Oxicodona: o que é, para que serve, como tomar e efeitos colaterais

Atualizado em fevereiro 2024

Oxicodona é um remédio opioide com ação analgésica, ansiolítica e sedativa, sendo indicado para o alívio de dores agudas ou crônicas, moderadas ou intensas, quando o uso de outros medicamentos não são capazes de controlar a dor.

Esse medicamento é comercializado na forma de comprimidos revestidos, sozinho ou em associação a a naloxona, que ajuda a prevenir a prisão de ventre e os sintomas de superdosagem causada pelos opioides, por exemplo.

Leia também: Opioides: o que são, para que servem, tipos e efeitos colaterais tuasaude.com/opioides

A oxicodona é comercializada em farmácias ou drogarias na forma genérica, como cloridrato de oxicodona, ou com os nomes comerciais de Oxycontin, Oxypynal ou Targin, vendida somente com prescrição médica e retenção da receita pela farmácia.

Imagem ilustrativa número 1

Para que serve

A oxicodona é um opioide analgésico indicado para o tratamento de dores agudas ou crônicas, que variam de moderadas a intensas.

Esse medicamento é recomendado principalmente quando é necessário o uso de analgésicos 24 horas por dia, por um período prolongado, e quando o uso de outros medicamentos não são capazes de controlar a dor.

Receba um tratamento mais completo!

Obtenha orientação especializada sobre o que tomar para se recuperar mais rápido.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Como tomar

A dose recomendada de oxicodona para adultos varia de acordo com a intensidade da dor e o uso de outros remédios para dor, podendo ser recomendado pelo médico de 5 a 20 mg de oxicodona, a cada 12 horas. A dose máxima não deve ultrapassar 80 mg por dia.

Os comprimidos de oxicodona devem ser engolidos inteiros, com um copo de água, não podendo ser partidos, mastigados ou macerados.

Possíveis efeitos colaterais

Alguns efeitos colaterais mais comuns que podem surgir com o uso da oxicodona são tontura, dor de cabeça, sonolência, náusea, vômito, diminuição do apetite, ansiedade, nervosismo, depressão, tremor, dor abdominal, prisão de ventre, diarreia, coceira na pele.

Embora sejam raros, os efeitos colaterais graves que também podem surgir são pressão baixa, palpitações, dificuldades para respirar e coma, que devem ser tratados na emergência e com cuidados médicos intensivos.

O uso prolongado da oxicodona pode causar tolerância, o que leva ao aumento da dosagem do medicamento, podendo provocar dependência.

Além disso, o uso dos comprimidos de oxicodona quebrados, mastigados ou macerados, provoca uma rápida absorção desse medicamento pelo organismo, podendo levar à morte.

Quem não deve usar

A oxicodona não deve ser usada por crianças ou por pessoas com alergia a esse medicamento ou outros componentes da fórmula.

Pessoas com doença pulmonar obstrutiva grave, hipercapnia, insuficiência cardíaca devido à doença pulmonar, asma severa, insuficiência respiratória, insuficiência hepática e íleo paralítico, uma condição onde há perda temporária do movimento do intestino, não devem usar a oxicodona.

Além disso, esse medicamento não deve ser usado por mulheres grávidas ou em período de amamentação sem a orientação de um médico.