Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Luxação do cotovelo: O que fazer, recuperação e fisioterapia

A luxação do cotovelo é uma lesão bastante comum na criança, que ocorre em caso de queda com os braços esticados ou quando a criança fica suspensa por apenas por um braço, por exemplo. 

A luxação do cotovelo também pode acontecer em atletas durante os treinos ou competição, e o ato de colocar o cotovelo novamente em sua posição anatômica deve ser realizado por um profissional de saúde porque podem haver rompimento de ligamentos ou alterações nervosas ou vasculares que podem dificultar a reabilitação.

Os passos que o profissional de saúde poderá realizar para a redução da luxação no cotovelo podem ser: 

  1. Pegar no braço da criança com a palma da mão virada para baixo,
  2. Segurar o braço e o antebraço ao mesmo tempo e puxá-los ligeiramente em direções opostas, para criar espaço na articulação, 
  3. Posicionar a mão da criança virada para cima e ao mesmo tempo dobrar o cotovelo.

O cotovelo estará devidamente posicionado quando se ouve um pequeno estalo, sendo possível movimentar o braço normalmente.

Em todo caso quando não se tem certeza sobre o tipo de lesão, o mais seguro é levar a vítima imediatamente ao pronto-socorro, porque é necessária a realização da palpação das extremidades dos ossos do braço e cotovelo, além de testes que avaliam os ligamentos, o teste que avalia a função neurológica e um exame de raio-x, que pode evidenciar o ângulo e a gravidade da luxação. 

Luxação do cotovelo: O que fazer, recuperação e fisioterapia

Quando a cirurgia é indicada 

Nos casos mais graves a cirurgia pode ser indica para reposicionar adequadamente os ossos do antebraço, ulna e rádio, especialmente quando não é possível realizar o posicionamento adequado desta articulação através da redução acima citada, quando há fratura óssea, grande instabilidade da articulação ou lesão do nervo ou dos vasos sanguíneos do braço. A cirurgia pode ser realizada o quanto antes e pode ser feita com anestesia local. 

Recuperação da luxação do cotovelo

Nos casos mais simples, quando é possível realizar a redução com os passos acima, sem necessidade de cirurgia, a recuperação é rápida e o local pode ficar apenas um pouco dolorido. Para alívio deste incômodo pode-se colocar uma compressa de gel congelado ou bolsa de gelo. O gelo deve ser aplicado durante 15-20 minutos, sem contato direto com a pele, e para isso pode-se colocar um tecido fino ou papel toalha para proteger a pele. Esse cuidado pode ser realizado 2-3 vezes ao dia. 

Imobilização no cotovelo 

Pode haver necessidade de imobilização do cotovelo, em caso de luxação completa, que normalmente é tratada através de cirurgia. A imobilização pode durar 20-40 dias, sendo necessário complementar o tratamento através de fisioterapia para normalizar a movimentação do cotovelo. O tempo de tratamento fisioterapêutico depende da gravidade da lesão e idade, porque as crianças se recuperam mais rápido, enquanto que no adulto pode ser preciso investir em alguns meses de fisioterapia. 

Fisioterapia após luxação do cotovelo 

Luxação do cotovelo: O que fazer, recuperação e fisioterapia

A fisioterapia pode ser indicada para controlar a inflamação, reduzir o inchaço, facilitar a cicatrização, prevenir contraturas, manter a amplitude dos movimentos e voltar às atividades habituais, sem qualquer dor ou limitação do movimento. 

Nos primeiros dias após a luxação é recomendado realizar técnicas manuais para aumento da amplitude da articulação, e exercícios isométricos com o cotovelo dobrado, estendido e exercícios para abrir e fechar as mãos, visando aumento da força muscular. Como recursos podem ser usados aparelhos de TENS, turbilhão, ultrassom, infravermelho ou laser, de acordo com a avaliação realizada pelo fisioterapeuta. 

Depois de alguns dias, na fase seguinte de tratamento, o fisioterapeuta pode reavaliar as capacidades de movimentação, ângulos e força, e progredir o tratamento com outros exercícios de alongamento global do braço e da mão, e exercícios como roscas de punho, bíceps e podem ser usados o bastão, garrafas e espaldar, por exemplo. Também são recomendados exercícios com os ombros e reeducação postural porque é comum que um ombro fica mais elevado que o outro, devido a um mecanismo de proteção do braço afetado. 

Na fase final de tratamento, quando se refere ao atleta é necessário ainda realizar o treinamento com exercícios que possam facilitar a realização dos seus treinos, conforme as necessidades de cada esporte. 


Bibliografia

  • EBSERSH - HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS FEDERAIS. Procedimento Operacional Padrão: Fisioterapia Ambulatorial na Reabilitação de Lesões dos Membros Superiores. 2016. Link: <www2.ebserh.gov.br>. Acesso em 12 Abr 2019
  • RECKERS, Leandro José; POZO RAYMUNDO, José Luiz; LOCKS, Renato. Luxação lateral bilateral isolada do cotovelo. Acta Ortop Bras. Vol.14. 1.ed; 42-43, 2006
  • CARVALHO, Raquel, et al. Luxação simples do cotovelo associada a lesão ligamentar interna e externa. Rev Port Ortop Traum. Vol.21. 1.ed; 85-89, 2013
  • KISNER, Carolyn; COLBY Lynn Allen. Exercícios terapêuticos: Fundamentos e Técnicas. 6ª.ed. São Paulo: Manole, 2016. 640-648; 698-705.
  • Mark Dutton. Fisioterapia ortopédica: exame, avaliação e intervenção. 2ª.ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. 645-661.
Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem