Hemoptise: o que é, causas e o que fazer

Atualizado em dezembro 2023

Hemoptise é a eliminação de sangue pela boca através da tosse. Essa situação está normalmente relacionada com alterações pulmonares, como tuberculose, bronquite crônica, embolia pulmonar e câncer de pulmão, por exemplo.

É considerada hemoptise quando o sangramento tem origem pulmonar e é verificada perda de 100 a mais de 500 mL de sangue em 24 horas, no entanto esse valor pode variar de acordo com o médico responsável. A quantidade de sangue perdido é considerada grave quando pode colocar a vida da pessoa em risco devido à obstrução da via aérea pelo acúmulo de sangue.

Assim, é importante ir imediatamente ao hospital em caso de hemoptise para que o tratamento possa ser iniciado e sejam prevenidas complicações.

Imagem ilustrativa número 1

Principais causas de hemoptise

As principais causas de hemoptise são:

  • Tuberculose;
  • Pneumonia;
  • Bronquite crônica;
  • Embolia pulmonar;
  • Câncer do pulmão e metástases pulmonares;
  • Bronquiectasias;
  • Doença de Behçet e Granulomatose de Wegener, que são doenças caracterizadas pela inflamação dos vasos sanguíneos de todo o corpo.

A tosse com sangue também pode acontecer como consequência de procedimentos invasivos de diagnóstico ou tratamento que podem ter causado lesão no trato respiratório superior, como boca, nariz ou garganta, além de também poder ter origem no trato gastrointestinal, no entanto quando a hemoptise acontece nessas duas situações, é denominado pseudo hemoptise. Conheça outras causas de tosse com sangue.

Não ignore os seus sintomas!

Priorize sua saúde. Descubra a causa dos seus sintomas e receba o cuidado que precisa.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da hemoptise é feito principalmente por meio da avaliação dos sintomas apresentados e história clínica da pessoa.

O médico geralmente indica a realização de exames de imagem, como raio-x de tórax e tomografia computadorizada com o objetivo de avaliar os pulmões e identificar qualquer sinal sugestivo de sangramentos e que possa comprometer a vida da pessoa. Além disso, é solicitada a realização de exames laboratoriais, como coagulograma e hemograma para verificar a quantidade e características das células sanguíneas circulantes.

O diagnóstico da hemoptise é feito, também, por meio da broncoscopia, exame em que um pequeno tubo flexível com uma microcâmera acoplada em sua extremidade é introduzido na boca ou nariz e segue até o pulmão, permitindo que o médico observe toda a estrutura pulmonar e respiratória e identifique o local do sangramento. Entenda como é feita a broncoscopia.

Tratamento para hemoptise

O tratamento para a hemoptise é feito de acordo com a causa e com a quantidade de sangue perdida, tendo o objetivo de controlar o sangramento e deixar o paciente estável. Assim, pode ser recomendada a realização de broncoscopia ou arteriografia e, dependendo da gravidade, pode ser indicada a transfusão de plasma e plaquetas.

Quando o sangramento fica incontrolável, mesmo já tendo sido realizadas medidas para controlá-lo, é indicado um procedimento cirúrgico, como a embolização da artéria brônquica, por exemplo, no qual o médico, com auxílio de um pequeno tubo flexível e com uma microcâmera na ponta, consegue identificar o local e parar o sangramento.

De acordo com a causa da hemoptise, o médico também pode ainda indicar a realização de outros tratamentos, como o uso de antibióticos, no caso do sangramento ser devido a infecções, anticoagulantes, medicamentos anti-inflamatórios ou, no caso de ser devido ao câncer de pulmão, pode haver a indicação de realização de quimioterapia.