Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Impingem: o que é, causas e como prevenir

A impingem, popularmente conhecida como impinge ou simplesmente Tinha ou Tinea, é uma infecção por fungos que acometem a pele e levam a formação de lesões avermelhadas na pele que podem descamar e coçar ao longo do tempo. No entanto, dependendo do fungos responsável pela impingem, pode haver também alterações no couro cabeludo, podendo haver perda de cabelo e descamação no local.

Os fungos relacionados com a impingem são denominados dermatófitos, que são aqueles que apresentam maior afinidade pela queratina, que é uma proteína presente na pele, cabelos e pêlos e, por isso, os sintomas são notados nessas regiões.

A impingem é mais frequente em crianças e idosos, porém pode acontecer em qualquer idade devido a falta de higiene ou a transpiração excessiva, por exemplo, principalmente na virilha, tronco, axilas e pescoço. 

Impingem: o que é, causas e como prevenir
Impingem: o que é, causas e como prevenir
Impingem: o que é, causas e como prevenir
Impingem: o que é, causas e como prevenir

Causas de impingem

A impingem acontece devido ao crescimento excessivo de fungos que encontram-se naturalmente na pele, que são os denominados dermatófitos. O crescimento desses fungos é favorecido quando o local é muito quente e úmido, como no caso das dobras, principalmente virilha e pescoço.

Assim, o fungo consegue proliferar-se facilmente e levar à formação das manchas características de impingem. Assim, essa alteração fúngica pode ser causada pelo fato de se ficar com a pele molhada por muito tempo e devido à higienização inadequada, por exemplo.

Principais sintomas

Os sintomas de impingem estão relacionados com o crescimento do fungo na pele ou no couro cabeludo, podendo ser percebido:

  • Aparecimento de manchas vermelhas na pele que crescem ao longo do tempo;
  • Manchas de não doem, mas coçam e/ou descamam;
  • Manchas redondas ou ovais e que possuem bordas bem definidas;
  • Perda de cabelo.

Como os fungos associados à impingem podem ser facilmente transmitidos de uma pessoa para outra, é importante que sejam tomados alguns cuidados para evitar o contágio além de ser necessária a consulta com um dermatologista para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento mais adequado, que normalmente envolve o uso de pomadas ou cremes que contém antifúngicos.

Como é feito o tratamento

O tratamento para impingem deve ser sempre prescrito por um dermatologista, mas geralmente é feito com pomadas ou cremes para impingem, nos casos mais leves, ou com a ingestão de remédios antifúngicos orais por até 30 dias, nos casos mais graves, sendo normalmente recomendado o uso de Clotrimazol ou Miconazol, por exemplo. Confirma mais remédios para impingem.

Durante o tratamento, é ainda recomendado manter uma boa higiene pessoal, mantendo todas as regiões bem lavadas e secas, evitar a partilha de objetos pessoais e evitar coçar as feridas, pois isso pode aumentar o risco de transmissão da doença.

Além do tratamento com antifúngicos, alguns remédios caseiros podem ser indicados como forma de complementar o tratamento, pois possuem propriedades antimicrobianas e ajudam a fortalecer o sistema imunológico. Confira algumas opções de remédio caseiro para impingem.

Como prevenir

Os fungos responsáveis pela impingem podem passar facilmente de uma pessoa para outra e, por isso, é importante que se tenha alguns cuidados para evitar a infecção, como:

  • Manter a pele sempre seca e limpa, principalmente as dobras, como axilas, virilha e pescoço;
  • Evitar compartilhar objetos de uso pessoal, como toalha, escova de cabelo e roupas;
  • Evitar o contato direto com as manchas de outras pessoas;
  • Ter uma alimentação saudável e pobre em açúcar, já que pode influenciar o desenvolvimento fúngico;
  • Realizar a higienização adequada da pele.

Além disso, caso seja verificada qualquer alteração na pele, é importante consultar o dermatologista para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento, podendo ser também evitado o contágio de outras pessoas.

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem