Infecção na bexiga: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
maio 2020

A infecção na bexiga, também conhecida por cistite, é geralmente causada por bactérias, que entram na uretra e se multiplicam, devido a um desequilíbrio da microbiota da região genital, chegando à bexiga e causando sinais e sintomas como irritação, inflamação e vontade frequente para urinar.

Na maior parte dos casos, o tratamento consiste na administração de antibióticos, analgésicos e anti-inflamatórios, podendo ainda ser recomendados remédios para prevenir uma recidiva, especialmente em pessoas que costumam ter infecções urinárias com muita frequência.

Quais os sintomas

Alguns dos sintomas mais comuns que podem surgir durante um episódio de infeção da bexiga, são:

  • Vontade frequente para urinar, que persiste mesmo depois de esvaziar a bexiga;
  • Irritação da uretra;
  • Urina turva e com mau cheiro;
  • Presença de sangue na urina;
  • Dor abdominal e sensação de peso na bexiga;
  • Desconforto durante as relações sexuais.

Em alguns casos, a pessoa também pode ter febre baixa. Saiba identificar os sintomas de uma infecção urinária, através do nosso teste online.

Possíveis causas

As infecções da bexiga resultam geralmente de alterações no equilíbrio da microbiota da região genital, o que favorece a proliferação de microrganismos naturalmente encontrados no organismo ou externos.

A microbiota corresponde ao conjunto de microrganismos naturalmente presentes do organismo e o seu equilíbrio pode sofrer interferência de fatores, como higiene íntima incorreta, segurar xixi por muito tempo, praticar relações sexuais sem camisinha, beber pouca água durante o dia, uso de certos medicamentos ou presença de doenças crônicas, por exemplo.

Conheça outros fatores de risco que podem levar ao desequilíbrio da microbiota da região genital.

Como é feito o tratameto

Geralmente o tratamento consiste na administração de antibióticos, como a nitrofurantoína, fosfomicina, sulfametoxazol + trimetoprima, ciprofloxacina, levofloxacina ou penicilinas e seus derivados, que só devem ser usados quando recomendados pelo médico.

Além disso, pode ainda ser recomendado um analgésico e/ou um antiespasmódico, para aliviar os sintomas desagradáveis como dor e ardência ao urinar, ou sensação de peso na bexiga, como é o caso do flavoxato (Urispás), escopolamina (Buscopan e Tropinal) e a hiosciamina (Tropinal), que são remédios que aliviam todos estes sintomas associados ao trato urinário.

Como prevenir uma recidiva

Existem gestos simples que podem evitar o surgimento de novas infecções urinárias, como beber água com frequência, usar preservativo e urinar logo após as relações sexuais, adotar bons hábitos de higiene, limpar de frente para trás quando se vai no banheiro, e evitar o uso de produtos irritantes.

Além disso, existem suplementos alimentares que também podem ajudar a prevenir uma recidiva, que têm na sua composição extrato de arando vermelho, conhecido por cranberry, que pode estar associado a outros componentes, que agem impedindo a adesão das bactérias ao trato urinário e euilibrando a microbiota da região genital, criando um ambiente adverso ao desenvolvimento de infecções urinárias.

Existe ainda uma vacina oral, chamada de Uro-Vaxom, que contém componentes extraídos de Escherichia coli, que atua estimulando as defesas naturais do organismo, contra infecções das vias urinárias.

Assista o vídeo seguinte e saiba também o que comer para complementar o tratamento da infecção na bexiga:

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em maio de 2020.

Bibliografia

  • CENTRO HOSPITALAR DO MÉDIO AVE. Cistite Intersticial e Síndrome da Bexiga Dolorosa. 2017. Disponível em: <http://www.chma.pt/portal/images/docs/guias/1/INF.OBGI.013.v1.pdf>. Acesso em 19 mai 2020
  • RODRIGUES, Andrea Moura et. al.. Síndrome da dor vesical/cistite intersticial: aspectos atuais. FEMINA. Vol.29. 6.ed; 327-334, 2011
Mostrar bibliografia completa
  • CISTITE NÃO COMPLICADA NA MULHER. Guia de prática clínica. 2018. Disponível em: <https://apurologia.pt/wp-content/uploads/2018/10/Guia-cistite.pdf>. Acesso em 26 mai 2020
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.

Tuasaude no Youtube

  • Infecção Urinária e Cistite | O que comer para Curar e Evitar

    04:49 | 3781462 visualizações