Como saber se a criança está acima do peso e o que fazer

Para saber se a criança está acima do peso, é importante que sejam feitas consultas periódicas com o pediatra ou um clínico geral que vão verificar a saúde geral da criança, assim como o peso, a altura e a circunferência abdominal.

Se a criança estiver acima do peso, é recomendado que os pais ou responsáveis participem na mudança dos hábitos alimentares da criança, priorizando alimentos naturais, como frutas, vegetais, cereais, leguminosas e proteínas magras e evitando alimentos muito gordurosos, com açúcar e frituras. Para tratar o excesso de peso, é importante que a criança pratique atividades diariamente, incluindo esportes ou brincadeiras, como pular corda ou gincanas.

O excesso de peso ou a obesidade infantil podem ser causados por fatores genéticos, ambientais ou estilo de vida e aumentam o risco de a criança desenvolver problemas de saúde. Por isso, em alguns casos, pode ser que o médico também prescreva alguns medicamentos para evitar ou tratar problemas, como diabetes, pressão alta, colesterol alto ou gordura no fígado, por exemplo.

Como saber se a criança está acima do peso e o que fazer

Como saber se a criança está acima do peso

Para saber se a criança está acima do peso, o ideal é que seja avaliada pelo pediatra ou por um clínico geral, que vão verificar o hábito alimentar, o peso, a altura e a circunferência abdominal.

Para verificar no dia a dia se a criança está acima do peso, pode-se também observar alguns sinais, como:

  • Ronco durante o sono;
  • Cansaço mesmo após dormir muitas horas; 
  • Falta de ar em alguns momentos ao longo do dia;
  • Cansaço após realizar atividades simples, como subir escadas ou caminhar até o ponto de ônibus.

Além de observar os sinais, é importante que seja feita a avaliação do Índice de Massa Corporal da criança (IMC) para verificar se a criança está dentro do peso ideal para a sua idade. Para isso, insira na calculadora a seguir o peso, a altura e a idade da criança:

Erro
help
anos
Erro
help
cm
Erro
help
kg
Erro
help
Imagem que indica que o site está carregando

Caso o resultado do IMC esteja acima do recomendado, é importante que o pediatra e o nutricionista sejam consultados, para garantir o desenvolvimento saudável da criança, evitando problemas de saúde, como diabetes, obesidade ou doenças do coração.

A infância é uma etapa da vida em que não deve haver restrição de nutrientes e, por isso, é importante que seja feita uma avaliação nutricional completa para montar um plano alimentar adequado para os hábitos de vida e necessidades da criança.

Como tratar o excesso de peso

O tratamento do excesso de peso ou da obesidade infantil deve ser feito de forma gradativa e sob orientação do pediatra e de um nutricionista, podendo ser necessário, em alguns casos, o acompanhamento psicológico também.

Normalmente, o tratamento para o excesso de peso ou obesidade infantil é baseado em mudanças no hábito alimentar da criança. Algumas vezes o hábito alimentar de toda a família também precisa ser modificado, já que os alimentos servidos para a criança normalmente é o mesmo tipo de alimento que os pais, irmãos e outros familiares comem.

Além disso, para ajudar no emagrecimento da criança, é recomendado aumentar os níveis de atividade física diária. É importante que toda a família ou responsáveis pela criança também se envolvam nas atividades de dança, futebol ou vôlei, por exemplo, pois isso estimula a criança a adquirir e manter os novos hábitos.

Em casos mais raros, o médico pode recomendar o uso de medicamentos para ajudar a diminuir o apetite, diminuir a absorção de gordura dos alimentos ou tratar a doença causada pelo excesso de peso ou obesidade.

Veja com a nossa nutricionista algumas dicas para ajudar a criança a perder peso:

Como melhorar a alimentação

Os pais ou responsáveis devem ajudar a criança a melhorar a alimentação e, para isso, algumas dicas são:

  • Evitar comprar e oferecer alimentos industrializados, como  biscoitos, refrigerantes, bolos e refeições prontas congeladas, doces, salgadinhos, fast food ou sorvetes, pois são ricos em açúcar e gordura;
  • Priorizar carnes magras, como frango, ovos ou peixes;
  • Oferecer 3 porções de frutas frescas ao longo do dia, como banana, laranja, morango, kiwi, caqui, mamão, tangerina ou melão;
  • Não deixar a criança pular refeições, mantendo intervalo de 3 horas entre as refeições, que incluem café da manhã, lanche da manhã e da tarde, almoço e jantar;
  • Incluir 2 porções de vegetais frescos no dia, como vagem, chuchu, cenoura, abobrinha, brócolis, tomate, berinjela ou cogumelos;
  • Priorizar cereais integrais, como pão integral, arroz integral ou macarrão integral;
  • Preparar os alimentos no vapor, ensopados, assados ou grelhados, evitando frituras e alimentos com molhos;
  • Não oferecer refrigerantes, dando preferência à água e sucos de fruta naturais e sem açúcar;
  • Dar bastante água pura ao longo do dia, pois muitas crianças só sabem que estão com sede quando já estão quase desidratadas e podem confundir fome com sede;
  • Manter a mesma alimentação para toda a família (exceto em casos de doença), pois a criança sente vontade de comer o que o irmão, os pais ou os responsáveis comem também;
  • Evitar usar sal e açúcar nas refeições e não colocar saleiro e açucareiro na mesa;
  • Comprar um prato de tamanho infantil, pois ajuda no controle da quantidade da refeição da criança;
  • Evitar distrações durante a refeição, sem o uso de televisão, celular, tablet ou computador à mesa.

Além disso, é fundamental que a família ou responsáveis façam o máximo possível de refeições à mesa junto com a criança, para fortalecer as relações de afeto e para aprender ou reaprender a comer com calma, mastigar bem os alimentos, sentindo os sabores e texturas diferentes e até mesmo para saber reconhecer se já estão saciados ou se ainda têm fome.

Confira outras dicas sobre como comer para perder peso de forma saudável:

Cardápio para a criança perder peso

A tabela a seguir  traz um cardápio de 3 dias para ajudar a criança a perder peso:

Refeição

1º dia

2º dia

3º dia

Café da manhã

200 ml de leite de vaca semidesnatado sem açúcar com 1 col de sobremesa de cacau em pó + ½ pão integral com 1 fatia média de queijo tipo Minas frescal

200 ml de leite de vaca semidesnatado sem açúcar + ½ pão integral com omelete de 1 ovo

200 ml de leite de vaca semidesnatado sem açúcar + ½ pão integral com 1 col sobremesa de creme de ricota

Lanche da manhã

100 g de iogurte desnatado ou semidesnatado + 1 pera

100 g de iogurte desnatado ou semidesnatado + 1 caqui

100 g de iogurte desnatado ou semidesnatado + 1 fatia pequena de melão

Almoço

1 prato de sobremesa com couve refogada e tomate cru fatiado + 1/2 filé de tilápia grelhada + 3 col sopa de arroz integral + 2 col de sopa de salada de grão de bico + 1 goiaba

1 prato de sobremesa de salada de alface, rúcula, pepino, tomate, e agrião + 1 coxa de frango ensopada com 1 col de quiabo + 2 col sopa de feijão + 3 col sopa de batata cozida + 1 tangerina

1 prato de sobremesa de ensopado de legumes com cenoura, chuchu, repolho e berinjela + 1 ovo cozido + 3 col. sopa de aipim cozido + 2 col. sopa de salada de soja + ¼ de mamão papaia

Lanche da tarde

1 manga pequena

½ abacate pequeno picado sem açúcar

1 banana

Jantar

1 prato de sobremesa de brócolis e abobrinha ensopados + 1 posta de peixe ensopado + 3 col sopa de arroz integral + 2 col de sopa de feijão + 4 morangos pequenos

1 prato de sobremesa de vagem, couve-flor e cenoura  refogados + 1/2 filé de frango grelhado + 2 colheres de sopa de macarrão integral com molho de tomate caseiro + 2 colheres de salada de feijão fradinho + 1 maçã

1 prato de sobremesa de repolho, cenoura e pimentão refogados + 1/2 posta de salmão assado  + 3 col sopa de arroz integral + 2 col sopa de salada de lentilha + 10 uvas

É importante ressaltar que a quantidade de alimentos e calorias variam de acordo com a idade, o peso, a idade e o estado de saúde da criança. Por isso, é recomendado que se passe por uma consulta com um nutricionista para elaborar um plano alimentar de acordo com as necessidades nutricionais da criança.

Como a criança pode gastar mais energia

A prática regular de atividade física é fundamental para ajudar a criança a perder peso. Algumas dicas para ajudar os pais ou responsáveis a incentivar o exercício incluem:

  • Limitar o uso de computador e televisão em até 2 horas por dia;
  • Procurar atividades que a criança goste de fazer;
  • Incentivar a família a participar regularmente de atividades ao ar livre junto com a criança;
  • Permitir que a criança experimente várias atividades, como judô, natação, karatê, escolinha de futebol ou dança, por exemplo, que precisam ser feitas pelo menos por 60 minutos por dia.

Estas dicas evitam que a criança mantenha um estilo de vida sedentário, ajudando na perda do excesso de peso e na prevenção de algumas doenças.

Causas do sobrepeso e da obesidade infantil

As causas do sobrepeso e da obesidade infantil estão relacionadas com a alimentação inadequada, o sedentarismo e hábitos de vida que são mantidos dentro de casa. Já o fator genético e alterações hormonais são os que menos contribuem para o excesso de peso.

Assim, os principais fatores envolvidos na obesidade infantil são:

1. Alimentação inadequada

Um dos principais fatores relacionados à obesidade infantil é a alimentação inadequada, quando a pessoa come mais alimentos do que precisa para viver e gasta pouca energia. Assim, o corpo armazena essas calorias extras para uma necessidade futura, em forma de gordura, primeiro na barriga e depois por todo corpo.

2. Vida sedentária

Não praticar exercícios de forma regular faz com que o metabolismo do corpo fique baixo. Assim, o corpo gasta menos calorias do que a pessoa ingere, favorecendo o ganho de peso. Hoje em dia, as crianças se tornaram mais paradas, preferindo jogos eletrônicos, computadores e TV, que aliadas a uma alimentação exagerada, leva ao excesso de peso. Confira algumas formas de incentivar a criança a fazer atividade física.

3. Alterações genéticas

Apesar de muito raros, a herança genética pode influenciar no peso. Ter pais obesos faz com que os filhos tenham mais chances de obesidade porque parecem transmitir os genes que influenciam o peso, a distribuição de gordura corporal, o gasto energético e as chances de se ganhar peso.

Contudo, o fator ambiental e comportamental, incluindo a prática de atividades físicas, a alimentação e o ambiente familiar são os fatores que mais têm contribuído para o excesso de peso e obesidade.

Esta informação foi útil?
Atualizado e revisto clinicamente por Tatiana Zanin, Nutricionista - em Setembro de 2021.

Bibliografia

  • SAHOO, Krushnapriya et al. Childhood obesity: causes and consequences. Journal of Family Medicine and Primary Care. Vol.4. 2.ed; 187-192, 2015
  • ÁLVAREZ María Luisa et al. Nutrición en pediatría . 2ª. Caracas, Venezuela: Cania, 2009. 563-600.
  • ZAYAS, Georgina et al. Obesidad en la infancia: Diagnóstico y tratamiento. Revista Cubana de Pediatría. Vol.74, n.3. 2002
  • XU, Shumei; XUE, Ying. Pediatric obesity: Causes, symptoms, prevention and treatment. Exp Ther Med. Vol.11, n.1. 15-20, 2015
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE, DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA, COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO. Guia alimentar para crianças menores de 2 anos. 2018. Disponível em: <https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/julho/12/Guia-Alimentar-Crianca-Versao-Consulta-Publica.pdf>. Acesso em 26 Ago 2021
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Manual de orientação: Obesidade na infância e adolescência. 3ª edição. 2019. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/Manual_de_Obesidade_-_3a_Ed_web_compressed.pdf>. Acesso em 26 Ago 2021
  • Referente a: "Calculadora do IMC Infantil":

  • OMS. Curvas de crecimiento de la OMS. Disponível em: <https://www.who.int/childgrowth/standards/es/>. Acesso em 15 Jul 2021
Mais sobre este assunto: