Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Sintomas de sífilis terciária, diagnóstico e como tratar

A sífilis terciária, também conhecida como sífilis tardia, corresponde à última fase da infecção pela bactéria Treponema pallidum, em que a bactéria não foi identificada ou combatida corretamente nas primeiras fases da infecção, permanecendo e multiplicando-se na corrente sanguínea, sendo então possível a sua disseminação para outros órgãos.

Assim, os sintomas da sífilis terciária surgem anos após o aparecimento dos primeiros sinais e sintomas de sífilis, e estão relacionados com a inflamação progressiva causada pela presença da bactéria, resultando em comprometimento de vários órgãos e no aparecimento de vários sinais e sintomas dessa fase da infecção.

É importante que a sífilis terciária seja identificada e tratada de acordo com a recomendação do médico, pois assim é possível evitar não só a transmissão para outras pessoas, mas também promover a eliminação da bactéria e redução dos sintomas, havendo melhora da qualidade de vida.

Sintomas de sífilis terciária, diagnóstico e como tratar

Sintomas de sífilis terciária

Os sintomas de sífilis terciária podem surgir 2 a 40 anos após o aparecimento dos primeiros sintomas de sífilis primária e estão principalmente relacionados com o espalhamento da bactéria pela corrente sanguínea e multiplicação em outros órgãos. De forma geral, os principais sinais e sintomas relacionados com a sífilis terciária são:

  • Surgimento de lesões ulceradas na pele, podendo também atingir os ossos;
  • Neurosífilis, em que a bactéria atinge o cérebro ou a medula espinhal;
  • Meningite;
  • Convulsões;
  • Alterações cardíacas devido à proliferação da bactéria no coração e vasos sanguíneos;
  • Perda auditiva;
  • Cegueira;
  • Náuseas e vômitos frequentes;
  • Confusão mental e perda de memória.

Os sintomas de sífilis terciária surgem de forma progressiva devido à inflamação causada pela presença persistente da bactéria no organismo, o que leva à disfunção de vários órgão e pode resultar em óbito caso não seja identificada e tratada. Dessa forma, assim que for verificada a presença de algum sinal ou sintomas indicativo de sífilis terciária é importante ir ao infectologista ou clínco geral para que seja feita a avaliação, confirmado o diagnóstico e iniciado o tratamento.

Como é feito o diagnóstico

A sífilis terciária é na maioria das vezes identificada após o aparecimento dos sinais e sintomas desses estágio da doença, devendo a pessoa ir ao infectologista ou clínico geral para que sejam feitos exames e seja confirmada a infecção.

Dentre os exames indicados para identificar a infecção pelo Treponema pallidum está o exame VDRL em que é verificado o nível de anticorpos contra a bactéria circulantes no sangue, sendo assim possível determinar a gravidade da infecção. Entenda como é feito o exame VDRL.

Tratamento para sífilis terciária

O tratamento para sífilis terciária é feito com o objetivo de diminuir a quantidade e promover a eliminação da bactéria responsável pela doença, evitando que continue a proliferar e se espalhar para outros órgãos. Assim, é indicado pelo médico pelo menos 3 injeções de penicilina, com intervalo de 7 dias entre as doses, bem como o uso de outros antibióticos, como Doxiciclina e/ou Tetraciclina, em alguns casos. Veja mais detalhes sobre o tratamento para síflis.

No entanto, como na sífilis terciária são identificados sintomas mais graves, o médico pode indicar outros tratamento com o objetivo de tratar as complicações, promovendo a qualidade de vida da pessoa.

É importante que a pessoa realize regularmente o exame VDRL para que seja verificado se o tratamento realizado está sendo efetivo, pois caso contrário poderá ser feitos ajustes na dose do medicamento.

Confira mais informações sobre a sífilis no vídeo a seguir:

Bibliografia >

  • CDC. 2015 Sexually Transmitted Diseases Treatment Guidelines: Syphilis. Disponível em: <https://www.cdc.gov/std/tg2015/syphilis.htm>. Acesso em 30 Jun 2020
  • Ministério da Saúde. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT): Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). 2.ed. Brasília: 2015. 97-98.
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Sífilis. Disponível em: <http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/o-que-sao-ist/sifilis>. Acesso em 30 Jun 2020
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Sífilis: o que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção. Disponível em: <https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/sifilis>. Acesso em 30 Jun 2020
  • BARER, Michael R et al. Medical Microbiology: A guide to microbial infections - pathogenesis, immunity, laboratory investigation and control. 19 ed. Elsevier, 2018. 318-319.
  • MAHON, Connie R.; LEHMAN, Donald C. Textbook of Diagnostic Microbiology. 6 ed. St- Louis, Missouri: Elsevier, 2019. 524-525.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem