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/o-que-sao-ist/sifilis>. Acesso em 18 Fev 2020
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Sífilis: o que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção. Disponível em: <https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/sifilis>. Acesso em 18 Fev 2020
  • BARER, Michael R et al. Medical Microbiology: A guide to microbial infections - pathogenesis, immunity, laboratory investigation and control. 19 ed. Elsevier, 2018. 318-319.
  • MAHON, Connie R.; LEHMAN, Donald C. Textbook of Diagnostic Microbiology. 6 ed. St- Louis, Missouri: Elsevier, 2019. 524-525.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem