12 principais sintomas de H3N2 (com teste online)

Os sintomas de infecção pelo H3N2 costumam surgir entre 3 e 5 dias após o contato com o vírus, que corresponde ao período de incubação do vírus, podendo a pessoa transmitir o vírus ainda durante esse período ou após o início dos sintomas.

Os sintomas de H3N2 normalmente são mais intensos nas primeiras 48 horas, sendo os principais:

  1. Febre alta nos primeiros dias, acima de 38ºC;
  2. Dor de garganta;
  3. Tosse;
  4. Dor de cabeça;
  5. Dor no corpo, principalmente nas articulações;
  6. Espirros, coriza e nariz entupido, em alguns casos;
  7. Calafrios;
  8. Perda de apetite;
  9. Náuseas e vômitos;
  10. Mal-estar geral;
  11. Irritação nos olhos;
  12. Diarreia, principalmente em crianças.

Na suspeita de H3N2, é importante ficar em isolamento, repousar e beber bastantes líquidos durante o dia para evitar a transmissão do vírus para outras pessoas e favorecer a recuperação. Além disso, para aliviar os sintomas, pode ser também indicado o uso de medicamentos anti-inflamatórios ou analgésicos. Conheça mais sobre a gripe H3N2 e seu tratamento.

12 principais sintomas de H3N2 (com teste online)

Teste online de sintomas

Para saber o risco de estar com a gripe causada pelo vírus H3N2, selecione no teste a seguir os sintomas apresentados:

  1. 1. Febre acima de 38º C
  2. 2. Dor de garganta
  3. 3. Tosse frequente
  4. 4. Dor de cabeça
  5. 5. Esprirros, coriza e/ ou nariz entupido
  6. 6. Dor no corpo
  7. 7. Perda de apetite
  8. 8. Cansaço e mal estar geral
Imagem que indica que o site está carregando

Diferença entre COVID-19 e H3N2

A COVID-19 e a gripe por H3N2 são infecções respiratórias, no entanto são causadas por agentes infecciosos distintos: a COVID-19 é causada pelo vírus SARS-CoV-2, enquanto que a gripe H3N2 é causada pelo vírus H3N2, que é um subtipo do vírus Influenza A. 

Por serem doenças respiratórias, os sintomas podem muitas vezes serem confundidos. No entanto, os sintomas de COVID-19 ficam mais intensos à medida que o tempo passa e podem ser persistentes, dependendo do sistema imunológico da pessoa, enquanto que no caso da H3N2 os sintomas são mais intensos nas primeiras 48 horas, melhorando ao longo do tempo, mesmo que não seja realizado tratamento e costumam durar até 10 dias.

Além disso, é possível haver na COVID-19 perda do olfato e paladar, falta de ar, cansaço excessivo e dificuldade respiratória, o que não é observado em caso de H3N2, cujos sintomas são mais brandos e incluem dor e inflamação na garganta, tosse e nariz entupido, por exemplo. Veja mais sobre a diferença entre COVID-19, gripe e resfriado.

Como confirmar o diagnóstico

A confirmação do diagnóstico é feita principalmente por meio da avaliação dos sintomas, no entanto, em alguns casos, pode ser solicitado pelo médico a realização de testes específicos para diferenciar a infecção pelo H3N2 da infecção pelo SARS-CoV-2, que é o vírus responsável pela COVID-19.

O teste para confirmar o diagnóstico de H3N2 é feito a partir de uma amostra da nasofaringe, que é coletada através de um swab. A partir dessa amostra, é possível realizar exame para identificar anticorpos específicos contra o vírus H3N2, antígenos ou diferenciar o H3N2 e o H1N1. Além disso, é possível realizar um teste para diferenciar o vírus H3N2 do vírus SARS-CoV-2, através do teste de PCR em tempo real.

Além disso, de acordo com os sinais e sintomas apresentados pela pessoa, o médico pode recomendar a realização de um exame capaz de identificar diversos vírus respiratórios, sendo útil no diagnóstico diferencial da infecção por Influenza A e B, vírus sincicial respiratório, coronavírus, adenovírus, rinovírus, enterovírus, entre outros.

O que fazer em caso de suspeita

Em caso de suspeita de infecção pelo H3N2, é importante seguir as recomendações da Secretaria de Saúde do Estado ou do Município, pois dessa forma é possível evitar que as unidades de saúde fiquem muito cheias, o que poderia aumentar o risco de transmissão do vírus. Dessa forma, em alguns casos, pode ser indicado que seja feita uma teleconsulta para que possam ser avaliados os sinais e sintomas apresentados pela pessoa e seja verificada a necessidade de realizar teste de confirmação de infecção pelo H3N2.

Além disso, na suspeita de infecção pelo H3N2, é importante ficar em isolamento por cerca de 7 a 10 dias para prevenir a transmissão do vírus para outras pessoas. Além disso, é indicado ficar em repouso, beber bastante líquidos durante o dia e ter uma alimentação leve e de fácil digestão, podendo ser também indicado fazer uso de medicamentos analgésicos ou anti-inflamatórios para aliviar os sintomas.

Para prevenir a infecção pelo H3N2 e a sua transmissão, é também recomendado que seja feito o uso de máscaras faciais, que as mãos sejam desinfetadas e lavadas regularmente e que sejam evitados ambientes com muitas pessoas e com pouca circulação de ar, sendo importante manter o distanciamento social e evitar o compartilhamento de objetos de uso pessoa. 

A vacinação contra a gripe também é uma forma de prevenir a ocorrência de H3N2, principalmente casos graves, que pode acontecer com maior facilidade em idosos, crianças e pessoas com comorbidade. Veja mais sobre a vacinação da H3N2.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÕES. Nota Técnica SBIm 08/04/2021 - Vacinas influenza no Brasil em 2021. 2021. Disponível em: <https://sbim.org.br/images/files/notas-tecnicas/nt-vacinas-influenza-brasil-2021-v2.pdf>. Acesso em 03 Jan 2022
  • BVS. H3N2: novo vírus influenza em circulação no país. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/h3n2-novo-virus-influenza-em-circulacao-no-pais/>. Acesso em 03 Jan 2022
Mais sobre este assunto: