Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Puerpério: 10 mudanças no corpo da mulher depois do parto

O puerpério é o período pós-parto que abrange desde o dia do nascimento do bebê até a volta da menstruação da mulher, depois da gravidez que pode durar 45 dias, dependendo de como é feita da amamentação. 

O puerpério se divide em três etapas:

  • Puerpério imediato: Do 1º ao 10º dia do pós-parto
  • Puerpério tardio: Do 11º ao 42º dia do pós-parto
  • Puerpério remoto: A partir do 43º dia do pós-parto

O puerpério também é conhecido como período de resguardo ou quarentena, já que dura cerca de 40 dias. 

Durante o puerpério a mulher passa por muitas alterações hormonais, físicas e emocionais. Neste período ela deve ter um espécie de 'menstruação', que é na verdade, um sangramento abundante que inicia após o parto e dura em média 15 dias e que vai diminuindo pouco a pouco. Inicialmente o sangue é um vermelho vivo em quantidade razoável e com o passar dos dias, a quantidade vai diminuindo e a sua cor vai escurecendo, chegando a um tom marrom ou amareladas até desaparecer completamente.

Puerpério: 10 mudanças no corpo da mulher depois do parto

Cuidados necessários durante o puerpério 

No puerpério imediato é importante levantar e andar logo nas primeiras horas depois do parto para:

  • Diminuir o risco de trombose;
  • Melhorar o trânsito intestinal;
  • Contribuir para o bem-estar da mulher.

Além disso, a mulher deve ter uma consulta com o obstetra ou ginecologista às 6 ou 8 semanas após o parto, para verificar se o útero está cicatrizando corretamente e não há nenhuma infecção.

O que acontece durante o puerpério 

1. Mamas

As mamas que durante a gravidez estavam mais maleáveis e sem qualquer desconforto, geralmente ficam mais durinhas por estarem cheias de leite. Se a mulher não puder amamentar o médico pode indicar um remédio para secar o leite, e o bebê vai precisar tomar fórmula infantil, com indicação do pediatra. 

2. Barriga

O abdômen ainda permanece inchado devido ao útero ainda não estar no seu tamanho normal, o que diminui a cada dia, e fica bastante flácido. Algumas mulheres ficam com um afastamento dos músculos da parede abdominal, uma situação chamada diástase abdominal.

  • O que fazer: Amamentar e usar a cinta abdominal ajudam o útero a voltar ao seu tamanho normal, e fazer os exercícios abdominais corretos ajuda a fortalecer o abdômen, combatendo a flacidez da barriga. Saiba os melhores exercícios para fazer depois do parto para ficar com a barriga durinha outra vez, nesse vídeo:

3. Sangramento vaginal

As secreções do útero vão saindo pouco a pouco, e por isso existe um sangramento parecido com a menstruação que é chamado de lóquidos, que é mais intenso nos primeiros dias mas que diminui a cada dia, até desaparecer completamente. 

  • O que fazer: É recomendado usar um absorvente íntimo de maior tamanho e maior capacidade de absorção, e observar sempre o odor e a cor do sangue, para identificar rapidamente os sinais de infecção como: mau cheiro e cor vermelho vivo por mais de 4 dias. Se estes sintomas estiverem presentes deve-se ir ao médico o quando antes. 

4. Cólicas

Ao amamentar o bebê é normal que a mulher sinta cólicas ou algum desconforto abdominal devido as contrações que fazem o útero voltar ao seu tamanho normal. O útero diminui cerca de 1 cm por dia, por isso esse desconforto não deve durar mais de 20 dias. 

  • O que fazer: Colocar uma compressa morna sobre o abdômen pode trazer mais conforto, enquanto a mulher amamenta. Se estiver incomodando muito a mulher pode tirar o bebê da mama durante alguns minutos e depois voltar a amamentar quando o desconforto aliviar um pouco. 

5. Desconforto na região íntima 

Surge nas mulheres que tiveram parto normal com episiotomia, sendo necessário fechar com pontos. Mas toda mulher que passou pelo parto tem modificações em sua vagina, que também fica mais dilatada e inchada nos primeiros dias depois do parto. 

  • O que fazer: Lavar a região com água e sabão até 3 vezes por dia, não fazer banho de assento antes de 1 mês. Normalmente a região cicatriza rápido e em 2 semanas o desconforto deve desaparecer completamente. 

6. Incontinência urinária

É normal no pós-parto, principalmente se a mulher teve parto normal, mas também pode acontecer nas que fazem cesárea. É a vontade repentina de urinar, sendo difícil controlar totalmente o xixi, havendo perdas de urina ainda na calcinha.

7. Cicatriz da cesariana 

A cicatriz da cesariana deve ser verificada diariamente, os pontos normalmente são retirados em 8 dias e a mulher pode tomar banho normalmente. 

  • O que fazer: Usar cinta abdominal pode ajudar a diminuir o desconforto na região da cicatriz, além disso deve-se usar uma pomada cicatrizante que deve ser usada de 2 a 3 vezes ao dia, para ajudar a deixar a cicatriz o mais discreta possível. Em certos casos pode surgir um acumulo de líquido logo abaixo da cicatriz que é o seroma, que é preciso ser retirado com seringa ou dreno colocado pelo enfermeiro. Saiba tudo sobre o seroma

8. Menstruação 

O retorno da menstruação depende se a mulher amamenta ou não. Quando amamenta exclusivamente a menstruação volta em aproximadamente 6 meses, mas é preciso usar métodos contraceptivos para não engravidar nesse período. Caso a mulher não amamente a menstruação volta em aproximadamente 1 ou 2 meses. 

  • O que fazer: Verificar se o sangramento depois do parto está com uma aparência normal e começar a usar o método contraceptivo quando o médico ou enfermeiro indicar. O dia em que a menstruação voltar deve ser anotado para indicar ao médico na próxima consulta. Saiba quando se preocupar com o Sangramento no Pós-parto.

9. Métodos contraceptivos 

O uso de métodos contraceptivos deve ser conversado com o médico 

  • O que fazer: A mulher pode voltar a tomar a pílula anticoncepcional no 15º dia depois do nascimento do bebê, ou segundo a orientação médica. 

10. Relação sexual 

Só é recomendado voltar a ter relações sexuais, 40 dias depois do nascimento do bebê, quando o útero já estiver cicatrizado, a mulher tiver se sentindo melhor e já não houver risco de infecções. 

  • O que fazer: Apesar de não poder haver penetração, é possível manter a intimidade do casal durante esse período. Fazer os mesmos exercícios que combatem a incontinência urinária, também ajudam a melhorar a libido e melhorar o contato íntimo.
Mais sobre este assunto:


Carregando
...