7 repelentes seguros para gestantes e crianças

A maior parte dos repelentes industriais aprovados pela ANVISA podem ser utilizados por grávidas e crianças, geralmente a partir de 2 anos de idade. No entanto, é importante prestar atenção às concentrações dos componentes, devendo-se sempre optar pelas mais baixas.

O uso de repelentes é importante para proteger contra a picada dos mosquitos, especialmente do Aedes Aegypti, que pode transmitir doenças como dengue, zika, chikungunya e febre amarela. Alguns repelentes naturais também podem ser usados com essa finalidade e costumam ser mais seguros que os industriais, no entanto, geralmente têm uma efetividade menos duradoura e comprovada.

É importante sempre utilizar os repelentes conforme as instruções de uso da embalagem e em caso de dúvidas consultar um pediatra ou obstetra para melhores orientações e indicações.

Repelentes industriais seguros

Os repelentes industriais que são seguros para grávidas e crianças são aqueles que contêm DEET, Icaridina ou IR3535 na composição, e só devem ser usados se estiverem registrados na ANVISA, seguindo a orientação do médico e as indicações do rótulo do produto.

1. DEET

Os repelentes com DEET podem ser utilizados a partir de 2 meses de idade em alguns países, mas são recomendados para crianças com idade superior a 2 anos pela ANVISA, não devendo ter concentração superior a 10% de DEET. Nesta concentração, o repelente tem um tempo de ação de cerca de 4 horas. 

Além disso, grávidas também podem utilizar repentes com esta substância, na concentração o mais baixa possível, normalmente a partir do segundo trimestre de gravidez.

Alguns exemplos de repelentes com DEET são o Autan, OFF e o Super Repelex e antes de utilizá-los, deve-se ter atenção às instruções mencionadas no rótulo.

2. Icaridina

Os repelentes com Icaridina também podem ser usados em grávidas e crianças com mais de 2 anos de idade e geralmente estão disponíveis na concentração de 25%. Uma vantagem destes produtos é que possuem um tempo de ação prolongado, até cerca de 10 horas, no caso de repelentes com 25% de concentração de Icaridina.

Um exemplo de repelente com esta substância na concentração é o Exposis que está disponível em gel e spray.

3. IR3535

Os repelentes com IR3535 são os mais seguros do mercado para grávidas e crianças e podem mesmo ser usados a partir dos 6 meses de idade. A desvantagem é que têm um tempo de ação curto, de cerca de 4 horas. 

Um exemplo de repelente com IR3535 é a loção antimosquito da Johnson & Johnson ou o Xtream spray da Isdin.

Repelentes naturais seguros

Existem alguns repelentes naturais que podem ser usados por grávidas e crianças, como:

  1. Óleo de soja: em concentração de 2% conseguiu inibir picadas do Aedes por até 1 hora e meia;
  2. Repelente com cravo da índia: pode ser preparado usando álcool de cereais, cravo da índia e um óleo vegetal como o óleo de amêndoas, por exemplo, protegendo a pele durante 3 horas. Veja como pode preparar esta receita.
  3. Óleo de eucalipto-limão: este óleo tem uma eficácia semelhante àqueles repelentes que contém DEET e quando produtos com concentração de 30% são utilizados, sua proteção pode durar até 6 horas. É o mais recomendado dos óleos naturais, no entanto, alguns produtos com óleo de eucalipto-limão devem ser evitados em crianças menores de 3 anos.
  4. Óleo de citronela: este óleo geralmente apresenta uma duração de cerca de 2 horas, necessitando de várias aplicações durante o dia.

Além disso, o óleo essencial de alfazema também pode ser usado como repelente natural em bebês a partir de 2 meses de vida, podendo ser adicionado a um hidratante, no entanto, deve ser evitado por mulheres grávidas.

Antes de aplicar qualquer óleo como estes sobre a pele, é importante misturá-lo a um óleo vegetal para diluí-lo e assim evitar irritação da pele.

Como passar o repelente

Ao usar repelentes, estes podem ser aplicados sobre a pele exposta ou roupas, e devem ser o último produto a ser passado na pele, depois dos filtros solares, hidratantes ou maquiagem por exemplo, devendo ser aplicados em quantidade suficiente e bem espalhados.

Além disso, é importante não aplicar repelentes sobre os olhos, nariz, boca, machucados ou pele irritada e evitar usá-los por baixo da roupa. Também é recomendado que repelentes em spray não sejam inalados durante a aplicação e não sejam aplicados diretamente sobre o rosto, aplicando o repelente nas mãos para espalhá-lo depois.

Por que usar repelente?

O uso de repelentes é uma alternativa para gestantes e crianças protegerem-se contra picadas de mosquitos como o Aedes Aegypti, que pode transmitir doenças como dengue, zika, chikungunya e febre amarela.

No caso das gestantes, estas devem ter uma atenção redobrada em relação ao zika vírus, pois quando infectadas, os seus bebês correm o risco de nascer com microcefalia, uma deformação congênita onde a cabeça e o cérebro do bebê são menores que o normal para a sua idade, o que influencia o seu desenvolvimento mental. Entenda melhor o que é microcefalia, seus sintomas e causas.

Além disso, grávidas entre o primeiro e o quarto mês de gestação correm um maior risco de seus bebês terem esta doença, pois é neste período que o sistema nervoso do bebê se encontra em formação, por isso se suspeitar que está com dengue, zika ou chikungunya, deve procurar um hospital logo que possível.

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Dr.ª Sani Santos Ribeiro - Pediatra e Pneumologista infantil, em julho de 2022.

Bibliografia

  • NGUYEN, Quoc-Bao D; VU, Mai-Anh N; HEBERT, Adelaide A. Insect Repellents: An Updated Review for the Clinician. Journal of the American Academy of Dermatology. 2018
  • AMERICAN ACADEMY OF PEDIATRICS. Choosing an Insect Repellent for Your Child. 2021. Disponível em: <https://www.healthychildren.org/English/safety-prevention/at-play/Pages/Insect-Repellents.aspx>. Acesso em 12 jul 2022
Mostrar bibliografia completa
  • EPA. Using Insect Repellents Safely and Effectively. Disponível em: <https://www.epa.gov/insect-repellents/using-insect-repellents-safely-and-effectively>. Acesso em 12 jul 2022
  • CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION. Prevent Tick and Mosquito Bites. Disponível em: <https://www.cdc.gov/ncezid/dvbd/about/prevent-bites.html>. Acesso em 12 jul 2022
  • CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION. Prevent Mosquito Bites. Disponível em: <https://www.cdc.gov/zika/prevention/prevent-mosquito-bites.html>. Acesso em 12 jul 2022
  • AAP NEWS. How to advise parents on insect repellents in era of Zika, chikungunya. 2016. Disponível em: <https://publications.aap.org/aapnews/news/11054/How-to-advise-parents-on-insect-repellents-in-era?_ga=2.32024249.642822243.1657534453-831727140.1657534453?autologincheck=redirected>. Acesso em 12 jul 2022
  • WYLIE, Blair J. et al. Insect Repellants During Pregnancy in the Era of the Zika Virus. Obstet Gynecol. Vol.128, n.5. 1111–1115, 2016
  • AMERICAN ACADEMY OF PEDIATRICS. American Academy of Pediatrics: Get Kids Outdoors and Use These Safety Tips to Ward Off Insects and Prevent Sunburn. 2021. Disponível em: <https://www.aap.org/en/news-room/news-releases/health--safety-tips/american-academy-of-pediatrics-get-kids-outdoors-and-use-these-safety-tips-to-ward-off-insects-and-prevent-sunburn/>. Acesso em 12 jul 2022
  • ANVISA. Sobre o uso de repelentes de inseto durante a gravidez . 2015. Disponível em: <http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2015/dezembro/04/Nota-Anvisa-Repelentes-e-Saneantes-02dez2015.pdf>. Acesso em 11 jul 2019
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Uso de repelentes de inseto durante a gravidez. 2015. Disponível em: <http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2015/novembro/26/Nota-T--cnica-2015-Uso-de-repelentes-cosm--ticos-durante-a-gravidez.pdf>. Acesso em 11 jul 2019
Revisão médica:
Dr.ª Sani Santos Ribeiro
Pediatra e Pneumologista infantil
Médica formada pela Universidade Federal do Rio Grande com CRM nº 28364 e especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria.