Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Para que serve a Ressonância magnética e como é feita

A Ressonância magnética (RM), também conhecida por Ressonância magnética nuclear (RMN), é um exame de imagem capaz de mostrar com definição as estruturas internas dos órgãos, sendo importante para diagnosticar vários problemas de saúde, como aneurismas, tumores, alterações nas articulações ou outras lesões nos órgãos internos.

Para fazer o exame, utiliza-se uma grande máquina, que crias as imagens de alta definição dos órgãos internos através da utilização de um campo magnético, que provoca uma agitação das moléculas do corpo, captadas pelo aparelho e transferidas para um computador. O exame tem uma duração de cerca de 15 a 30 minutos e, normalmente, não é preciso qualquer tipo de preparo, apesar de poder ser necessário o uso de um contraste, em alguns casos, através da injeção do medicamento pela veia. 

Máquina de ressonância magnéticaMáquina de ressonância magnética
Imagem de ressonância magnética do crânioImagem de ressonância magnética do crânio

Preço

A ressonância magnética é feita somente coma indicação médica, não havendo custos quando feita pelo SUS. Quando feita por via particular, este exame pode custar um valor entre os 800 e os 1.500 reais, dependendo da região corporal a ser avaliada no exame e da clínica onde é feita. 

Para que serve

A ressonância magnética é indicada nos seguintes casos:

  • Identificar doenças neurológicas, como Alzheimer, tumor cerebral, esclerose múltipla ou AVC, por exemplo;
  • Observar inflamações ou infecções no cérebro,nervos ou articulações;
  • Diagnosticar lesões osteomusculares, como tendinite, lesões nos ligamentos, cistos ou hérnias de disco, por exemplo;
  • Identificar massas ou tumores nos órgãos do corpo;
  • Observar alterações nos vasos sanguíneos, como aneurismas ou coágulos.

É necessário tomar alguns cuidados antes da realização deste exame, pois não pode haver nenhum tipo de material metálico próximo ao campo magnético do aparelho, como grampos de cabelo, óculos ou detalhes de roupas, evitando-se, assim acidentes. Por este mesmo motivo, este exame é contra-indicado para pessoas que possuam qualquer tipo de próteses, marca-passos ou pinos metálicos implantados no corpo. 

Além da boa qualidade das imagens formadas pela ressonância magnética, outra vantagem é a não utilização de radiação ionizante para a obtenção dos resultados, diferente da tomografia computadorizada. Entenda para que serve e quando é necessária uma tomografia computadorizada.

Para que serve a Ressonância magnética e como é feita

Como é feita

A ressonância magnética costuma durar entre 15 a 30 minutos, podendo atingir até cerca de 2 horas, a depender da área a ser examinada. Para a sua realização é necessário permanecer dentro do aparelho que emite o campo magnético, e não dói, entretanto, é muito importante não se mexer durante este período, já que qualquer movimento pode alterar a qualidade do exame. 

Em pessoas que não conseguem ficar paradas, como crianças, portadores de claustrofobia, demência ou esquizofrenia, por exemplo, pode ser necessário realizar o exame com sedação para induzir o sono, de caso contrário, o exame pode não ser eficaz.

Além disso, em alguns casos, pode ser necessária a aplicação de um contraste na veia do paciente, como o Gálio, pois é uma forma de causar maior definição das imagens, principalmente para visualizar órgãos ou vasos sanguíneos.

Tipos de ressonância magnética

Os tipos de ressonância magnética dependem do local afetado, sendo que os mais comuns incluem:

  • Ressonância magnética da pelve, abdômen ou tórax: serve para diagnosticar tumores ou massas em órgãos como útero, intestino, ovários, próstata, bexiga, pâncreas, ou coração, por exemplo; 
  • Ressonância magnética do crânio: ajuda a avaliar malformações cerebrais, hemorragia interna, trombose cerebral, tumores cerebrais e outros alterações ou infecções no cérebro ou nas suas veias;
  • Ressonância magnética da coluna: ajuda a diagnosticar problemas na coluna e medula espinhal, como tumores, calcificações ou fragmentos de ossos, após fraturas;
  • Ressonância magnética de articulações, como ombro, joelho ou tornozelo: serve para avaliar os tecidos moles dentro da articulação, como a bursa, tendões e ligamentos.

A ressonância magnética é, portanto, um excelente exame para observar as partes moles do corpo, entretanto, não costuma ser indicado para observar lesões em regiões rígidas, como os ossos, sendo, nestes casos, mais indicado exames como Raio-x ou tomografia computadorizada, por exemplo.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...