Pielonefrite: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Drª Sylvia Hinrichsen
Infectologista
julho 2022

A pielonefrite é uma inflamação nos rins que normalmente acontece quando bactérias presentes no trato urinário sobem pelos ureteres e chegam aos rins, provocando inflamação e levando ao aparecimento de alguns sintomas como dor na região lombar, vontade constante de urinar, febre, mal-estar e dor pélvica.

Na presença de sinais e sintomas indicativos de pielonefrite é importante que o urologista seja consultado para que seja confirmado o diagnóstico e identificada a bactéria responsável pela inflamação e infecção nos rins.

O tratamento para pielonefrite é feito com antibióticos, de acordo com a orientação médica. É importante que o tratamento seja feito logo após o diagnóstico, pois assim é importante promover a eliminação da bactéria e evitar que a inflamação continue acontecendo e leve à perda da função dos rins.

Sintomas de pielonefrite

Os principais sintomas de pielonefrite são:

  • Dor na região lombar e pélvica;
  • Dor abdominal;
  • Dor e ardência ao urinar;
  • Vontade constante de urinar;
  • Urina com mau cheiro;
  • Mal-estar;
  • Febre;
  • Calafrios e suor excessivo;
  • Náuseas e vômitos;
  • Urina turva.

À medida que a bactéria se prolifera nos rins, é possível haver perda progressiva da função desse órgão devido à inflamação intensa, o que pode levar à insuficiência renal e, consequentemente, falência renal.

Tipos de pielonefrite

A pielonefrite pode ser classificada em dois tipos principais de acordo com a forma como se desenvolve:

  • Pielonefrite aguda, quando a infecção surge de forma repentina e intensa, desaparecendo ao fim de algumas semanas ou dias e comprometendo o funcionamento do rim, que pode ser reversível desde que o tratamento seja realizado corretamente;
  • Pielonefrite crônica, que é caracterizada por infecções bacterianas recorrentes e que não foram bem curadas, provocando inflamação prolongada e progressiva no rim e lesões graves que podem levar a insuficiência renal e, posteriormente, falência dos rins.

Assim, na presença de sinais e sintomas indicativos de pielonefrite, é importante que o urologista seja consultado para que sejam feitos exames que ajudem a confirmar o diagnóstico e identificar o microrganismo responsável pela infecção, sendo então possível iniciar o tratamento mais adequado, que normalmente envolve o uso de antibióticos.

Principais causas

A pielonefrite normalmente acontece como resultado de uma infecção urinária não tratada corretamente, em que as bactérias presentes no trato urinário sobem pelos ureteres e se instalam nos rins, onde proliferam e provoca inflamação. As principais bactérias relacionadas com a pielonefrite são Escherichia coli, Proteus sp., Klebsiella sp. e Pseudomonas aeruginosa.

Além disso, a pielonefrite pode também ser consequência de uma infecção generalizada, em que a bactéria que está causando infecção em outro órgão, chega à corrente sanguínea e consegue atingir os rins, onde permanece, resultando na pielonefrite.

Esse tipo de infecção é mais comum de acontecer em mulheres devido à proximidade entre o ânus e a uretra, o que favorece a ocorrência de infecções, no entanto pode acontecer também com mais facilidade em pessoas com hipertensão arterial, diabetes e em homens com hiperplasia prostática benigna.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da pielonefrite é feito pelo urologista por meio da avaliação dos sintomas apresentados pela pessoa, exame físico e resultado de exame de urina para identificar a presença de sangue, leucócitos e bactérias na urina, o que é normalmente indicativo de pielonefrite. Além disso, em alguns casos o médico pode indicar a realização de exames de imagem como raio-X, ultrassom e tomografia computadorizada para confirmar o diagnóstico.

A urocultura e o antibiograma também podem ser solicitados pelo médico com o objetivo de identificar qual o agente causador da pielonefrite e estabelecer a melhor linha de tratamento. Entenda como é feita a urocultura.

Tratamento da pielonefrite

O tratamento da pielonefrite geralmente é feito com antibióticos de acordo com o perfil de sensibilidade do microrganismo e deve começar o quanto antes para prevenir lesões nos rins e evitar que as bactérias se espalhem pela corrente sanguínea causando septicemia. Além disso, para aliviar a dor o médico pode indicar o uso de analgésicos e anti-inflamatórios.

A pielonefrite aguda, quando não tratada, pode favorecer a ocorrência de septicemia, abscesso renal, falência renal, hipertensão e pielonefrite crônica. Em caso de pielonefrite crônica, lesões graves no rim e insuficiência renal, além do uso de antibióticos, pode ser necessário fazer diálise todas as semanas para filtrar o sangue. Quando a pielonefrite é causada por obstrução ou malformação do rim, pode ser necessária a cirurgia para corrigir o problema.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em julho de 2022. Revisão médica por Drª Sylvia Hinrichsen - Infectologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE UROLOGIA. Diretrizes sobre infecções urológicas. Disponível em: <http://www.sbu.org.br/pdf/guidelines_EAU/infeccoes-urologicas.pdf>. Acesso em 05 abr 2021
  • ROQUE, Joana Marta C. M. A. Pielonefrite aguda: diagnóstico e tratamento. Trabalho de Conclusão de Curso, 2011. Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.
Revisão médica:
Drª Sylvia Hinrichsen
Infectologista
Médica infectologista, doutorada em Medicina Tropical pela Universidade Federal de Pernambuco, em 1995. Cremepe: 6522

Tuasaude no Youtube

  • Como identificar os sintomas e curar a INFECÇÃO URINÁRIA rapidamente

    07:47 | 433276 visualizações