Depressão pós-parto: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Dr. Gonzalo Ramirez
Clínico Geral e Psicólogo
julho 2022
  1. Sintomas
  2. Diagnóstico
  3. Causas
  4. Tratamento

A depressão pós-parto é uma doença que pode afetar a mulher ainda durante a gravidez, logo após o nascimento do bebê ou até 1 ano após o parto, causando sintomas como tristeza, choro excessivo, dificuldades de se relacionar com o bebê e sentimentos de culpa.

Além disso, esse tipo de depressão, que também pode afetar pais, ou outros parceiros, pode ser causada por alguns fatores, como pressão sobre a capacidade de cuidar do bebê, depressão antes da gravidez, privação do sono ou estresse durante a gravidez, por exemplo.

No entanto, a depressão pós-parto tem cura e pode ser tratada com a ajuda de um psicólogo e/ou psiquiatra, através de sessões de psicoterapia, exercícios físicos e, em alguns casos, o uso de remédios.

Principais sintomas

Os sintomas e sinais de depressão pós-parto podem surgir logo após o parto, até um ano após o nascimento do bebê, ou ainda durante a gravidez, e geralmente incluem:

  1. Tristeza constante;
  2. Choro excessivo;
  3. Alterações de humor;
  4. Sentimentos de culpa;
  5. Baixa auto-estima;
  6. Cansaço excessivo;
  7. Dificuldades de se relacionar com o bebê;
  8. Medo de não conseguir ser boa mãe;
  9. Irritabilidade;
  10. Perda de apetite;
  11. Sentimento de vergonha;
  12. Ansiedade;
  13. Falta de prazer nas atividades que gostava;
  14. Pensamentos de prejudicar o bebê e si mesma;
  15. Pensamentos suicidas;
  16. Insônia.

Nos primeiros dias de vida do bebê muitas mulheres podem sentir ansiedade, insônia, sensação de vazio ou tristeza. No entanto, quando esses sintomas persistem por mais de 2 semanas, pode ser depressão pós-parto, sendo aconselhado consultar um psicólogo, ou psiquiatra, para avaliar os sintomas e iniciar o tratamento mais adequado.

Se acha que pode estar com depressão pós-parto, selecione o que está sentindo no teste a seguir:

Teste rápido de depressão pós-parto

Começar o teste
Imagem ilustrativa do questionário
Você ainda consegue ver lado divertido das coisas?
  • Sempre.
  • Às vezes.
  • Não, nunca.
Eu tenho encarado o futuro com alegria?
  • Sempre.
  • Às vezes.
  • Não, nunca.
Você sente que a culpa é sempre sua se as coisas dão errado?
  • Não.
  • Às vezes.
  • O tempo todo.
Você fica ansiosa ou preocupada, mesmo sem motivo?
  • Não.
  • Às vezes.
  • Com muita frequência, mais de 4 vezes por semana.
Tenho ficado com medo ou pânico sem motivo?
  • Sempre.
  • Às vezes.
  • Não, nunca.
Você está se sentindo sobrecarregada pelas tarefas e acontecimentos do dia-a-dia?
  • Sim, na maior parte das vezes não consigo controlar a situação.
  • Sim, algumas vezes eu não consigo controlar a situação.
  • Não, eu sempre consigo controlar a situação.
Tenho estado tão triste que tenho até dificuldade para domir.
  • Sim, tenho muita dificuldade para dormir e não consigo descansar nada.
  • Várias vezes por semana tenho dificuldade para pegar no sono.
  • Não, eu durmo sempre muito bem.
Não sei bem porquê mas estou muito triste e choro facilidade.
  • Não, estou muito feliz.
  • Sim, tenho me sentido triste ou chateada mais de 3 vezes por semana.
  • Sim, quase sempre estou triste, chateada e chorosa.
Tenho estado tão triste que choro várias vezes ao dia.
  • Sim, na maior parte das vezes.
  • Sim, mas ocasionalmente.
  • Não, isso nunca acontece.
Quantas vezes já passou pela sua cabeça fazer algum mal a si mesma ou ao bebê?
  • Nunca passou nada disso pela minha cabeça.
  • Já tive pensamentos assim, mas não acontecem mais de 1 vez por semana.
  • Este é um pensamento que tenho com alguma frequência.

Quanto tempo dura a depressão pós-parto?

A depressão pós-parto pode começar logo após o nascimento do bebê ou até 1 ano após o parto, podendo durar de duas semanas até alguns meses se não for diagnosticada e tratada adequadamente.

Depressão pós-parto no homem ou outros parceiros

Os homens, ou outros parceiros, também podem apresentar depressão pós-parto, onde os sintomas podem surgir antes do parto ou até o primeiro ano de vida do bebê, e os sintomas podem incluir irritabilidade, tristeza, pensamentos negativos, falta de vontade para conviver com outras pessoas, choro fácil e constante, perda de apetite e ansiedade, por exemplo.

Os sintomas de depressão pós parto nos homens, ou outros parceiros, podem estar relacionados com atenção das mães voltadas para os bebês, que pode deixá-los um pouco de lado, e com o uma pressão interna sobre a economia e a carreira para oferecer uma vida de qualidade para o bebê e a esposa, por exemplo.

Por isso, homens, ou outros parceiros, que apresentam sintomas de depressão pós-parto também devem consultar um psicólogo ou psiquiatra para iniciar o tratamento mais adequado.

Como é feito o diagnóstico

Para o diagnóstico da depressão pós parto o psiquiatra, ou clínico geral, geralmente faz uma avaliação da duração e intensidade dos sintomas e sinais apresentados pela pessoa, além da aplicação do questionário Escala de Depressão Pós-parto de Edimburgo (EPDS), para identificar os sintomas de depressão no pós-parto.

Além disso, o médico também poderá solicitar exames de sangue para avaliar se existem alterações hormonais ou das funções da tireoide, por exemplo.

Causas da depressão pós-parto

Vários fatores físicos e emocionais podem causar a depressão pós-parto, como mudanças hormonais, quadro de depressão antes da gravidez, estresse durante a gravidez e privação  do sono durante a gravidez.

Além disso, dificuldade para amamentar, falta de apoio da família, gravidez não planejada, problemas no relacionamento, violência doméstica e problemas financeiros também podem favorecer o surgimento da depressão pós-parto.

Como é feito o tratamento

O tratamento da depressão pós-parto deve ser feito sob a orientação de um psiquiatra e/ou psicólogo, através de psicoterapia, remédios, exercícios e alimentação saudável, podendo variar de acordo com os tipos e intensidade dos sintomas.

Assim, algumas opções para o tratamento da depressão pós-parto são:

1. Psicoterapia

A psicoterapia é um um tratamento que pode ser usado para ajudar a mãe, o pai, ou outro companheiro, a lidarem com suas emoções e sentimentos de forma mais positiva, ajudando a diminuir sintomas como irritabilidade, ansiedade e estresse.

A psicoterapia deve ser orientada por um psicólogo ou psiquiatra e o tratamento é feito através de sessões individuais ou em grupo e duram de 45 a 60 minutos.

2. Remédios antidepressivos

Os remédios antidepressivos devem ser usados somente sob a orientação de um médico e podem ser indicados para complementar a psicoterapia. Alguns dos remédios que podem ser indicados são a sertralina, a paroxetina ou a nortriptilina, por exemplo. Conheça outros remédios indicados para depressão.

3. Atividades físicas

Fazer atividades físicas, como caminhada, corrida e natação, de 3 a 5 vezes por semana, ajuda a combater a depressão, porque estimula a produção de neurotransmissores que promovem o humor, o prazer e o bem estar físico e mental.

Além disso, as atividades físicas também ajudam a controlar os níveis de cortisol e adrenalina no organismo, que são os hormônios relacionados com  estresse, irritabilidade e ansiedade.

4. Alimentação balanceada

Uma alimentação balanceada também pode ajudar a combater os sintomas da depressão, melhorando o humor e o bem-estar. Alguns dos alimentos que ajudam a combater a depressão são a banana, o abacate, a amêndoa e os ovos, porque contêm triptofano, um aminoácido que promove a produção de serotonina, um neurotransmissor que regula o sono e o humor.

Além disso, a suplementação com ômega 3 também pode ser indicada pelo médico para complementar o tratamento da depressão pós parto, porque essa gordura saudável aumenta a produção de serotonina e dopamina, neurotransmissores responsáveis pela regulação  do humor e do bem estar.

Veja com a nutricionista Tatiana Zanin o que comer para melhorar o humor e o bem estar:

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em julho de 2022. Revisão médica por Dr. Gonzalo Ramirez - Clínico Geral e Psicólogo, em julho de 2022.

Bibliografia

  • CLEVELAND CLINIC. Yes, Postpartum Depression in Men Is Very Real. Disponível em: <https://health.clevelandclinic.org/yes-postpartum-depression-in-men-is-very-real/>. Acesso em 29 jul 2022
  • NHS. Overview - Postnatal depression. Disponível em: <https://www.nhs.uk/mental-health/conditions/post-natal-depression/overview/>. Acesso em 29 jul 2022
Mostrar bibliografia completa
  • SCARFF, R, Jonathan. Postpartum Depression in Men. Innovations in Clinical Neuroscience. Vo.. 16. 5-6.ed; 11-14, 2019
  • U.S DEPARTMENT OF HEALTH AND HUMAM SERVICES - OFFICE OF WOMENS HEALTH. Mental health conditions: Postpartum depression. Disponível em: <https://www.womenshealth.gov/mental-health/mental-health-conditions/postpartum-depression>. Acesso em 29 jul 2022
Revisão médica:
Dr. Gonzalo Ramirez
Clínico Geral e Psicólogo
Clínico geral pela UPAEP com cédula profissional nº 12420918 e licenciado em Psicologia Clínica pela UDLAP nº 10101998.

Tuasaude no Youtube

  • Alimentos para aumentar a SEROTONINA e ter bom humor!

    12:38 | 221498 visualizações
  • Alimentos para combater o estresse e a ansiedade

    02:05 | 484757 visualizações