Hiperidrose: o que é, sintomas, causas e tratamento

Setembro 2021

A hiperidrose é uma condição em que a pessoa apresenta suor excessivo, que pode surgir sem motivo aparente, mesmo quando não está muito calor ou quando não se está praticando atividade física. O excesso de suor é mais comum nas axilas, palma das mãos e pés, mas pode acontecer em qualquer outra parte do corpo.

Essa condição ocorre devido a uma atividade excessiva das glândulas responsáveis pela produção de suor e é mais comum quando existem outros casos de hiperidrose na família, embora também possa ser pode ser influenciada por alterações hormonais e/ou emocionais.

O tratamento da hiperidrose deve ser orientado pelo dermatologista ou clínico geral que pode indicar o uso de desodorantes antitranspirantes, cremes ou até injeções de botox, por exemplo, que ajudam a diminuir a intensidade do suor e melhoram a qualidade de vida.

Hiperidrose: o que é, sintomas, causas e tratamento

Principais sintomas

O principal sintoma da hiperidrose é a produção excessiva de suor que excede muito a transpiração considerada “normal”. Esse excesso de suor pode afetar qualquer parte do corpo, mas é mais comum na palma das mãos, na sola dos pés ou nas axilas.

Alguns sinais que ajudam a identificar a presença de hiperidrose, incluem:

  • Suor excessivo que ocorre por pelo menos seis meses sem motivo aparente;
  • Excesso de suor que surge em ambos os lados do corpo em aproximadamente a mesma quantidade;
  • Episódios de suor excessivo pelo menos uma vez por semana;
  • Presença de suor mesmo quando se está em repouso;
  • Suor que interfere nas atividades diárias como trabalho ou relacionamentos;
  • Suor excessivo que inicia antes dos 25 anos de idade.

Embora na maioria dos casos, a hiperidrose não esteja relacionada a problemas graves de saúde, em alguns casos pode indicar algum problema que precisa ser avaliado pelo dermatologista para se iniciar o tratamento mais adequado.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico de hiperidrose deve ser feito pelo dermatologista ou clínico geral a partir dos sintomas, da avaliação do histórico pessoal e familiar.

Além disso, o médico pode indicar a realização de exames de sangue e de urina para verificar se existe outra condição que possa estar causando a hiperidrose, como diabetes, hipoglicemia ou hipertireoidismo, por exemplo.

O dermatologista também pode indicar a realização de exames mais específicos, como o teste de amido iodo ou o teste de papel, para identificar as áreas de maior produção de suor no corpo e a gravidade da hiperidrose.

Possíveis causas

As causas da hiperidrose podem ser classificadas de acordo com a origem e a região do corpo que apresenta suor excessivo e incluem:

1. Hiperidrose primária

A hiperidrose primária, ou hiperidrose essencial, é a forma mais comum dessa condição que ocorre por um excesso de atividade dos nervos das glândulas sudoríparas, que geram sinais excessivos para a produção de suor, mesmo que não tenham sido ativados por atividade física ou aumento da temperatura.

Esse tipo de hiperidrose afeta principalmente a sola dos pés, as palmas das mãos e o rosto, e geralmente começa na infância, sendo relacionado a história de hiperidrose na família.

2. Hiperidrose secundária

A hiperidrose secundária, também chamada de hiperidrose generalizada, é caracterizada pela produção de suor excessivo em todo o corpo, mas também pode ocorrer em alguma parte específica do corpo, sendo mais comum na idade adulta. Este tipo de hiperidrose normalmente está relacionado a algum problema de saúde como:

  • Diabetes;
  • Menopausa;
  • Hipertireoidismo;
  • Hipoglicemia;
  • Infarto;
  • Doença de Parkinson;
  • Lesão na medula espinhal;
  • Infecções, como tuberculose ou HIV.

Além disso, a hiperidrose secundária pode ser causada pelo uso de alguns remédios que têm como efeito colateral o aumento da produção de suor, como a nortriptilina ou a desipramina.

É importante procurar ajuda médica imediatamente sempre que o suor excessivo se inicia de repente, especialmente se for acompanhado de sintomas como tontura, dor no peito, dificuldade para respirar, náusea ou febre, ou se surgir suor à noite sem motivo aparente, pois podem indicar problemas sérios de saúde, como AVC ou câncer.

Como é feito o tratamento

O tratamento da hiperidrose é feito pelo dermatologista de acordo com o que causou essa condição. Nos casos da hiperidrose secundária, o tratamento deve ser feito especificamente para a doença que está provocando a produção excessiva de suor.

No entanto, se a hiperidrose não for causada por nenhum problema de saúde, o tratamento deve ser feito para controlar o suor excessivo, conforme indicação médica, mas normalmente inclui:

  • Desodorantes antitranspirantes contendo cloreto de alumínio: devem ser aplicados antes de dormir, pois ajudam a diminuir a produção de suor nas axilas;
  • Pomadas contendo glicopirrolato: ajudam a aliviar a hiperidrose que afeta o rosto ou a cabeça;
  • Remédios que reduzem a atividade dos impulsos nervosos, como oxibutinina ou oxifenciclimina: bloqueiam substâncias químicas que estimulam a produção de suor.
  • Remédios antidepressivos:podem ser indicados em alguns casos para ajudar a diminuir a produção de suor, além de ajudar a diminuir a ansiedade que pode piorar a hiperidrose;
  • Injeção de botox na área afetada: permite bloquear temporariamente os nervos que causam a produção excessiva de suor. O efeito desse tratamento dura cerca de 6 meses, sendo preciso uma nova aplicação após a perda do efeito. Saiba como é feita a injeção de botox;
  • Iontoforese: consiste na aplicação de uma corrente elétrica de baixa voltagem na área afetada, bloqueando as glândulas produtoras de suor e ajudando a aliviar a hiperidrose;
  • Cirurgia para remover as glândulas sudoríparas (simpatectomia): é uma boa opção, mas é comum haver aumento da produção de suor em outras áreas que não apresentavam suor excessivo. Entenda melhor como é feita a simpatectomia para hiperidrose. ​

O médico também pode indicar o tratamento com psicoterapeuta ou psicólogo para ajudar a diminuir/controlar a ansiedade e o estresse, que podem piorar ou desencadear a hiperidrose.

Opção de tratamento caseiro

Uma boa opção de tratamento caseiro para hiperidrose é beber o chá de sálvia regularmente, pois ajuda a regular a produção excessiva de suor e aliviar os sintomas da hiperidrose.

Além disso, o chá de camomila pode ajudar a diminuir a ansiedade, criando uma sensação de harmonia, que ajuda a acalmar em estados de agitação e nervosismo, o que pode contribuir para aliviar a hiperidrose que piora devido a ansiedade ou estresse. Confira outras opções de calmantes naturais.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • MCCONAGHY, J. R.; FOSSELMAN, D. Hyperhidrosis: Management Options. Am Fam Physician. 97. 11; 729-734, 2018
  • LENEFSKY, M.; RICE, Z. P. Hyperhidrosis and its impact on those living with it. Am J Manag Care. 24. 23; S491-S495, 2018
  • FUJIMOTO, T. Pathophysiology and Treatment of Hyperhidrosis. Curr Probl Dermatol. 51. 86-93, 2016
  • NAEROCKI, S.; CHA, J. The etiology, diagnosis, and management of hyperhidrosis: A comprehensive review: Therapeutic options. J Am Acad Dermatol. 81. 3; 669-680, 2019
  • PARISER, D. M.; BALLARD, A. Iontophoresis for palmar and plantar hyperhidrosis. Dermatol Clin. 32. 4; 491-4, 2014
Mais sobre este assunto: