Graviola: 10 benefícios e como usar (com receitas)

Atualizado em fevereiro 2024
Evidência científica

A graviola é uma fruta fonte de fibras que diminuem a velocidade de absorção do açúcar dos alimentos, promovendo o controle dos níveis de glicose no sangue e prevenindo, assim, a resistência à insulina e a diabetes.

A graviola possui casca verde e espinhos, contendo uma polpa branca, macia de sabor doce e levemente ácido, podendo ser consumida ao natural ou usada no preparo de sucos, mousses, vitaminas e sobremesas. Além da polpa, as folhas da graviola também podem ser usadas no preparo de chás.

Conhecida também como jaca-do-Pará ou jaca-de-pobre, a graviola tem ótimas quantidades de vitamina C e flavonoides, compostos com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias que combatem o excesso de radicais livres e reduzem as inflamações, ajudando a aliviar  problemas gástricos, como úlceras e gastrites, e prevenir o surgimento de doenças, como pressão alta e catarata.

Imagem ilustrativa número 4

Principais benefícios

Devido às suas propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e hipoglicemiantes, a graviola pode servir para diversas funções no corpo, sendo as principais:

1. Alivia doenças inflamatórias

A graviola possui propriedades anti-inflamatórias promovendo a redução de citocinas pró-inflamatórias, que são produzidas no organismo em caso de inflamação, sendo muito útil para melhorar os sintomas de algumas doenças inflamatórias, como artrite, artrose e reumatismo. Conheça outros alimentos com propriedades anti-inflamatórias.

2. Evita a diabetes

A graviola contém ótimas quantidades de antioxidantes que protegem as células do pâncreas responsáveis pela produção da insulina, evitando, assim, a resistência à insulina e a diabetes.

Além disso, a graviola também possui boas quantidades de fibras, que diminuem a velocidade de absorção de açúcar, ajudando a equilibrar os níveis de glicose no sangue, promovendo o controle da diabetes em pessoas que já têm a doença.

3. Mantém a saúde os olhos

Por conter luteína, que é um composto antioxidante importante para manter a saúde ocular, a graviola ajuda a reduzir o risco de desenvolver doenças, como catarata e degeneração macular, que está associada à idade e causa danos à visão, incluindo a perda da visão. Entenda como a luteína pode ajudar a manter a saúde dos olhos.

4. Protege o estômago

A graviola possui propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, que reduzem os danos causados pelos radicais livres no estômago e favorecem a diminuição da acidez gástrica, sendo um alimento muito benéfico para proteger o estômago, melhorar a digestão e ajudar a controlar algumas doenças, como úlceras e gastrites.

5. Melhora a ansiedade e estresse

A folha graviola contém anonaina e asimilobina, compostos com propriedades relaxantes que agem no sistema nervoso central, interagindo com a serotonina, um neurotransmissor responsável pela regulação do humor, melhorando, assim, a ansiedade e o estresse.

6. Ajuda a controlar a pressão arterial

A graviola contém potássio, um mineral essencial para ajudar a eliminar o excesso de sódio do organismo pela urina, promovendo o controle da pressão arterial.

Além disso, essa fruta também possui antioxidantes que promovem a saúde das artérias e relaxam os vasos sanguíneos, facilitando a circulação de sangue e ajudando, assim, no controle da pressão alta.

7. Fortalece o sistema imunológico

Por ser rica em compostos anti-inflamatórios e antioxidantes, como vitamina C, e quercetina, a graviola ajuda a combater o excesso de os radicais livres e fortalecer as células do sistema imunológico, evitando o surgimento de situações como alergias, gripes e resfriados, por exemplo.

8. Combate a prisão de ventre

A graviola ajuda a combater a prisão de ventre, porque é rica em água e fibras, que promovem os movimentos naturais do intestino e a formação do bolo fecal, facilitando a eliminação das fezes. Veja outras frutas que ajudam a combater a prisão de ventre.

9. Mantém a hidratação do corpo

A polpa da graviola contém em torno de 82 g de água, sendo um importante alimento para melhorar a hidratação do corpo, podendo ser consumida durante os climas mais quentes ou durante as práticas de atividade física, ajudando a prevenir a desidratação.

10. Pode ajudar na prevenção do câncer

Estudos recentes [1] [2], mostraram que a graviola é rica em acetogeninas, um grupo de compostos metabólicos que possuem efeito citotóxico, podendo, assim, combater as células cancerígenas. Além disso, observou-se em alguns estudos que o consumo da graviola a longo prazo pode prevenir e tratar diversos tipos de câncer, como de mama, de cólon, de pulmão e de próstata.

No entanto, todos os estudos foram feitos somente em laboratórios, com células isoladas e animais, sendo necessário ainda realizar pesquisas em seres humanos para comprovar o possível efeito dessa fruta sobre as células cancerígenas.

Tabela de informação nutricional

A tabela a seguir traz a informação nutricional de 100 g de graviola:

Componentes

100 g  de graviola

Energia

62 calorias

Proteínas

0,8 g

Gorduras

0,2 g

Carboidratos

15,8 g

Fibras

1,9 g

Cálcio

40 mg

Magnésio

23 mg

Fósforo 

19 mg

Potássio

250 mg

Vitamina C

19,1 mg

Ácido fólico

14 mcg

Para se obter todos os benefícios da graviola, é importante também manter uma alimentação variada e saudável e praticar exercícios físicos regularmente. Conheça algumas dicas para manter uma alimentação saudável.

Como consumir

A graviola pode ser consumida ao natural ou usada em preparações, como sucos, mousses e sorvetes. Além disso, as folhas da graviola também podem ser usadas para o preparo de chás.

  • Chá de graviola: colocar 10 g de folhas secas de graviola em 1 litro de água fervente. Tampar a bebida e deixar descansar por 5 a 10 minutos. Coar e beber até 3 xícaras por dia após as refeições;
  • Suco de graviola: colocar em um liquidificador 1 xícara de graviola picada e sem sementes, 500 ml de água e 1 col de sobremesa de açúcar mascavo, ou adoçante. Bater, até ficar uma mistura homogênea, e servir em seguida.

Outra forma de consumir a graviola é através de suplementos em cápsulas, onde a dosagem varia de acordo com o fabricante, sendo geralmente indicada a ingestão de 2 cápsulas por dia, 30 minutos antes das refeições. No entanto, a graviola pode causar alguns efeitos colaterais e, por isso, os suplementos só devem ser consumidos sob a orientação de um médico, ou fitoterapeuta.

Possíveis efeitos colaterais

A graviola e suas folhas, quando consumidas em excesso e a longo prazo, podem provocar danos nos nervos e alterações nos movimentos.

Além disso, a graviola pode, em alguns casos, causar neuropatia grave que pode ter sintomas semelhantes à doença de Parkinson, como tremores e rigidez muscular.

Quem não deve consumir

Existem poucas informações sobre a segurança do consumo da graviola durante a gravidez e a amamentação, de forma que deve ser consumida apenas sob orientação médica.

A fruta e as folhas consumidas na forma de chá de graviola também não devem ser consumidas por pessoas com doença de Parkinson e com pressão arterial baixa, já que podem piorar os sintomas.

Além disso, pessoas que fazem uso de medicamentos para depressão, para controlar a pressão arterial e a diabetes, devem informar ao médico antes de consumir a graviola ou o chá, já que pode haver interação com os medicamentos.

Vídeos relacionados