Queratose pilar: o que é, sintomas, causas e tratamento

setembro 2022

A queratose pilar é uma alteração da pele provocada pela produção excessiva de queratina, que causa o aparecimento de bolinhas avermelhadas ou esbranquiçadas na pele, especialmente no rosto, braços, nádegas ou pernas. Essas bolinhas que não causam dor ou desconforto.

Também conhecida por ceratose pilar, é mais comum em crianças e adolescentes, mas pode surgir em adultos, não sendo indicativa de problemas de saúde mais sérios.

Os sintomas da queratose pilar costumam aparecer no final da infância e início da adolescência e desaparecem espontaneamente entre os 20 e 30 anos, não necessitando de tratamento específico. No entanto, o dermatologista pode indicar o uso de hidratantes ou outros cremes para ajudar a manter a pele mais hidratada e a aliviar os sintomas.

Sintomas de queratose pilar

Os principais sintomas de queratose pilar são:

  • Bolinhas vermelhas, brancas ou marrons na pele dos braços, pernas, bochechas ou nádegas;
  • Pele seca ou áspera na região afetada;
  • Irritação ou inflamação nas bolinhas na pele;
  • Descamação da pele em volta do folículo piloso;
  • Pêlos finos, curtos, enrolados ou localizados sob a pele, no folículo piloso afetado.

Além disso, a queratose pilar pode causar uma leve coceira, especialmente no inverno, devido às baixas temperaturas e umidade, que pode aumentar o ressecamento da pele.

A queratose pilar não causa nenhum problema de saúde grave, no entanto, pode causar desconforto estético. Nesses casos, é importante consultar o dermatologista para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento mais adequado.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da queratose pilar é feito pelo dermatologista através do exame físico, que é feito ao avaliar as características da pele, localização e aparência das bolinhas.

Além disso, o médico deve avaliar o histórico de saúde, uma vez que a queratose pilar é comum em pessoas com dermatite atópica.

Principais causas

As causas da queratose pilar ainda não são totalmente conhecidas, no entanto, surge devido à produção excessiva de queratina na pele, que é um tipo de proteína que tem como função proteger a pele de agressões e infecções. Essa produção excessiva de queratina, pode se acumular e bloquear a abertura dos folículos pilosos, o que leva ao aparecimento das bolinhas.

Alguns fatores podem contribuir para o surgimento das bolinhas da queratose pilar, como:

  • Dermatite atópica;
  • Eczema;
  • Ictiose vulgar;
  • Mutações genéticas, especialmente do gene da filagrina;
  • Doenças hereditárias, como a síndrome de Noonan;
  • Obesidade;
  • Diabetes.

Além disso, a deficiência de vitamina A também parece estar relacionada ao maior risco de desenvolvimento da queratose pilar, e por isso é importante investir no consumo de alimentos fonte de vitamina A como couve, tomate e cenoura, por exemplo. Conheça outros alimentos ricos em vitamina A.

Como é feito o tratamento

O tratamento da queratose pilar, nem sempre é necessário, pois não causa dor e geralmente desaparece sozinha. No entanto, o dermatologista pode indicar a realização de tratamento para fins estéticos, sendo os principais:

1. Hidratação da pele

A hidratação da pele, com cremes ou loções hidratantes, podem ser recomendados pelo dermatologista, para manter a hidratação da pele e reduzir o ressecamento da pele áspera, o que ajuda a evitar o surgimento de novas bolinhas e a melhorar o aspecto da pele.

Os hidratantes mais recomendados para a queratose pilar são aqueles sem perfume, neutros e que possuem maior quantidade de óleos, contendo lactato de amônio ou alfa-hidroxiácidos, por exemplo, devendo ser aplicados logo após o banho, com a pele ainda úmida.

2. Uso de cremes ou pomadas

O uso de cremes pode ser indicado pelo dermatologista para hidratar a pele e ajudar a aliviar os sintomas da queratose pilar, e incluem:

  • Cremes com ácido salicílico a 6% ou ureia a 20%, que ajudam a remover as células mortas da pele, promovendo uma hidratação mais profunda da pele;
  • Cremes com ácido retinóico ou Vitamina A, que promovem uma hidratação adequada das camadas da pele, reduzindo o surgimento de bolinhas na pele.

Normalmente, as bolinhas da ceratose folicular tendem a diminuir com o tempo e com o uso destes cremes. Porém, podem ser necessários vários anos até que desapareçam completamente, o que acontece, normalmente, após os 30 anos.

O uso destes cremes pode causar efeitos colaterais como vermelhidão, irritação, sensação de queimação no local da aplicação ou ressecamento da pele.

Além disso, alguns cremes não são indicados para crianças pequenas, mulheres grávidas ou em amamentação.

3. Terapia a laser

A terapia a laser com luz pulsada pode ser indicada pelo dermatologista para a queratose pilar que não melhorou com outros tratamentos, pois ajuda a reduzir a vermelhidão da pele e a melhorar o aspecto e a textura da pele.

4. Peeling químico

O peeling químico é outro tipo de tratamento indicado pelo dermatologista para queratose pilar, e é feito com a aplicação de ácidos sobre a pele que promovem uma esfoliação, o que ajuda a retirar as camadas superficiais danificadas da pele e promover o crescimento de uma camada lisa.

Esse tipo de tratamento é feito pelo dermatologista utilizando ácidos, como o alfa-hidroxiácido, beta-hidroxiácido, ácido salicílico, ácido glicólico ou ácido lático, por exemplo. Veja como é feito o peeling químico.

5. Microdermoabrasão

A microdermoabrasão também é um tratamento para a queratose pilar que promove a esfoliação intensa da pele, o que ajuda a remover as bolinhas, melhorar a vermelhidão e a secura da pele.

Esse tipo de tratamento é realizado pelo dermatologista, com o uso de um cristal especial, que remove a camada mais superficial da pele, deixando a pele com um aspecto mais liso. Saiba como é feita a microdermoabrasão.

Cuidados durante o tratamento

Alguns cuidados durante o tratamento da queratose pilar são importantes para melhorar o aspecto da pele e evitar o surgimento de novas bolinhas, como:

  • Utilizar sabonetes hipoarlergênicos ou líquidos durante o banho;
  • Evitar tomar banho com água muito quente, não demorando mais de 10 minutos no banho;
  • Fazer uma esfoliação suave na pele durante o banho, utilizando uma toalha ou uma bucha suave;
  • Não esfregar as bolinhas na pele com força durante o banho, pois pode irritar mais a pele;
  • Enxugar a pele após o banho, passando a uma toalha limpa e seca, de forma suave sobre a pele ou dando pequenas batidinhas com a toalha na pele;
  • Passar o hidratante na pele, indicado pelo dermatologista, logo após o banho;
  • Evitar apertar ou cutucar as bolinhas na pele;
  • Usar roupas de algodão, evitando as de tecidos sintéticos;
  • Evitar esfregar roupas e toalhas na pele;
  • Evitar exposição prolongada ao sol;
  • Usar um protetor solar, indicado pelo médico, diariamente.

Além disso, é também importante evitar o uso de roupas muito apertadas, pois a fricção da roupa na pele, pode aumentar o risco de desenvolvimento das bolinhas.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em setembro de 2022.

Bibliografia

  • MAITRIWONG, P.; et al. Intense Pulsed-light Therapy Significantly Improves Keratosis Pilaris: A Randomized, Double-blind, Sham Irradiation-controlled Trial. J Clin Aesthet Dermatol. 12. 10; E53–E57, 2019
  • WANG, J. F.; ORLOW, S. J. Keratosis Pilaris and its Subtypes: Associations, New Molecular and Pharmacologic Etiologies, and Therapeutic Options. Am J Clin Dermatol. 19. 5; 733-757, 2018
Mostrar bibliografia completa
  • MAGHFOUR, J.; et al. Treatment of keratosis pilaris and its variants: a systematic review. J Dermatolog Treat. 33. 3; 1231-1242, 2022
  • PENNYCOOK, K. B.; MCCREADY, T. A. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Keratosis Pilaris. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK546708/>. Acesso em 28 jun 2022
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA - SEÇÃO RIO GRANDE DO SUL. Ceratose Pilar. Disponível em: <https://sbdrs.org.br/ceratose-pilar/>. Acesso em 30 jun 2021
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA. Ceratose. Disponível em: <https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/ceratose/46/>. Acesso em 30 jun 2021
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.