Saião: para que serve e como fazer o chá

fevereiro 2022

O saião, também conhecido como coirama, folha-da-fortuna, folha-da-costa ou orelha-de-monge, é uma planta medicinal rica em flavonóides, taninos, esteróis e compostos fenólicos, que têm propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e cicatrizantes, sendo, por isso, muito utilizado na medicina tradicional para o tratamento de gastrite, dor de estômago ou feridas na pele.

O nome científico do saião é Kalanchoe brasiliensis Cambess, e a parte normalmente utilizada dessa planta são as folhas, geralmente para o preparo do chá, embora também possam ser usadas para preparar sucos ou pastas para aplicar sobre a pele.

O saião pode ser encontrado em ervanários, lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação, mercados e algumas feiras livres. No entanto, embora tenha muitos benefícios, esta planta medicinal não substitui o tratamento médico convencional e deve ser usada com orientação do médico ou de um fitoterapeuta. 

Para que serve

O saião apresenta muitos benefícios para a saúde, sendo que as principais são:

1. Combater problemas gastrointestinais

O saião possui propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e antiulcerosas, muito úteis para ajudar a combater problemas gastrointestinais, sendo muito útil para auxiliar no tratamento de gastrite, úlcera péptica, dor de estômago ou má digestão.

Além disso, um estudo [1] feito com células em laboratório, mostrou que devido às substâncias antioxidantes e antibacterianas na sua composição, como os flavonóis e as flavonas, o saião pode ajudar a eliminar a bactéria Salmonella responsável por causar gastroenterite.

2. Reduzir a retenção de líquidos

O saião pode ser usado para ajudar a reduzir a retenção de líquidos, diminuindo o inchaço em todo o corpo devido suas propriedades diuréticas, sendo muito útil especialmente em casos de inchaço nas pernas.

3. Combater problemas respiratórios

Devido às suas propriedades anti-inflamatórias, o saião pode ser usado para auxiliar no tratamento de infecções pulmonares, ajudando a combater problemas respiratórios, como bronquite, asma ou tosse.

4. Melhorar problemas de pele

O saião possui ação cicatrizante, anti-inflamatória e emoliente, podendo ser utilizado sobre a pele para acelerar a cicatrização de feridas e outros problemas como erisipela, queimaduras, furúnculos, dermatite, frieiras ou picadas de inseto. Além disso, o saião também pode ser usado em calos ou verrugas.

5. Auxiliar no combate ao câncer

Um estudo [2] feito em ratos com sarcoma, um tipo de câncer raro, que pode afetar a pele, ossos, órgãos internos ou tecidos moles, mostrou que o saião possui substâncias ativas que podem ajudar a diminuir a proliferação de células desse tipo de câncer. No entanto, ainda são necessários estudos em humanos que comprovem esse benefício.

Como usar

A parte mais utilizada do saião é sua folha, que é utilizada na preparação de chás, sucos ou pasta para aplicar na pele.

1. Chá de saião

O chá de saião pode ser usado para auxiliar no tratamento da gastrite, úlcera péptica, dor de estômago, gastrite ou má digestão. Além disso, pode ser usado para reduzir o inchaço nas pernas devido ao seu efeito diurético.

Ingredientes

  • 3 colheres (de sopa) de folhas picadas de saião;
  • 250 mL de água fervente.

Modo de preparo

Colocar as folhas picadas do saião na água fervente e deixar repousar por cerca de 5 minutos. Em seguida, coar e beber pelo menos 2 xícaras por dia.

2. Suco de saião com leite

O suco de saião com leite pode ajudar a acalmar a tosse e a melhorar a cicatrização do estômago, nos casos de gastrite ou úlcera péptica.

Ingredientes

  • 1 a 2 folhas de saião;
  • 1 xícara de chá de leite. 

Modo de preparo

Bater os ingredientes no liquidificador, coar e beber 2 vezes por dia.

3. Pasta de saião

A pasta de saião pode ser usada para auxiliar no tratamento de problemas de pele, como dermatite, furúnculo, erisipela, queimaduras, furúnculos, dermatite, frieira, verrugas, calos ou picadas de inseto.

Além disso, essa pasta pode ser usada em feridas na pele, desde que não sejam feridas abertas, com pus ou que estejam sangrando.

Ingredientes

  • 3 folhas frescas de saião.

Modo de preparo

Colocar as folhas do saião em um recipiente de vidro limpo e seco e amassá-las com um pilão, por exemplo, até que fiquem com uma consistência de pasta. Em seguida, colocar a pasta de saião em uma gaze e aplicar no local da pele afetado, por cerca de 15 minutos, 2 vezes por dia. 

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais do saião ainda não são conhecidos, por isso, o seu uso deve ser feito somente com orientação médica ou de um profissional de saúde com experiência em plantas medicinais.

Quem não deve usar

O saião não deve ser usado por crianças, mulheres grávidas, lactantes ou por pessoas que tenham alergia ao saião.

Além disso, essa planta não deve ser usada por pessoas que tenham o sistema imunológico enfraquecido ou com problemas cardíacos.

O saião também não deve ser usado por pessoas que usam remédios barbitúricos, como fenobarbital ou secobarbital, glicosídeos cardíacos, como digoxina ou digitoxina, ou remédios imunossupressores.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em fevereiro de 2022.

Bibliografia

  • MACHADO, M. C. F. P.; MELO-JÚNIOR, M. R. Avaliação do efeito antitumoral da Kalanchoe brasiliensis sobre o sarcoma 180 em camundongos. Revista Eletrônica de Farmácia. 6. 1; 1-6, 2009
  • MAYORGA, O. A. S.; et al. Kalanchoe brasiliensis Cambess., a Promising Natural Source of Antioxidant and Antibiotic Agents against Multidrug-Resistant Pathogens for the Treatment of Salmonella Gastroenteritis. Oxidative Medicine and Cellular Longevity. 1-16, 2019
Mostrar bibliografia completa
  • DA SILVA, J. G.; et al. Atividade inibitória das folhas e caule de Kalanchoe brasiliensis Cambess frente a microrganismos com diferentes perfis de resistência a antibióticos. Rev. bras. farmacogn. 19. 3; 790-794, 2009
  • MAYORGA, Oscar Alejandro Santos. Perfil químico e poteniais antioxidante, antibacteriano e anti-inflamatório de extratos hidroalcoólicos das folhas de Kalanchoe brasiliensis Cambess, (Crassulaceae). Dissertação de Mestrado em Ciências Farmacêuticas, 2017. Universidade Federal de Juiz de Fora.
  • ARAÚJO, Edilane Rodrigues Dantas de. Kalanchoe brasiliensis Cambess e Kalanchoe pinnata (Lamarck) Persoon: caracterização química, avaliação gastroprotetora e anti-inflamatória tópica. Dissertação de Mestrado em Ciências Farmacêuticas, 2017. Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.
  • SILVA, Jackeline Gomes da. Avaliação do potencial farmacológico de Kalanchoe brasiliensis Cambess. Dissertação de Mestrado em Ciências Farmacêuticas,, 2007. Universidade Federal de Pernambuco, Recife.
  • FERNANDES, N.; VEIGA, V. Kalanchoe brasiliensis Camb. and Kalanchoe pinnata (Lamk.) Pers.: Brazil. In: Medicinal and Aromatic Plants of South America. Springer Nature B.V, 2018. 265-273.
  • COSTA, S. S.; et al. Therapeutic Potential of Kalanchoe Species: Flavonoids and other Secondary Metabolites . Natural Product Communications. 3. 12; 2151 - 2164, 2008
  • DE ARAÚJO, Diego Cristiano Soares. Potencial Farmacológico de plantas do gênero Kalanchoe spp.: revisão literária. TCC - Curso de Graduação em Farmácia da Universidade Cesumar– UNICESUMAR, 2020. UNICESUMAR.
  • GRANDI, Telma Sueli Mesquita. Tratado das Plantas Medicinais: mineiras, nativas e cultivadas. 1ed. Minas Gerais: Adaequatio Estudio, 2014. 1026-1027.
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.