Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Proctite: o que é, sintomas, causas e tratamento

A proctite é a inflamação do tecido que reveste o reto, a mucosa retal, devido a infecções, doença inflamatória intestinal, efeito colateral da radioterapia ou medicamento, o que leva ao aparecimento de alguns sintomas como dor no ânus ou reto, sangramento anal, presença de sangue e muco nas fezes e dificuldade para evacuar.

Na presença de sinais e sintomas indicativos de proctite, o recomendado é que o proctologista ou gastroenterologista seja consultado para que seja possível confirmar o diagnóstico e inciar o tratamento mais adequado, que pode envolver o uso de antibióticos ou remédios com efeito anti-inflamatório, como corticoides, mesalazina ou sulfassalazina, por exemplo, por via oral ou retal. Nos casos mais graves, pode até ser necessária a realização de cirurgia para remoção do tecido comprometido.

Proctite: o que é, sintomas, causas e tratamento

Sintomas de proctite

Os sintomas da proctite surgem à medida que ocorre a inflamação do reto, sendo os principais:

  • Dor no reto ou no ânus;
  • Dificuldade para evacuar;
  • Diarreia;
  • Sangramento anal;
  • Presença de sangue nas fezes;
  • Vontade de evacuar frequentemente;
  • Presença de muco nas fezes.

Nos casos mais graves de proctite, pode haver também a formação de úlceras profundas no tecido, que podem ser identificados durante a realização de exames de diagnóstico, mas que pode provocar dor e desconforto ao evacuar e presença de sangue e muco nas fezes.

O diagnóstico de proctite deve ser feito pelo proctologista ou gastroenterologista por meio da avaliação clínica e da solicitação de exames como anuscopia, sigmoidoscopia ou mesmo uma colonoscopia para avaliar o restante do intestino grosso. Pode ser também indicada a realização da biópsia do reto para identificar a gravidade e causa da inflamação, além de exames de sangue.

Proctite: o que é, sintomas, causas e tratamento

Principais causas

A proctite é mais frequente de acontecer em pessoas que possuem o sistema imunológico mais enfraquecido, seja devido a doenças, idade ou uso de medicamentos de forma frequente. As principais causas de proctite são:

  • infecções sexualmente transmissíveis, como herpes, gonorreia, sífilis, clamídia ou citomegalovírus, por exemplo, e afetam principalmente pessoas que realizam contato íntimo anal e que têm a imunidade enfraquecida;
  • Infecções, como esquistossomose retal, amebíase, ou provocada pela bactéria Clostridium difficile, que provoca uma intensa inflamação intestinal, chamada de colite pseudomembranosa, e que surge principalmente em pessoas que estão em tratamento com antibióticos;
  • Doença inflamatória intestinal, como doença de Crohn ou retocolite ulcerativa, que são alterações autoimunes que atingem o intestino e que podem provocar inflamações;
  • Proctite actínica, provocada pela ação da radioterapia, utilizada no tratamento do câncer;
  • Alterações nos nervos ou na circulação sanguínea do reto, como por uma isquemia ou doença reumática, por exemplo;
  • Colite alérgica, provocada pelo consumo de alimentos que causam alergia, como a proteína do leite de vaca, mais comum em bebês;
  • Colite medicamentosa, provocada pela ação de medicamentos, sobretudo antibióticos, que podem alterar a flora intestinal.

Também deve-se lembrar que lesões existentes no reto e ânus também podem ser sinal de câncer na região. É possível, ainda, que não seja identificada a causa da proctite, sendo assim classificada como proctite idiopática.

Como é feito o tratamento

O tratamento da proctite é feito de acordo com a sua causa e deve ser orientado pelo proctologista ou gastroenterologista. Assim, pode ser indicado o uso de antibióticos ou antivirais para tratar a infecção responsável pela proctite, ou remoção de alimentos ou medicamentos que podem estar piorando o quadro.

Remédios com efeito anti-inflamatório, seja por via oral ou retal, como corticoides, sulfassalazina ou mesalazina, por exemplo, pode ser indicados para aliviar os sintomas, principalmente nos casos de doença inflamatória intestinal. Nestes casos pode, ainda, ser necessário o uso de potentes medicamentos imunossupressores.

Nos casos mais graves, em que os sintomas não melhoram com o tratamento com remédios ou quando há diminuição da quantidade de sangue que chega ao local, o médico pode indicar a realização de cirurgia para retirada do tecido necrosado ou que esteja gravemente comprometido.

Tratamento natural

Durante o tratamento recomendado pelo médico, podem ser feitas algumas medidas caseiras para auxiliar a recuperação, mas jamais devem substituir a orientação do médico.

Assim, durante o tratamento é recomendado ter alguns cuidados com a dieta, dando preferência a alimentos de fácil digestão, como suco de frutas, cereais como arroz e macarrão de massa branca, carnes magras, iogurte natural, sopas e vegetais. Também é recomendado evitar alimentos com casca, sementes, nozes, milho, feijão, bebidas com gás, cafeína, álcool e alimentos picantes. Veja mais detalhes sobre a alimentação para inflamação do intestino.

Esta informação foi útil?

Sua opinião é importante! Escreva aqui como podemos melhorar o nosso texto:

Ficou alguma dúvida? Clique aqui para ser respondido.
Verifique o email de confirmação que lhe enviamos.
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Enviar Mensagem