Para que serve o óleo se alho em cápsulas e como tomar

O óleo de alho em cápsulas é um suplemento alimentar que serve para principalmente para reduzir o colesterol, mantendo um bom funcionamento do coração, mas também para fortalecer o sistema imune, devido presença da alicina e enxofre, que são os principais compostos bioativos do alho, por isso quanto maior concentração de alicina, mais eficiente será o suplemento no combate ao colesterol.

O alho em cápsulas como suplemento alimentar pode ser comprado em farmácias e lojas de produtos naturais ou através da internet, mas é importante verificar no rótulo a matéria prima porque o alho cru é mais potente que o alho cozido e o alho fresco é mais potente que o alho velho.

Para que serve o óleo se alho em cápsulas e como tomar

As cápsulas de alho possuem diversas propriedades e, por causa disso, podem servir para diversas funções no organismo, sendo as principais:

1. Evitar doenças do coração

O óleo de alho em cápsulas contém alicina e outros compostos sulfurados que ajudam a diminuir o colesterol "ruim" (LDL), aumentar os níveis de colesterol "bom" (HDL) e diminuir os níveis de triglicerídeos, contribuindo para melhorar a saúde cardiovascular e prevenindo doenças como AVC, aterosclerose e infarto.

2. Controlar a pressão arterial

Os compostos bioativos presentes nesse óleo são capazes de promover o relaxamento dos vasos sanguíneos, fortalecer a parede vascular e melhorar o fluxo de sangue, diminuindo a pressão. Além disso, também poderia inibir a agregação plaquetária, reduzindo o risco de trombos ou coágulos sanguíneos.

3. Prevenir o envelhecimento prematuro

O alho contém compostos sulfurados que exercem ação antioxidante no organismo, o que reduz o estresse oxidativo e evitam o dano causado pelos radicais livres às células, prevenindo o surgimento de doenças crônicas e melhorando o aspecto da pele.

4. Fortalecer o sistema imune

As cápsulas de alho criam um efeito imunomodulador no organismo, o que faz com que haja um aumento das células de defesa, as quais atuam combatendo infecções causadas por bactérias, vírus e fungos. A principal responsável por esse efeito é a alicina, que inibe o crescimento e a multiplicação desses microrganismos.

Por isso, o óleo de alho em cápsulas poderiam ser úteis para tratar infecções bacterianas vaginais, gripe, parasitoses, entre outros.

5. Melhorar a memória e o aprendizado

As cápsulas de alho poderiam proteger as células do cérebro de compostos tóxicos e favorecer a formação de neurônios graças ao seu poder antioxidante, melhorando a memória e a aprendizagem, além de poder também atuar na prevenção de doenças como o Alzheimer.

6. Aliviar os sintomas da osteoartrite

Devido ao seu potencial anti-inflamatório, o óleo de alho em cápsulas poderia ajudar a aliviar os sintomas da osteoartrite e prevenir o agravamento da doença.

7. Prevenir o câncer

O alho possui efeito antioxidante, imunomodulador, anti-inflamatório e imunoestimulante e, por isso, poderia exercer efeito antitumoral e anticancerígeno, pois alguns estudos tanto em pessoas quanto em animais indicaram que houve um aumento na quantidade de células que são responsáveis por destruir as células infectadas e cancerígenas.

8. Favorecer a perda de peso

Alguns estudos em animais e in vitro sugerem que o azeite de alho poderia favorecer a perda de peso, já que poderia evitar o acúmulo de gordura no organismo, diminuir a proliferação das células de gordura e aumentar a adiponectina, que é uma enzima que participa do metabolismo das gorduras e açucares. Além disso, é capaz de aumentar a termogênese, favorecendo a queima de gordura.

Confira no vídeo a seguir outros benefícios do alho:

Como tomar óleo de alho

Existe alguma controvérsia nos estudos feitos sobre a eficiência e a dose mais recomendada do óleo de alho em cápsulas. Os estudos do efeitos das cápsulas de alho têm sido feitos principalmente em animais e, por esse motivo, são necessários mais estudos que permitam confirmar os seus benefícios e determinar a dose adequada para consumo.

De forma geral, o consumo varia entre 600 a 900 mg por dia, dividido da seguinte forma: 300 mg 2 vezes ao dia durante 12 semanas ou 300 mg, 3 vezes ao dia durante 8 semanas, de preferência antes das refeições.

No entanto, é importante ler o rótulo e seguir as indicações do médico ou nutricionista, que podem adequar a cada caso.

Possíveis efeitos colaterais

As cápsulas de óleo de alho, normalmente não provocam efeitos colaterais, no entanto, em alguns casos, pode provocar náuseas, diarreia, vômitos e mal-estar no estômago.

Alguns estudos feitos em animais indicam que ingerir mais do que 25 gramas de alho cru ou mais de 400 mg/kg do óleo de alho pode resultar em toxicidade para as células dos testículos.

Contraindicações do óleo de alho

A ingestão de cápsulas de óleo de alho pode não estar indicada para mulheres que estão a amamentar porque pode alterar o sabor do leite materno, assim como também não é recomendado para crianças com menos de 3 anos de idade e dias antes de cirurgia, pois pode interferir na coagulação sanguínea e causar hemorragias durante o procedimento. Além disso, deve ser evitado por pessoas com alergia a alho.

Também não é recomendado o uso do óleo de alho em cápsulas quando se está fazendo uso de algum medicamento, como anticoagulantes orais, como a Varfarina, antirretrovirais, como Saquinavir e Ratinovir, anti hipertensivos e analgésicos, como o Paracetamol.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • BAERY Nasrin et al. HERBAL REMEDIES USED IN TREATMENT OF BACTERIAL VAGINITIS: A MINI-REVIEW. Indo American Journal of Pharmaceutical Sciences. 4. 11; 3830-3839, 2017
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE E ANVISA. MONOGRAFIA DA ESPÉCIE Allium sativum (ALHO). 2015. Disponível em: <https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/setembro/11/Monografia-Allium.pdf>. Acesso em 29 Abr 2020
  • TALBOTt, Shawn M; HUGHES, kerry. Suplementos Dietéticos para Profissionais de Saúde. 1º Edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, ltda, 2008. 163-165.
  • EXAMINE.COM. Garlic. Disponível em: <https://examine.com/supplements/garlic/research/#longevity>. Acesso em 20 Abr 2020
Mais sobre este assunto: