Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Remédios para tratar a incontinência urinária

Uma das formas de tratamento da incontinência urinária é o uso de medicamentos, como oxibutinina, cloreto de tróspio, estrogênio ou imipramina, por exemplo, prescritos pelo médico, como forma de reduzir as contrações da bexiga ou melhorar a ação do esfincter da uretra, diminuindo os episódios de perda involuntária da urina.

Estes medicamentos são apenas indicados em alguns casos, em que os benefícios compensem os riscos, devido às contra-indicações que apresentam e aos efeitos colaterais que podem causar, como boca seca, tonturas, diarreia ou, até, retenção urinária, sendo recomendados quando outras formas de tratamento, como os exercícios de fisioterapia, não são suficientes.

A incontinência urinária é uma condição comum, que pode afetar qualquer pessoa, principalmente mulheres acima dos 45 anos, e provoca sintomas incômodos como perda da urina na roupa, que pode surgir após realização de esforços ou após uma vontade súbita de urinar, podendo ocorrer em pouca ou grande quantidade. Entenda melhor os sintomas, os tipos e as causas da incontinência urinária.

Remédios para tratar a incontinência urinária

Os medicamentos que podem ser orientados para aliviar a incontinência urinária depende do seu tipo, seja para mulheres ou homens. As opções incluem:

1. Incontinência urinária de esforço

Este tipo de incontinência surge sempre que é realizado um esforço com a barriga ou pelve, como tossir, espirrar ou carregar um peso, e surge principalmente devido ao enfraquecimento da musculatura da pelve, ou por alterações na posição da uretra ou bexiga. 

  • Estrogênio: o uso de estrogênio, como o estradiol nas formas de pomada, adesivo ou anel vaginal, pode agir aumentando a pressão de fechamento da uretra, o fluxo sanguíneo e a qualidade do tecido que reveste a uretra e vagina, diminuindo as chances de incontinência;
  • Imipramina (Tofranil): é um tipo de antidepressivo que é capaz de diminuir a contração da bexiga e aumentar a resistência da uretra;
  • Duloxetina (Cymbi, Velija): é outro tipo de antidepressivo, que pode ter efeito sobre os nervos da uretra, diminuindo a frequência da incontinência.

É importante lembrar que na incontinência por esforço, a principal forma de tratamento é a realização de fisioterapia do assoalho pélvico, orientada por fisioterapeutas capacitados, incluindo de terapias como eletroestimulação ou exercícios para a musculatura, que são fundamentais para tratar corretamente este problema. Confira alguns exercícios que podem ser feitos contra a incontinência urinária, no vídeo seguinte:

Exercícios para INCONTINÊNCIA URINÁRIA

149 mil visualizações

Além disso, a cirurgia é uma importante alternativa para corrigir alterações na musculatura ou posicionamento da bexiga e da uretra, devendo ser considerada sempre que não se conseguir melhora com os tratamentos realizados.

2. Incontinência urinária de urgência

Este tipo de incontinência acontece principalmente devido a mudanças anatômicas e hormonais do envelhecimento. Entretanto, também pode surgir em pessoas jovens devido a situações como cistite, pedra na bexiga ou alterações neurológicas, como as causadas pelo diabetes, esclerose múltipla, Parkinson, AVC, tumores cerebrais ou lesões na coluna, por exemplo.

Os principais remédios utilizados no tratamento desta condição são os medicamentos que atuam diminuindo a contração involuntária da bexiga e melhorando a ação do esfíncter da uretra, chamados de antimuscarínicos. Alguns dos mais utilizados são:

  • Oxibutinina (Retemic, Incontinol);
  • Cloreto de tróspio (Spasmoplex);
  • Solifenacina (Vesicare);
  • Darifenacina (Fenazic);
  • Imipramina (Tofranil, Depramina, Imipra, Mepramin).

Esses medicamentos devem ser usados com cautela, somente com indicação médica, pois podem causar diversos efeitos colaterais, como boca seca, tontura, confusão e redução da memória, principalmente em pessoas mais susceptíveis, como idosos.

Exercícios de fisioterapia e ajustes da hora de usar o banheiro também são alternativas que ajudam a controlar os sintomas. Saiba mais sobre formas de tratamento

Remédios para tratar a incontinência urinária

Tratamento natural

O tratamento natural para a incontinência urinária é orientado para todos os casos, sendo muito importante para auxiliar o tratamento farmacológico e reduzir a frequência ou intensidade da incontinência. Assim, é recomendado:

  • Terapia comportamental, que consiste em fixar horários para ir ao banheiro, mesmo que não haja vontade de urinar, como forma de impedir as perdas súbitas;
  • Praticar exercícios perineais, que consistem na contração e relaxamento da musculatura perineal em sessões de 30 minutos, duas vezes por semana;
  • Emagrecer, em casos de pessoas que estão acima do peso, para diminuir o excesso de peso sobre a bexiga e a musculatura da pelve;
  • Regular o intestino, pois a prisão de ventre também pode piorar a incontinência urinária. Saiba mais dicas sobre o que fazer para controlar a incontinência urinária na menopausa.
  • Ter cuidados com a alimentação, alimentos excitantes para a bexiga, como a cafeína, o álcool, frutas cítricas, fumo e alimentos apimentados.

Veja mais dicas no vídeo seguinte:

O que COMER na INCONTINÊNCIA URINÁRIA

37 mil visualizações


Bibliografia

  • APSEN. RETEMIC - cloridrato de oxibutinina. 2014. Link: <www.anvisa.gov.br>. Acesso em 05 Jul 2019
Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem