Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Peste negra: o que é, sintomas, transmissão e tratamento

A peste bubônica, mais conhecida popularmente como peste negra, é uma doença grave e muitas vezes fatal causada pela bactéria Yersinia pestis, que é transmitida através das pulgas de animais roedores aos seres humanos.

Esta peste teve um surto muito importante na idade média, causando a morte de quase 30% da população da Europa, no entanto, nos dias de hoje é bastante rara, sendo mais frequente em alguns locais da África subsariana e nas ilhas de Madagáscar, por exemplo. Já no Brasil, os últimos casos relatados foram após o ano 2000, com apenas dois casos em todo o país, na Bahia e no Ceará.

Quando existe suspeita de peste negra é muito importante procurar ajuda médica o mais rápido possível, pois pessoas que não fazem o tratamento em 48 horas correm elevados riscos de vida.

Peste negra: o que é, sintomas, transmissão e tratamento

Principais sintomas

Existem 3 tipos principais de peste, que variam de acordo com a forma como a doença foi transmitida e os sintomas apresentados:

1. Peste bubônica

É o tipo mais conhecido de peste que causa sintomas como:

  • Febre acima de 38º C;
  • Arrepios constantes;
  • Dor de cabeça intensa;
  • Cansaço excessivo;
  • Ínguas muito inchadas e doloridas.

Geralmente, as ínguas ficam inflamadas junto do local da picada da pulga, mas se o tratamento não foi iniciado, a infecção pode se espalhar pelo sistema linfático, afetando todo o corpo.

2. Peste septicêmica

Neste tipo de peste, além do cansaço excessivo, da febre e dos arrepios, também podem surgir outros sinais como dor abdominal forte e manchas roxas na pele, causadas pelo sangramento debaixo da pele. Além disso, alguns locais da pele podem ficar negros devido à morte dos tecidos, sendo que isso é mais comum no nariz e nos dedos dos pés e mãos.

3. Peste pneumônica

Esta peste é acompanhada do desenvolvimento de uma pneumonia e, por isso, alguns sinais frequentes incluem dificuldade para respirar, sensação de falta de ar, dor no peito e tosse constante que, em alguns casos, pode incluir a presença de sangue.

A peste bubônica pode surgir pela inalação de partículas contaminadas pelas fezes de ratos, mas também é uma complicação comum dos outros tipos de peste, especialmente quando o tratamento não é iniciado.

Como é feito o diagnóstico

Normalmente, o diagnóstico de peste é suspeitado quando se esteve em locais com casos da doença e surgem sintomas típicos, como inchaço das ínguas, febre e cansaço excessivo.

No entanto, é possível confirmar o diagnóstico através do exame de sangue ou biópsia de um pedaço de tecido retirado de uma íngua, por exemplo.

Como pode acontecer a transmissão

A transmissão da peste bubônica é feita através dos roedores, especialmente os ratos, mas normalmente a doença chega até aos humanos através da pulga. Isso acontece, porque após causar a morte ao rato, a pulga geralmente migra para outros corpos para continuar se alimentando do sangue.

Após picar a pele do ser humano, a bactéria da pulga instala-se no nódulo linfático mais próximo e multiplica-se ali, gerando todos os sintomas relacionados à peste.

Como é feito o tratamento

O tratamento para qualquer um dos tipos da peste deve ser feito com o uso de antibióticos, como gentamicina, estreptomicina, tetraciclina ou doxiciclin, por 10 dias seguidos. Durante o tratamento é preciso ficar internado no hospital em um quarto de isolamento, para evitar passar a doença para outras pessoas.

Idealmente, o tratamento deve ser iniciado logo que começam os primeiros sintomas, para garantir o sucesso. Dessa forma, se existir suspeita da doença é muito importante ir rapidamente ao hospital para confirmar o diagnóstico e iniciar o uso do antibiótico.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...