Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Quando a cirurgia para retirada dos ovarios é indicada

A cirurgia para retirada apenas dos ovários, também chamada de ooforectomia, serve para retirar um ou os dois ovários e, normalmente, é feita quando surgem doenças nestes órgãos, como:

  • Abcesso ovariano;
  • Câncer de ovário;
  • Endometriose no ovário;
  • Cistos ou tumores no ovário;
  • Torção do ovário;

Além disso, o ginecologista também pode recomendar a cirurgia de retirada dos ovários para prevenir o surgimento de câncer no ovário, especialmente em mulheres com histórico familiar de câncer de ovário ou com mutações nos genes BRCA1 ou BRCA2, que aumentam o risco de câncer nos ovários e nas mamas.

A cirurgia para remover os ovários pode ser feita em apenas um ovário ou nos dois lados, sendo chamada de ooforectomia bilateral esta última, dependendo da gravidade da doença e das regiões afetadas.

O que acontece depois da cirurgia

A cirurgia para retirada dos ovários causa o surgimento de menopausa precoce e, por isso, a mulher deixa de poder engravidar naturalmente, uma vez que deixa de produzir óvulos. No entanto, caso a mulher queira engravidar mesmo após retirar os ovários, deve consultar um especialista em fertilidade feminina, pois existem algumas técnicas, como a inseminação artificial ou a fertilização in vitro que aumentam as chances de engravidar.

Além disso, com a retirada dos ovários a mulher deixa de produzir os hormônios ovarianos, podendo levar ao aumento do risco de desenvolver osteoporose ou problemas cardíacos.

Assim, os benefícios e riscos da cirurgia para retirada dos ovários devem ser discutidos com o ginecologista, de forma a encontrar a melhor opção de tratamento, especialmente em mulheres que ainda não entraram na menopausa.

Links úteis:

Mais sobre este assunto:
Carregando
...