Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Principais riscos dos exames com contraste

Revisão médica: Dr. Arthur Frazão
Oftalmologista
dezembro 2022

Os exames com contraste, também chamados de contrastados, são exames de imagem feitos com o uso de substâncias que ajudam a obter uma melhor definição das imagens formadas, o que facilita a avaliação pelo médico.

Existem diferentes tipos de contraste, como o sulfato de bário, contraste iodado ou gadolínio, que são escolhidos de acordo com o exame que será realizado, podendo ser utilizados por via oral, injetados na veia ou na cavidade desejada.

No entanto, o uso de contraste em exames também tem riscos, podendo causar efeitos colaterais como reações alérgicas, queda da pressão arterial ou afetar o funcionamento dos rins. Por isso, os contrastes devem ser utilizados somente com indicação médica.

Imagem ilustrativa número 2

Principais riscos

Alguns dos principais efeitos colaterais do uso de contraste em exames incluem:

1. Reações alérgicas

O uso de contraste em exames pode provocar reações alérgicas que podem demorar até 10 dias para surgir e causar sintomas como vermelhidão na pele e coceira no corpo. 

Nos casos mais graves, essas reações podem se desenvolver em minutos após a injeção do contraste e provocar inchaço em partes do corpo, falta de ar e pressão baixa, por exemplo, podendo indicar anafilaxia, uma reação alérgica grave. Confira mais sintomas de anafilaxia.

Uma forma de tentar evitar este tipo de reação é perguntar à pessoa se tem algum tipo de alergia. Além disso, também é comum o médico indicar remédios antialérgicos, como anti-histamínicos ou corticoides, antes de alguns exames com maior risco.

2. Efeitos tóxicos da substância

Dependendo da substância utilizada, o contraste pode causar efeitos tóxicos em diferentes partes do corpo, como:

  • Pele: dor no local da aplicação, vermelhidão, inchaço ou formação de caroços;
  • Estômago e intestino: náuseas ou vômitos;
  • Rins: redução da formação de urina ou insuficiência renal;
  • Cérebro: dor de cabeça, tontura, confusão mental ou convulsão;
  • Pulmões: falta de ar ou broncoespasmo;
  • Coração: aumento da pressão arterial, arritmias e parada cardíaca.

Geralmente, estes efeitos estão relacionados à dose ou concentração do contraste utilizado, podendo variar também de acordo com a velocidade de infusão e forma de uso da substância, se por via oral ou venosa, por exemplo.

3. Reações do sistema nervoso

Estas reações, também conhecidas como reações vasomotoras ou vaso vagais, não são diretamente provocadas pelo contraste e, normalmente, acontecem em caso de ansiedade ou dor durante a sua administração, o que provoca certos estímulos no sistema nervoso e vasos.

Estas reações podem provocar sintomas como queda da pressão arterial, diminuição dos batimentos cardíacos, desmaios, confusão mental, palidez ou suor frio, por exemplo.

Exemplos de exames com contraste

Alguns dos principais exames utilizados com contraste são:

  • Tomografia computadorizada: geralmente é feita com contraste iodado, podendo ser indicada para avaliar órgãos do corpo, como cérebro, pulmões e fígado, identificar tumores e alterações nos vasos sanguíneos, por exemplo. Saiba como é feita e para que serve a tomografia computadorizada;
  • Ressonância magnética: é um exame que costuma utilizar o gadolínio como contraste, sendo indicado para detectar lesões cerebrais ou na coluna vertebral, assim como em partes moles do corpo, como ligamentos, articulações e vasos sanguíneos;
  • Angiografia: o contraste iodado é o mais utilizado neste exame, que permite visualizar melhor o interior dos vasos sanguíneos e identificar doenças como aneurisma ou aterosclerose, por exemplo. Entenda como é feita e para que serve a angiografia;
  • Urografia: é um dos exames que permite visualizar a anatomia do aparelho urinário e avaliar o funcionamento dos rins;
  • Cintilografia: é um exame normalmente indicado para avaliar órgãos como coração, ossos, pulmões, tireoide ou cérebro, podendo utilizar como contraste substâncias como tecnécio e gálio;
  • Estudo radiológico do trato gastrointestinal: existem diversos exames para avaliar o trato digestório, como o enema opaco ou estudo de trânsito intestinal, que costumam utilizar o sulfato de bário como contraste;
  • Colangiografia: é um tipo de tomografia feita para avaliar as vias biliares, sendo comum a utilização do contraste iodado.

Além destes exames, existem outros, como a mamografia, para avaliar alterações da circulação na mama, e a histerossalpingografia, para avaliar o sistema reprodutor feminino, que também podem ser indicados pelo médico.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em dezembro de 2022. Revisão médica por Dr. Arthur Frazão - Oftalmologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • STATPEARLS. Contrast Agent Toxicity. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK537159/>. Acesso em 26 dez 2022
  • MORZYCKI, Alexander; BHANTIA, Anuj; MURPHY, Kieran J. Adverse Reactions to Contrast Material: A Canadian Update. Can Assoc Radiol J . Vol.68, n.2. 187-193, 2017
Mostrar bibliografia completa
  • SCHONMANN, Christine; BROCKOW, Knut. Adverse reactions during procedures: Hypersensitivity to contrast agents and dyes. Ann Allergy Asthma Immunol. Vol.124, n.2. 156-164, 2020
  • STATPEARLS. Intravenous Contrast. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK557794/>. Acesso em 26 dez 2022
Revisão médica:
Dr. Arthur Frazão
Clínico geral
Médico generalista, especialista em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em 2008, com registro profissional no CRM/PE 16878