Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Mancha branca no olho: o que pode ser e quando ir ao médico

Julho 2020

A mancha branca no olho, também chamada de leucocoria, aparece mais frequentemente na pupila e pode ser indicativa de doenças como o retinoblastoma, catarata ou distrofia da córnea, por exemplo.

As manchas brancas podem ser indicativas de doenças no fundo do olho, no cristalino ou na córnea e as principais causas do aparecimento das manchas são:

Mancha branca no olho: o que pode ser e quando ir ao médico

1. Retinoblastoma

O retinoblastoma é um tipo raro de câncer que pode acontecer em um ou nos dois olhos e ocorre com mais frequência em crianças. Essa doença pode ser identificada facilmente através do teste do olhinho ainda na maternidade ou na primeira consulta ao pediatra, e tem como principais sintomas dificuldade para enxergar, vermelhidão no olho e estrabismo, além da presença da mancha branca no olho.

O que fazer: Quando identificado precocemente, o retinoblastoma consegue ser tratado e não deixa sequelas. O tratamento varia de acordo com o grau da doença, podendo ser realizado com laser ou aplicação de frio no local para destruir o tumor, ou realização de quimioterapia nos casos mais graves. Saiba como identificar e tratar o retinoblastoma.

2. Catarata

A catarata é uma doença caracterizada pela perda progressiva da visão, sendo mais comum em pessoas acima dos 60 anos, devido ao envelhecimento do cristalino do olho. No entanto, também pode acontecer logo ao nascimento, sendo denominada catarata congênita, que é caracterizada pela malformação do cristalino durante o desenvolvimento do feto, podendo atingir um ou os dois olhos.

O sinal característico da catarata é a presença de uma mancha branca na pupila que pode prejudicar a visão, deixando-a embaçada, ou até mesmo levando à perda total da mesma.

O que fazer: O tratamento deve ser feito o mais rápido possível para que não ocorram complicações, como a perda total da visão. Normalmente, é feito por meio de cirurgia para substituição do cristalino. Veja como é a cirurgia para catarata.

3. Toxocaríase

A toxocaríase é uma doença infecciosa causada pela presença do parasita Toxocara sp. Esse parasita, quando atinge o olho, pode causar vermelhidão e manchas brancas na pupila, dor ou coceira no olho e diminuição da visão. A toxocaríase ocular é mais comum de acontecer em crianças que brincam no chão, areia ou na terra, pois é normalmente o habitat do Toxocara. Saiba mais sobre a toxocaríase.

O que fazer: O tratamento geralmente consiste no uso de colírios com corticoides para tratar os sintomas e evitar a progressão da doença.

4. Pinguécula

A pinguécula consiste numa mancha amarela esbranquiçada no olho, de forma triangular, que resulta do crescimento de um tecido composto por proteínas, gordura e cálcio, localizado na conjuntiva do olho, sendo mais comum em idosos.

O que fazer: Na maior parte dos casos, não é necessário realizar tratamento, porém, se a pessoa sentir desconforto ou alterações da visão, pode ser necessário usar colírios e pomadas oculares ou mesmo recorrer a cirurgia.

5. Úlcera da córnea

A úlcera de córnea caracteriza-se por uma ferida que surge na córnea do olho e que causa inflamação, dor, sensação de corpo estranho no olho, visão embaçada e, em alguns casos, presença de uma pequena mancha esbranquiçada no olho. Geralmente, é causada por uma infecção no olho, pequenos cortes, olho seco ou contato com substâncias irritantes.

O que fazer: O tratamento consiste geralmente na administração de antibióticos ou antifúngicos tópicos, para eliminar uma possível infecção por bactérias ou fungos. Além disso, podem ainda ser utilizados colírios com corticoide para diminuir a inflamação, evitar o surgimento de cicatrizes na córnea, e aliviar o desconforto. Saiba mais sobre o tratamento.

Mancha branca no olho: o que pode ser e quando ir ao médico

Quando ir ao médico

É importante ir ao oftalmologista na presença das seguintes alterações:

  • Desconforto ocular;
  • Dificuldade para enxergar;
  • Visão turva;
  • Cegueira noturna;
  • Presença de manchas nos olhos;
  • Dor ou coceira no olho.

Por meio da análise e avaliação dos sintomas e de outros exames complementares, o oftalmologista pode fazer o diagnóstico e estabelecer o tratamento mais adequado para cada situação.

Bibliografia >

  • AMERICAN ACADEMY OF OPHTHALMOLOGY. Pterygium and Pinguecula. 2010. Disponível em: <http://uthscsa.edu/eye/PDFs/Pterygium_pinguecula.pdf>. Acesso em 07 Fev 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem