Quemose no olho: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Dr. Arthur Frazão
Oftalmologista
maio 2021

A quemose no olho, ou quemose ocular, é o inchaço conjuntiva do olho, que é o tecido que reveste o interior da pálpebra e a superfície do olho, causada pelo acúmulo de líquidos e pode manifestar-se como uma bolha, geralmente transparente, causando sintomas como coceira, lacrimejamento do olho ou vista embaçada e, em alguns casos, dificuldade para fechar o olho.

Este inchaço no olho geralmente é causado por alergia, mas também pode acontecer por uma infecção por vírus ou bactérias. Também pode ocorrer após blefaroplastia, uma cirurgia plástica para remover o excesso de pele da pálpebra. Saiba mais sobre a blefaroplastia.

A quemose é tratada de acordo com a causa da doença, e a depender destas, pode ser indicado a aplicação de compressas frias ou até o uso de antibióticos, na forma de colírios ou pomadas oculares.

Principais sintomas

Os sintomas mais comuns associados à quemose ocular podem ser:

  • Irritação no olho;
  • Coceira;
  • Vermelhidão;
  • Inchaço da pálpebra;
  • Sensação de cisco no olho.

Além disso, pode ocorrer dificuldade de fechar o olho, devido ao inchaço, sendo importante consultar o oftalmologista o mais rápido possível pois fechar os olhos é importante para lubrificar o globo ocular e protege os olhos da poeira e de outras substâncias irritantes.

Possíveis causas

A principal causa da quemose no olho é a alergia que pode ocorrer quando a pessoa tem contato com alguma substância como pólen, pelo de animais, alimentos ou medicamentos, por exemplo.

Além disso, outras causas da quemose no olho incluem angioedema, infecções bacterianas ou virais, após cirurgias ao olho, como uma blefaroplastia, como resultado de hipertireoidismo ou de lesões oculares, contato com produtos químicos ou pelo simples gesto de esfregar os olhos.

O diagnóstico da quemose ocular deve ser feito pelo oftalmologista com base nos sintomas e através do exame ocular.

Como é feito o tratamento

O tratamento da quemose no olho deve ser feito sob a orientação do oftalmologista que pode indicar o uso de compressas frias na região ocular para diminuir o inchaço ou receitar remédios que incluem:

  • Antialérgicos, como a loratadina ou fexofenadina, no caso da quemose ocular ter sido causada por uma alergia. Nesses casos, ainda é indicado evitar o contato com a substância que causou a alergia para ajudar a reduzir a reação alérgica;
  • Antibiótico na forma de colírios ou pomadas oftalmológicas, para os casos em que a quemose ocular foi causada por uma infecção bacteriana. Saiba diferenciar a infecção bacteriana da infecção viral nos olhos;
  • Lágrimas artificiais para manter os olhos hidratados.

Além disso, pode ser recomendado pelo médico o uso de colírios com fenilefrina e dexametasona após a blefaroplastia, e nos casos mais graves, pode ser feita cirurgia para drenar o líquido no olho.

Durante o tratamento da quemose ocular, é importante suspender a utilização de lentes de contato por alguns dias.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em maio de 2021. Revisão médica por Dr. Arthur Frazão - Oftalmologista, em maio de 2021.

Bibliografia

  • MCCORD, Clinton D.; et al. Management of postblepharoplasty chemosis. Aesthet Surg J. 33. 5; 654-61, 2013
  • MINCKLER, Michael R.; et al. Chemosis from trauma. West J Emerg Med. 15. 4; 357-8, 2014
Mostrar bibliografia completa
  • SCHARGUS, M.; et al. Bilateral conjunctival chemosis. Ophthalmologe. 117. 2; 154-157, 2020
  • PATROCINIO, Tomas Gomes. Complications in blepharoplasty: how to avoid and manage them. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology. 77. 3; 322-327, 2011
  • COLUMBIA UNIVERSITY - DEPARTMENT OF OPHTHALMOLOGY. Chemosis. Disponível em: <https://www.columbiaeye.org/education/digital-reference-of-ophthalmology/cornea-external-diseases/non-infectious/chemosis>. Acesso em 19 set 2019
Revisão médica:
Dr. Arthur Frazão
Oftalmologista
Médico generalista, especialista em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em 2008, com registro profissional no CRM/PE 16878

Tuasaude no Youtube

  • Conjuntivite viral, alérgica ou bacteriana? Como tratar | com Dr. Arthur Frazão

    10:33 | 114933 visualizações