Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Principais tipos de púrpura e como tratar

A púrpura é um problema raro caracterizado pelo surgimento de manchas vermelhas na pele e que não desaparecem quando pressionadas, sendo causadas pelo acúmulo de sangue debaixo da pele devido à inflamação dos vasos sanguíneos. A púrpura é mais comum nas crianças, mas pode aparecer em qualquer idade.

O surgimento da púrpura pode ser devido a diversas situações e, dependendo da sua causa, pode ser necessário tratamento ou não. Normalmente nas crianças a púrpura desaparece sem qualquer tipo de tratamento específico, enquanto que no adulto pode se tornar um problema crônico, podendo aparecer ou desaparecer em períodos.

É importante consultar um dermatologista ou clínico geral quando os sintomas de púrpura começarem a aparecer, pois assim é possível identificar a causa e iniciar o tratamento, caso haja necessidade.

Principais tipos de púrpura e como tratar

Tipos de púrpura

1. Púrpura de Henöch-Schönlein

A púrpura de Henöch-Schönlein, também conhecido por PHS, é o tipo de púrpura mais comum em crianças com menos de 10 anos e é caracterizada pela inflamação de pequenos vasos, levando ao aparecimento de manchas vermelhas, principalmente nas pernas e glúteos, e podendo levar a dor nas articulações ou no abdômen. Conheça outros sintomas da púrpura de Henöch-Schönlein​​​​​​.

Como tratar: Normalmente a PHS não necessita de tratamento específico, sendo apenas importante que a pessoa fique em repouso e seja acompanhado pelo médico para avaliar a progressão dos sintomas. No entanto, quando há muita dor, o médico pode receitar o uso de anti-inflamatórios ou analgésicos, como o Ibuprofeno e o Paracetamol, para aliviar as dores.

2. Púrpura trombocitopênica idiopática

A púrpura trombocitopênica idiopática ou PTI é uma doença autoimune caracterizada pela diminuição do número de plaquetas, interferindo no processo de coagulação e levando a formação de pequenos pontos vermelhos na pele e sangramento pelo nariz. O diagnóstico é feito principalmente por meio da análise dos sintomas e do exame de sangue, que nesses casos indica menos de 10.000 plaquetas/mm³ de sangue.

Como tratar: O tratamento para a PTI é feito de acordo com a gravidade dos sintomas, podendo ser recomendado o uso de medicamentos que diminuam a função do sistema imune, evitando que haja reação contra o próprio organismo, injeção de imunoglobulinas ou medicamentos que estimulem a produção de plaquetas pela medula óssea, como o Romiplostim, por exemplo. Saiba mais sobre o que é a PTI e como é feito o tratamento.

3. Púrpura trombocitopênica trombótica

A púrpura trombocitopênica trombótica ou PTT é um tipo raro de púrpura que é mais frequente entre os 20 e os 40 anos. Esse tipo de púrpura é caracterizada pelo aumento da agregação plaquetária, levando a formação de trombos e fazendo com que as hemácias sejam rompidas. Dessa forma, é importante que a PTT seja rapidamente identificada e tratada o mais rápido possível para evitar a anemia, perda de plaquetas e alterações neurológicas.

Como tratar: O tratamento para a PTT deve ser iniciado o mais rápido possível, sendo normalmente recomendada a realização da plasmaférese, que corresponde a um processo de filtração do sangue em que o excesso de anticorpos que podem estar prejudicando o funcionamento do organismo e da circulação sanguínea seja removida.

4. Púrpura fulminante

A púrpura fulminante surge principalmente no recém-nascido devido à falta de proteínas relacionadas à coagulação, o que leva à formação de coágulos que podem dificultar a circulação sanguínea e levar ao aparecimento de manchas vermelhas na pele que podem tornar-se negras devido à morte de células nesses locais.

Além disso, esse tipo de púrpura pode ser desencadeada por infecções bacterianas, virais ou parasitárias, por exemplo.

Como tratar: O tratamento para a púrpura fulminante pode ser feita com a administração da proteína da coagulação ausente no sangue de acordo com a orientação do médico.

5. Púrpura senil

Esse tipo de púrpura é caracterizada pelo aparecimento de manchas roxas no dorso, punhos, mãos e antebraços devido ao envelhecimento da pele, sendo, portanto, mais comum em pessoas a partir dos 65 anos.

Como tratar: A púrpura senil não necessita ser tratada, uma vez que não representa risco para a saúde e nem é indicativo de hemorragias. No entanto, caso a pessoa se sinta incomodada, pode fazer uso de alguns tipos de cremes ou pomadas com vitamina K que ajudam a diminuir as manchas, devendo ser indicadas pelo dermatologista. 

Veja como tirar os 8 tipos de manchas na pele mais comuns.

Principais tipos de púrpura e como tratar

Como é feito o tratamento

O tratamento para púrpura depende da sua causa, mas normalmente é feito com o uso de cremes ricos em vitamina K, como o Thrombocid, que devem ser espalhados sobre a pele até que as manchas desapareçam.

Nos casos mais graves pode ser indicada a ingestão de remédios corticoides, como Hidrocortisona ou Prednisona, ou a cirurgia para retirada do baço, no caso de púrpuras trombocitopênica, pois é nesse órgão que são produzidos anticorpos que podem destruir as plaquetas, provocando o acúmulo de sangue na pele. Em crianças, bebês ou recém-nascidos a púrpura pode desaparecer sem tratamento, mas no caso dos adultos o tratamento é sempre necessário.

Principais sintomas

Os sintomas mais comuns de púrpura incluem:

  • Manchas vermelhas na pele - conheça outras causas de manchas vermelhas na pele;
  • Pintas vermelhas espalhadas pelo corpo;
  • Sangramentos pelo nariz, intestinos, gengivas ou trato urinário;
  • Dor no local das manchas;
  • Febre.

Na maioria dos casos surgem apenas pequenas pintas na pele e que, normalmente, não necessitam de tratamento.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar