Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Graviola: Para que serve, propriedades e como consumir

A graviola é uma fruta, também conhecida como Jaca do Pará ou Jaca de pobre, utilizada como fonte de fibras e vitaminas, sendo o seu consumo recomendado em casos de prisão de ventre, diabetes e obesidade.

A fruta possui um formato oval, com a casca na cor verde-escuro e coberta de “espinhos”. A parte interna é formada por uma polpa branca com o sabor levemente adocicado e um pouco ácido, sendo utilizada na preparação de vitaminas e sobremesas.

O nome científico da graviola é Annona muricata L. e pode ser encontrada em mercados, feiras e lojas de produtos naturais.

Graviola: Para que serve, propriedades e como consumir

Benefícios e para que serve a graviola

Por causa das suas propriedades, a graviola pode ser utilizada em diversas situações, como:

  1. Diminuição da insônia, pois possui em sua composição compostos que promovem o relaxamento e a sonolência;
  2. Hidratação do organismo, já que a polpa da fruta é constituída principalmente por água;
  3. Diminuição da pressão arterial, pois é um fruta com propriedades diuréticas, auxiliando, assim, a regular a pressão;
  4. Tratamento de doenças do estômago, como a gastrite e a úlcera, já que possui propriedades anti-inflamatórias, diminuindo a dor;
  5. Prevenção da osteoporose e anemia, pois é uma fruta muito rica em cálcio, fósforo e ferro;
  6. Tratamento da diabetes, pois possui fibras que impedem que o açúcar aumente rapidamente no sangue;
  7. Retardo do envelhecimento, já que possui propriedades antioxidantes, combatendo, assim, os radicais livres;
  8. Alivio das dores do reumatismo, pois possui propriedades antirreumáticas, diminuindo a inflamação e a dor.

A graviola também pode ser utilizada para o tratamento da obesidade, prisão de ventre, doenças no fígado, enxaqueca, gripes, verminoses e depressão, já que é um ótimo modulador do humor.

Graviola cura o câncer?

A relação entre o consumo de graviola e cura do câncer ainda não é comprovada cientificamente, no entanto vários estudos têm sido realizados com o objetivo de estudar os componentes da graviola e seu efeito sobre as células do câncer.

Estudos recentes demonstraram que a graviola é rica em acetogeninas, que é um grupo de produtos metabólicos que possuem efeito citotóxico, sendo capazes de atuar diretamente nas células cancerígenas. Além disso, foi visto nos estudos que o consumo a longo prazo de graviola possui efeito preventivo e potencial terapêutico para diversos tipos de câncer.

Apesar disso, são necessários estudos mais específicos envolvendo a graviola e seu componentes para que seja verificado o verdadeiro efeito dessa fruta no câncer, já que seu efeito pode variar de acordo com o modo de cultivo da fruta e concentração de seus componentes bioativos.

Como consumir

A graviola pode ser consumida de diversas formas: natural, como suplemento em cápsulas, em sobremesas, chás e sucos. Tudo da graviola pode ser aproveitado, desde a raiz até as flores.

  • Chá de graviola: É feito com 10 g de folhas de graviola secas, que devem ser colocadas em 1 litro de água fervente. Após 10 minutos, deve-se coar e consumir 2 a 3 xícaras após as refeições;
  • Suco de graviola: Para fazer o suco basta bater no liquidificador 1 graviola, 3 pêras, 1 laranja e 1 mamão, juntamente com água e açúcar a gosto. Depois de batido, já pode consumir.

Contra-indicação do uso da graviola

O consumo da graviola não é indicado para gestantes, pessoas com caxumba, aftas ou ferimentos na boca, já que a acidez da fruta pode causar dor, e pessoas com hipotensão, pois um dos efeitos colaterais da fruta é a diminuição da pressão arterial.

Além disso, as pessoas hipertensas devem ter orientação do cardiologista à respeito do consumo da graviola, pois a fruta pode interagir com os medicamentos utilizados ou até mesmo diminuir muito a pressão, podendo levar a um quadro de hipotensão.

Bibliografia >

  • RADY, I et. al. Anticancer Properties of Graviola (Annona muricata): A Comprehensive Mechanistic Review. Oxidative Medicine and Cellular Longevity. 1 - 39, 2018
  • QAZI, A. Kazi et al. Emerging therapeutic potential of graviola and its constituents in cancers. Carcinogenesis. Vol. 39. 4 ed; 522–533, 2018
  • PAES, M. M. et al. Potencial Citotóxico das Acetogeninas do Gênero Annona. Rev. Virtual Quim.. Vol. 8. 3 ed; 945-980, 2016
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem