Graviola: 10 benefícios e como usar (com receitas)

Revisão clínica: Tatiana Zanin
Nutricionista

A graviola é uma fruta de casca verde e espinhos, contendo uma polpa branca, macia de sabor doce e levemente ácido, podendo ser consumida ao natural ou usada no preparo de sucos, mousses, vitaminas e sobremesas. Além da polpa, as folhas da graviola também podem ser usadas no preparo de chás.

A graviola é fonte de fibras que diminuem a velocidade de absorção do açúcar dos alimentos, promovendo o controle dos níveis de glicose no sangue e prevenindo, assim, a resistência à insulina e a diabetes.

Conhecida também como jaca-do-Pará ou jaca-de-pobre, a graviola tem ótimas quantidades de vitamina C e flavonoides, compostos com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias que combatem o excesso de radicais livres e reduzem as inflamações, ajudando a aliviar  problemas gástricos, como úlceras e gastrites, e prevenir o surgimento de doenças, como pressão alta e catarata.

Devido às suas propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e hipoglicemiantes, a graviola promove diversos benefícios à saúde, incluindo:

1. Alivia doenças inflamatórias

A graviola possui propriedades anti-inflamatórias promovendo a redução de citocinas pró-inflamatórias, que são produzidas no organismo em caso de inflamação, sendo muito útil para melhorar os sintomas de algumas doenças inflamatórias, como artrite, artrose e reumatismo. Conheça outros alimentos com propriedades anti-inflamatórias.

2. Evita a diabetes

A graviola contém ótimas quantidades de antioxidantes que protegem as células do pâncreas responsáveis pela produção da insulina, evitando, assim, a resistência à insulina e a diabetes.

Além disso, a graviola também possui boas quantidades de fibras, que diminuem a velocidade de absorção de açúcar, ajudando a equilibrar os níveis de glicose no sangue, promovendo o controle da diabetes em pessoas que já têm a doença.

3. Mantém a saúde os olhos

Por conter luteína, que é um composto antioxidante importante para manter a saúde ocular, a graviola ajuda a reduzir o risco de desenvolver doenças, como catarata e degeneração macular, que está associada à idade e causa danos à visão, incluindo a perda da visão. Entenda como a luteína pode ajudar a manter a saúde dos olhos.

4. Protege o estômago

A graviola possui propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, que reduzem os danos causados pelos radicais livres no estômago e favorecem a diminuição da acidez gástrica, sendo um alimento muito benéfico para proteger o estômago, melhorar a digestão e ajudar a controlar algumas doenças, como úlceras e gastrites.

5. Melhora a ansiedade e estresse

A folha graviola contém anonaina e asimilobina, compostos com propriedades relaxantes que agem no sistema nervoso central, interagindo com a serotonina, um neurotransmissor responsável pela regulação do humor, melhorando, assim, a ansiedade e o estresse.

6. Ajuda a controlar a pressão arterial

A graviola contém potássio, um mineral essencial para ajudar a eliminar o excesso de sódio do organismo pela urina, promovendo o controle da pressão arterial.

Além disso, essa fruta também possui antioxidantes que promovem a saúde das artérias e relaxam os vasos sanguíneos, facilitando a circulação de sangue e ajudando, assim, no controle da pressão alta.

7. Fortalece o sistema imunológico

Por ser rica em compostos anti-inflamatórios e antioxidantes, como vitamina C, e quercetina, a graviola ajuda a combater o excesso de os radicais livres e fortalecer as células do sistema imunológico, evitando o surgimento de situações como alergias, gripes e resfriados, por exemplo.

8. Combate a prisão de ventre

A graviola ajuda a combater a prisão de ventre, porque é rica em água e fibras, que promovem os movimentos naturais do intestino e a formação do bolo fecal, facilitando a eliminação das fezes. Veja outras frutas que ajudam a combater a prisão de ventre.

9. Mantém a hidratação do corpo

A polpa da graviola contém em torno de 82 g de água, sendo um importante alimento para melhorar a hidratação do corpo, podendo ser consumida durante os climas mais quentes ou durante as práticas de atividade física, ajudando a prevenir a desidratação.

10. Pode ajudar na prevenção do câncer

Estudos recentes [1] [2], mostraram que a graviola é rica em acetogeninas, um grupo de compostos metabólicos que possuem efeito citotóxico, podendo, assim, combater as células cancerígenas. Além disso, observou-se em alguns estudos que o consumo da graviola a longo prazo pode prevenir e tratar diversos tipos de câncer, como de mama, de cólon, de pulmão e de próstata.

No entanto, todos os estudos foram feitos somente em laboratórios, com células isoladas e animais, sendo necessário ainda realizar pesquisas em seres humanos para comprovar o possível efeito dessa fruta sobre as células cancerígenas.

Tabela de informação nutricional

A tabela a seguir traz a informação nutricional de 100 g de graviola:

Componentes

100 g  de graviola

Energia

62 calorias

Proteínas

0,8 g

Gorduras

0,2 g

Carboidratos

15,8 g

Fibras

1,9 g

Cálcio

40 mg

Magnésio

23 mg

Fósforo 

19 mg

Potássio

250 mg

Vitamina C

19,1 mg

Ácido fólico

14 mcg

Para se obter todos os benefícios da graviola, é importante também manter uma alimentação variada e saudável e praticar exercícios físicos regularmente. Conheça algumas dicas para manter uma alimentação saudável.

Como consumir

A graviola pode ser consumida ao natural ou usada em preparações, como sucos, mousses e sorvetes. Além disso, as folhas da graviola também podem ser usadas para o preparo de chás.

  • Chá de graviola: colocar 10 g de folhas secas de graviola em 1 litro de água fervente. Tampar a bebida e deixar descansar por 5 a 10 minutos. Coar e beber até 3 xícaras por dia após as refeições;
  • Suco de graviola: colocar em um liquidificador 1 xícara de graviola picada e sem sementes, 500 ml de água e 1 col de sobremesa de açúcar mascavo, ou adoçante. Bater, até ficar uma mistura homogênea, e servir em seguida.

Outra forma de consumir a graviola é através de suplementos em cápsulas, onde a dosagem varia de acordo com o fabricante, sendo geralmente indicada a ingestão de 2 cápsulas por dia, 30 minutos antes das refeições. No entanto, a graviola pode causar alguns efeitos colaterais e, por isso, os suplementos só devem ser consumidos sob a orientação de um médico, ou fitoterapeuta.

Possíveis efeitos colaterais

Alguns efeitos tóxicos, como danos nos rins e óbito podem acontecer quando se consome doses muito altas de chás das folhas de graviola. No entanto, esses efeitos só acontecem quando se consome mais de 70 xícaras desse chá por dia.

Casos de desenvolvimento de doenças neurodegenerativas, como a doença de Parkinson, têm sido associados com consumo excessivo de graviola por um longo período de tempo, porém, os estudos [2] não são conclusivos.

Contraindicações

A graviola só deve ser consumida por gestantes e mulheres que estejam amamentando com autorização de um médico, pois não existem estudos que confirmam a segurança do consumo da fruta nessas situações.

Essa fruta não é indicada para pessoas com doença de Parkinson e pressão baixa. Além disso, pessoas que usam medicamentos para depressão, para controle da pressão alta e diabetes, devem comunicar ao médico antes de iniciar o consumo da graviola, porque essa fruta pode alterar os efeitos desses remédios.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Karla S. Leal - Nutricionista, em maio de 2022. Revisão clínica por Tatiana Zanin - Nutricionista, em maio de 2022.

Bibliografia

  • AGRICULTURAL RESEARCH SERVICE U.S. DEPARTMENT OF AGRICULTURE. Soursop, raw. Disponível em: <https://fdc.nal.usda.gov/fdc-app.html#/food-details/167761/nutrients>. Acesso em 24 mar 2022
  • MOGHADAMTOUSI, Z, Soheil et al. Annona muricata (Annonaceae): A Review of Its Traditional Uses, Isolated Acetogenins and Biological Activities. International Journal of Molecular Sciences. Vol.16. 7.ed; 15625–15658, 2015
Mostrar bibliografia completa
  • GRANDI, Telma Sueli Mesquita. Tratado das Plantas Medicinais: mineiras, nativas e cultivadas. 1ed. Minas Gerais: Adaequatio Estudio, 2014. 659-660.
  • ISHOLA, O, Ismail et al. Mechanisms of Analgesic and Anti-Inflammatory Properties of Annona muricata Linn. (Annonaceae) Fruit Extract in Rodents. Journal of Medicinal Food. Vol.17. 12.ed; 1375–1382, 2014
  • TÉLLEZ, C, CORIA, Ana et al. Annona muricata: A comprehensive review on its traditional medicinal uses, phytochemicals, pharmacological activities, mechanisms of action and toxicity. Elsevier. vol.11. 5.ed; 662-691, 2018
  • INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL DE MINAS GERAIS. Plantas medicinais: graviola. Disponível em: <https://www2.muz.ifsuldeminas.edu.br/plantasmedicinais/p61.html#:~:text=Nome%20popular,%2C%20Araticum-do-Grande>. Acesso em 21 jan 2022
  • UNITED STATES DEPARTMENT OF AGRICULTURE. Food Data Central. Disponível em: <https://fdc.nal.usda.gov/ndb/search/list>. Acesso em 21 jan 2022
  • MEMORIAL SLOAN KETTERING CANCER CENTER. Mechanisms of Analgesic and Anti-Inflammatory Properties of Annona muricata Linn. (Annonaceae) Fruit Extract in Rodents. Disponível em: <https://www.mskcc.org/cancer-care/integrative-medicine/herbs/graviola>. Acesso em 21 jan 2022
  • NAJMYDDIN Syed; ROMLI MF et al. Anti-cancer effect of Annona Muricata Linn Leaves Crude Extract (AMCE) on breast cancer cell line.. BMC Complementary Medicine and Therapies. 16. 1; 2016
  • ANATOLE Constant; GURU Santosh et al. Antiproliferative activity and induction of apoptosis by Annona muricata (Annonaceae) extract on human cancer cells. BMC Complementary Medicina and Therapies. 14. 1-10, 2014
  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS – UNICAMP. Tabela Brasileira de Composição de Alimentos.. 2011. Disponível em: <http://www.nepa.unicamp.br/taco/contar/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf?arquivo=taco_4_versao_ampliada_e_revisada.pdf>. Acesso em 27 abr 2020
  • FLORENCE NT; BENOIT MZ et al. Antidiabetic and antioxidant effects of Annona muricata (Annonaceae), aqueous extract on streptozotocin-induced diabetic rats. Journal of Ethnopharmacology. 151. 2; 784-790, 2014
  • COSTA Eronita. Nutrição & Frutoterapia. 1º. Brasil: Vozes, 2011. 114-115.
  • RADY, I et. al. Anticancer Properties of Graviola (Annona muricata): A Comprehensive Mechanistic Review. Oxidative Medicine and Cellular Longevity. 1 - 39, 2018
  • QAZI, A. Kazi et al. Emerging therapeutic potential of graviola and its constituents in cancers. Carcinogenesis. Vol. 39. 4 ed; 522–533, 2018
  • PAES, M. M. et al. Potencial Citotóxico das Acetogeninas do Gênero Annona. Rev. Virtual Quim.. Vol. 8. 3 ed; 945-980, 2016
Revisão clínica:
Tatiana Zanin
Nutricionista
Formada pela Universidade Católica de Santos em 2001, com registro profissional no CRN-3 nº 15097.

Tuasaude no Youtube

  • 8 Melhores frutas para DIABETES

    16:43 | 341817 visualizações
  • ALIMENTOS QUE SOLTAM O INTESTINO PRESO

    05:15 | 138385 visualizações
  • 10 ALIMENTOS MAIS RICOS EM ÁGUA (inclui receita)

    05:42 | 35833 visualizações