Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é hipotireoidismo congênito, sintomas e como tratar

O hipotireoidismo congênito é uma alteração metabólica em que a tireoide do bebê não é capaz de produzir as quantidades adequadas dos hormônios tireoidianos, o T3 e o T4, podendo comprometer o desenvolvimento da criança e provocar alterações neurológicas permanentes caso não seja devidamente identificada e tratada.

O diagnóstico do hipotireoidismo congênito é feito ainda na maternidade e, caso seja identificada alteração na tireoide, o tratamento é iniciado logo em seguida através de reposição hormonal para evitar complicações para o bebê. O hipotireoidismo congênito não tem cura, porém quando o diagnóstico e o tratamento são feitos cedo, a criança consegue desenvolver-se normalmente.

O que é hipotireoidismo congênito, sintomas e como tratar

Sintomas do hipotireoidismo congênito

Os sintomas de hipotireoidismo congênito têm relação com os menores níveis de T3 e T4 circulantes no organismo do bebê, podendo ser observado:

  • Hipotonia muscular, que corresponde aos músculos muito flácidos;
  • Aumento do volume da língua;
  • Hérnia umbilical;
  • Desenvolvimento ósseo comprometido;
  • Dificuldade respiratória;
  • Bradicardia, que corresponde aos batimentos cardíacos mais lentos;
  • Anemia;
  • Sonolência excessiva;
  • Dificuldade na alimentação;
  • Atraso na formação da primeira dentição;
  • Pele seca e sem elasticidade;
  • Retardo mental;
  • Atraso no desenvolvimento neuronal e psicomotor.

Apesar de existirem sintomas, somente cerca de 10% dos bebês que sofrem de hipotireoidismo congênito é que os apresentam, isso porque o diagnóstico é feito ainda na maternidade e o tratamento de reposição hormonal é iniciado logo em seguida, impedindo o surgimento dos sintomas.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico do hipotireoidismo congênito é feito durante a maternidade nos exames de triagem neonatal, normalmente por meio do teste do pezinho, em que são coletadas algumas gotas de sangue do calcanhar do bebê que são encaminhadas para o laboratório para que possam ser analisadas. Veja mais sobre o teste do pezinho.

Se o teste do pezinho indicar hipotireoidismo congênito, deve ser realizada a dosagem dos hormônios T4 e TSH através de uma análise de sangue para que o diagnóstico seja confirmado e o tratamento iniciado. Outros exames de imagens, como ultrassonografia, ressonância magnética e cintilografia da tireoide podem também ser utilizados no diagnóstico.

Principais causas

O hipotireoidismo congênito pode ser causado por diversas situações, sendo as principais:

  • Não formação ou formação incompleta da glândula tireoide;
  • Formação em local irregular da glândula tireoide;
  • Defeitos na síntese dos hormônios da tireoide;
  • Lesões na hipófise ou hipotálamo, que são duas glândulas no cérebro responsáveis pela produção e regulação dos hormônios.

Geralmente, o hipotireoidismo congênito é permanente, no entanto, pode ocorrer hipotireoidismo congênito transitório, que pode ser causado por insuficiência ou excesso de iodo da mãe ou do recém-nascido ou pela passagem através da placenta de medicamentos antitireoidianos.

O hipotireoidismo congênito transitório necessita também de tratamento, mas normalmente é suspenso aos 3 anos de idade, para que sejam realizados exames que avaliem os níveis dos hormônios tireoidianos circulantes e para que assim se possa definir melhor o tipo e a causa da doença.

Tratamento para hipotireoidismo congênito

O tratamento para hipotireoidismo congênito consiste na reposição dos hormônios da tireoide durante toda a vida através da administração oral de um remédio, a Levotiroxina sódica, que pode ser dissolvido em uma pequena quantidade de água ou leite do bebê. Quando o diagnóstico e o tratamento são feitos tardiamente, as consequências do hipotireoidismo congênito, como retardo mental e retardo do crescimento, podem ocorrer.

É importante que a criança tenha seus níveis de T4 total e livre e de TSH monitorados para que o pediatra verifique a resposta ao tratamento. Confira mais detalhes sobre o tratamento do hipotireoidismo no vídeo a seguir:

Bibliografia >

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Hipotireoidismo Congênito (HC). Disponível em: <https://www.saude.gov.br/acoes-e-programas/programa-nacional-da-triagem-neonatal/hipotireoidismo-congenito-hc>. Acesso em 24 Fev 2020
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Hipotireoidismo Congênito: Triagem Neonatal. 2018. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/_21369c-DC_Hipotireoidismo_Congenito.pdf>. Acesso em 24 Fev 2020
  • MACIEL, Lea Maria Z. et al. Hipotireoidismo congênito: recomendações do Departamento de Tireoide da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Arq Bras Endocrinol Metab. Vol 57. 3 ed; 184-192, 2013
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem