Maxilar travando: o que pode ser (e o que fazer )

Atualizado em janeiro 2024

O maxilar travando é um sintoma que pode surgir em situações como disfunção temporomandibular, bruxismo, tétano, traumas ou até mesmo artrite reumatoide, por exemplo.

De acordo com a causa do maxilar travando, essa condição também pode ser acompanhada de outros sintomas, como dor de cabeça, zumbido no ouvido, inchaço e paralisia facial.

Assim, quando o maxilar estiver travando, acompanhado ou não de outros sintomas, é aconselhado sempre consultar o otorrinolaringologista, ou dentista, que vai fazer uma avaliação completa e, se for necessário, indicar o tratamento adequado, podendo incluir o uso de remédios anti-inflamatórios e relaxantes musculares, a fisioterapia e a cirurgia.

Imagem ilustrativa número 1

Principais causas

As principais causas de maxilar travando são:

1. Disfunção temporomandibular

A disfunção temporomandibular é uma alteração no funcionamento da articulação temporomandibular, que é responsável pelo movimento de abrir e fechar a boca, causando sintomas como maxilar travando e estalando, dor de cabeça e zumbido no ouvido, por exemplo. Conheça melhor sobre a disfunção temporomandibular.

O que fazer: O tratamento geralmente é feito com sessões de fisioterapia, uso de placas de acrílico para ser usada durante a noite ou também de dia. Além disso, o dentista também poderá indicar o uso de medicamentos anti-inflamatórios e relaxantes musculares para aliviar a dor.

Não ignore os seus sintomas!

Priorize sua saúde. Descubra a causa dos seus sintomas e receba o cuidado que precisa.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

2. Bruxismo

O bruxismo é uma condição onde a pessoa aperta ou range os dentes de forma constante e excessiva, causando uma pressão sobre os dentes e tensão nos músculos da mastigação, provocando, assim, sintomas como rigidez e travamento do maxilar, rosto e pescoço, dor na mandíbula, dor de cabeça e desgaste ou amolecimento nos dentes.

Leia também: Bruxismo: o que é, sintomas, causas e tratamento tuasaude.com/bruxismo

O que fazer: O tratamento geralmente é feito com o uso de uma placa de proteção dentária durante a noite, para evitar problemas nas articulações temporomandibulares, reduzir a dor e a tensão muscular, e prevenir a dor de cabeça.

3. Tétano

O tétano é uma doença infecciosa causada pela bactéria Clostridium tetani, que entra no organismo através de pequenos ferimentos ou queimaduras, provocando sintomas como espasmos musculares, rigidez muscular, que pode deixar o maxilar travando, além de febre. Saiba reconhecer os sintomas de tétano.

O que fazer: Para tratar o tétano, o médico indica a administração da vacina contra esta doença para estimular o sistema imunológico, seguida da aplicação de uma injeção com uma substância que neutraliza as toxinas da bactéria. Além disso, o médico também indica o uso de medicamentos, como antibióticos e relaxantes musculares.

4. Artrite reumatoide

A artrite reumatoide é uma doença inflamatória autoimune que afeta os músculos e articulações de todo o corpo, podendo afetar o tamanho da mandíbula, causando dor, inchaço, dificuldade para mastigar e maxilar travando, devido ao movimento limitado da articulação.

O que fazer: O tratamento pode ser feito com algumas medidas simples, como priorizar alimentos macios, evitar mascar chicletes, massagear os músculos ao redor da articulação e fazer atividades de relaxamento, como meditação e ioga.

5. Traumas faciais

Alguns traumas faciais, como os causados por cirurgias, acidentes automobilísticos ou esportes de contato físico, por exemplo, podem provocar uma pressão na articulação temporomandibular, causando sintomas como maxilar travando, dor, inchaço e paralisia facial.

O que fazer: O tratamento pode ser feito através de cirurgias de correção. Além disso, o médico também pode prescrever o uso de medicamentos anti-inflamatórios para diminuir a inflamação, dipirona ou paracetamol, para aliviar a dor, e antibióticos, para casos de contaminação das feridas.

6. Medicamentos

O maxilar travando pode ser causado pelo uso de alguns medicamentos, como antipsicóticos e inibidores da recaptação da serotonina, incluindo fluoxetina, venlafaxina e sertralina, e antieméticos, como a metoclopramida, devido ao efeito colateral de rigidez muscular que podem provocar.

O que fazer: É recomendado consultar o médico que prescreveu o medicamento, para que seja avaliada a possibilidade de ajuste na dosagem ou ainda a substituição do remédio.

Como destravar o maxilar travado

Algumas dicas que podem ajudar a destravar o maxilar travando são:

  1. Aplicar compressas na região: Aplicar compressas quentes por 15 a 20 minutos, fazendo intervalos e, por no máximo de 45 minutos, de 3 a 4 vezes. Mas a compressa deve sempre estar enrolada numa fralda de pano ou outro tecido fino, para evitar a queimadura da pele;
  2. Fazer exercícios suaves de alongamento da mandíbula: Abrir a boca lentamente, enrolar a língua para cima, deixando a ponta da língua tocar a parte da frente do céu da boca. Em seguida, fechar a boca lentamente, mantendo a língua no céu da boca. Fazer esse exercício 10 vezes, de 2 a 3 vezes ao dia;
  3. Fazer alongamento do sorriso: Sorrir o máximo que possível, sem forçar muito ou sentir dor ou tensão. E seguida, ainda sorrindo, tentar abrir a mandíbula em 5 cm, inspirar profundamente pela boca e expirar. Repetir esse exercício por 10 vezes, de 2 a 3 vezes ao dia.

No entanto, não é recomendado forçar a mandíbula, com as mãos, por exemplo. Isso porque, embora isso possa ajudar a destravar o maxilar e aliviar a dor, pode danificar a articulação temporomandibular.

Como prevenir o maxilar travado

Para ajudar a prevenir o maxilar travado, pode-se fazer massagens leves na região do maxilar, fazer sessões de acupuntura indicadas pelo médico, fazer exercícios de alongamento e usar placas orais para dormir.

Além disso, é importante também evitar o estresse, pois isso causa tensão muscular, podendo ser feito através de atividades de lazer, meditação e psicoterapia, por exemplo.