Pênis ressecado: 7 principais causas e o que fazer

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
março 2022

O ressecamento do pênis se refere a quando a glande do pênis não apresenta lubrificação e, por isso, apresenta uma aparência seca. No entanto, nesses casos, também é possível que o prepúcio, que é a pele que cobre a glande, possa ficar ressecado e com pequenas rachaduras.

Embora a maioria dos casos não tenha grande significado, sendo apenas sinal de uma reação alérgica temporária, por exemplo, em outros casos pode ser sinal de um problema mais grave como uma infecção ou um problema de pele crônico.

Assim, se o ressecamento for um desconforto constante, ou se demorar mais de 1 semana para melhorar, é recomendado consultar um médico de família ou urologista para identificar a causa e iniciar o tratamento mais adequado, que pode envolver o uso de pomadas, antifúngicos ou apenas a adoção de alguns cuidados diários.

1. Alergia no pênis

A presença de uma reação alérgica no pênis é relativamente comum pois pode ter várias causas. Algumas das mais comuns incluem o uso de roupa íntima sintética e muito apertada, uso de produtos íntimos com químicos, como parabenos ou glicerina, assim como o uso de preservativos de látex.

Nestes casos, além do ressecamento do pênis também podem surgir outros sinais como vermelhidão no local, inchaço ou coceira, por exemplo. Veja que outras causas podem causar coceira no pênis.

O que fazer: é importante tentar identificar o que está causando a alergia para evitar o contato com o tecido ou a substância. Além disso, deve-se consultar o dermatologista ou o urologista, que pode recomendar produtos de higiene pessoal que não tenham muitos produtos químicos ou até preservativos feitos de outros materiais que não seja o látex, para evitar a alergia na pele.

2. Uso de alguns sabonetes

O uso de sabonetes na região íntima pode causar o ressecamento da pele, pois essa é uma área muito sensível que facilmente é agredida pelos químicos presentes em muitos sabonetes. Quando isso acontece, surge uma ligeira inflamação da pele que, embora não seja visível a olho nu, pode causar o ressecamento da glande e até do prepúcio.

O que fazer: muitas vezes a higiene íntima pode ser feita somente com o uso de água, no entanto, caso seja necessário usar um sabonete é aconselhado usar um sabão próprio para a região íntima ou que seja adequado para pele sensível.

Veja no vídeo a seguir como lavar o pênis corretamente para evitar alergias e irritações:

3. Uso de roupas apertadas

O uso de roupas apertadas, assim como de materiais sintéticos, pode causar aumento da umidade na região genital, o que favorece o crescimento de fungos e, consequentemente, o ressecamento no pênis e outros sintomas como vermelhidão e até coceira na região.

O que fazer: é recomendado usar roupas íntimas de algodão para evitar a umidade excessiva, além de optar por roupas mais largas e folgadas, ou calças menos apertadas que permitam a passagem de ar e a ventilação da região genital.

4. Atividade sexual prolongada

Uma atividade sexual muito prolongada, seja por masturbação ou relação sexual, pode fazer com que o lubrificante natural produzido pelo pênis não seja suficiente e, nesses casos, pode acabar surgindo o ressecamento. Mesmo que não seja muito prolongada, a atividade sexual muito frequente também podem resultar no mesmo problema.

O que fazer: o ideal é utilizar um lubrificante durante esse tipo de atividade sexual, especialmente se não estiver sendo utilizado um preservativo. As melhores opções são os lubrificantes à base de água, pois têm menores chances de causar alergia e possuem menos químicos que possam danificar a pele.

5. Infecção no pênis

As infecções no pênis normalmente acontecem pelo crescimento excessivo de bactérias ou fungos e podem acontecer por má higiene da região, mas também podem surgir após uma alergia no local ou pela transmissão de uma doença sexual, como clamídia ou gonorreia, por exemplo. Confira uma lista das infecções genitais mais comuns e como identificar.

Assim como na alergia, a infecção quase sempre é acompanhada de outros sintomas como vermelhidão, inchaço, coceira, descamação, dor para urinar e até saída de pus pela uretra.

O que fazer: sempre que existir suspeita de uma infecção, especialmente pela dor a urinar ou saída de pus, é muito importante consultar um médico de família ou urologista para identificar o tipo de infecção e iniciar o tratamento mais adequado, que pode incluir o uso de antibióticos ou antifúngicos, tanto na forma de pomada como de comprimido.

6. Balanite

A balanite é uma inflamação na cabeça do pênis que causa sintomas como vermelhidão, coceira, inchaço e ressecamento do pênis. Na maioria dos casos, a balanite é causada por uma infecção pelo fungo Candida albicans, e não é considerada uma infecção sexualmente transmissível. Além disso, a balanite também pode ocorrer em meninos, sendo mais frequente naqueles que não foram circuncidados, pois é mais fácil acumular secreções, umidade e bactérias sobre o prepúcio.

O que fazer: deve-se adotar algumas medidas, como a limpeza adequada do pênis e o uso de roupas íntimas de algodão. Além disso, no caso de infecção, o urologista pode recomendar o uso de pomadas antifúngicas, antibióticas ou corticóides, por exemplo. Confira todas as opções de tratamento para a balanite.

7. Problema da pele

Embora seja mais raro, alguns problemas de pele também podem estar na origem do ressecamento no pênis. Alguns dos problemas dermatológicos mais comuns que podem apresentar esse sintoma incluem o eczema ou a psoríase, por exemplo. Porém, é comum que essas doenças afetem mais a outros locais da pele e, por isso, são mais facilmente identificáveis quando aparecem em outro local.

Geralmente, estas situações são mais comuns em homens com pele sensível, com alergias ou que apresentam histórico familiar de problemas de pele. Veja quais os sintomas mais comuns de psoríase ou de eczema.

O que fazer: deve-se consultar um dermatologista ou um urologista caso exista suspeita de um problema de pele, para iniciar o tratamento mais adequado.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em março de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em outubro de 2019.

Bibliografia

  • SHAH, Manu Shah; SILVA, Ariyaratne. The Male Genitalia: A Clinician's Guide to Skin Problems and Sexually Transmitted Infections. Auckland: Radcliffe publishing, 2008.
  • THE NATIONAL ECZEMA SOCIETY. Male genital eczema. 2019. Disponível em: <http://www.eczema.org/download-factsheets---eczema>. Acesso em 14 nov 2019
Mostrar bibliografia completa
  • HALL, Anthony. Atlas of male genital dermatology. 1.ed. Australia: Springer, 2019.
  • HEALTHLINE. What Causes Dry Skin on the Penis?. Disponível em: <https://www.healthline.com/health/mens-health/dry-skin-on-penis>. Acesso em 06 mar 2019
  • LYBRATE. When to Worry About Dry Penis Skin?. Disponível em: <https://www.lybrate.com/topic/when-to-worry-about-dry-penis-skin/52793357b52db346e7eefdcf9e483765>. Acesso em 06 mar 2019
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.

Tuasaude no Youtube

  • Como LAVAR O PINTO do jeito certo

    02:40 | 215223 visualizações