Gravidez psicológica: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
março 2022

A gravidez psicológica é um distúrbio emocional que acontece quando os sintomas de gravidez estão presentes, mas não existe feto se desenvolvendo no útero da mulher,  sendo o principal sintoma ausência de menstruação, e que pode ser confirmado com testes de gravidez e ultrassom.

A gravidez psicológica, que também pode ser chamada de pseudociese, afeta principalmente mulheres que desejam muito engravidar ou aquelas que têm um grande receio de engravidar, como acontece durante a adolescência, por exemplo.

O tratamento para gravidez psicológica pode ser feito com o uso de medicamentos hormonais para regularizar a menstruação, mas também é fundamental o acompanhamento de um psicólogo ou psiquiatra para eliminar as causas que levaram ao desenvolvimento desse problema.

Principais sintomas

Os sintomas da gravidez psicológica são os mesmos de uma gravidez normal, apesar de não haver bebê sendo formado, sendo do principais:

  • Ausência de menstruação;
  • Enjoos;
  • Sonolência;
  • Desejos alimentares;
  • Alterações hormonais;
  • Crescimento da barriga e das mamas;
  • Ganho de peso e aumento do apetite;
  • Sensação de sentir o feto se mexer;
  • Produção de leite materno.

Ainda não se conhece ao certo porque estes sintomas aparecem nos casos de gravidez psicológica, no entanto, é possível que os estímulos psicológicos gerem um aumento na produção de alguns hormônios da gravidez, o que resulta em sintomas iguais aos de uma gravidez verdadeira.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da gravidez psicológica é feito por um clínico geral ou obstetra, que pode solicitar:

  • Teste de gravidez de farmácia;
  • Exame de beta HCG no sangue;
  • Ultrassom transvaginal ou abdominal.

Se a mulher tiver uma gravidez psicológica, os testes de gravidez, tanto o de urina como o de sangue Beta HCG, vão dar sempre resultado negativo devido a ausência do feto no útero da mulher, que estimule a produção de hormônios que indicam sua presença. Da mesma forma, a realização do ultrassom mostrará a ausência do saco gestacional, bem como sinais que possam indicar uma possível gravidez, como batimentos cardíacos fetais ou presença da placenta.

Além disso, o médico pode solicitar outros exames, como níveis do hormônio prolactina no sangue, ou a realização de uma tomografia de crânio para descartar a presença de prolactinoma que pode estar causando a produção de leite.

Saiba os melhores dias para fazer o teste de gravidez.

Possíveis causas da gravidez psicológica

As causas da gravidez psicológica ainda não são conhecidas, no entanto parece estar relacionada com os seguintes fatores:

  • Desejo intenso de engravidar e dificuldade para engravidar;
  • Grande medo de engravidar;
  • Transtornos depressivos relacionados à infertilidade e esterilidade.

Além disso, em alguns casos, a existência de problemas conjugais também parece estar relacionada com o desenvolvimento de uma gravidez psicológica. Por isso, é recomendado que, em casos de problemas conjugais, seja realizada terapia psicológica individualmente ou em casal.

Como é feito o tratamento

As principais estratégias para lidar e tratar a gravidez psicológica incluem:

1. Terapia com o psicólogo

Em alguns casos os resultados negativos dos exames de gravidez não são suficientes para convencer a mulher que ela não está gravida, sendo necessário iniciar sessões de terapia com um psicólogo. Nestas sessões de terapia, o psicólogo além descobrir a razão por traz da gravidez psicológica, vai ajudar a mulher a lidar melhor com a situação, ajudando-a a vencer o problema. 

Em alguns casos, a mulher pode mesmo ficar profundamente desgostosa, triste e desiludida com a ausência de gravidez, o que pode levar à tristeza constante e depressão, e nestes casos é necessário acompanhamento com um psiquiatra.

2. Controlar a ansiedade e desejo de engravidar

A ansiedade é uma das razões que leva muitas vezes ao surgimento de uma gravidez psicológica e na maioria dos casos ela é causada pelo desejo intenso em engravidar ou pela própria pressão causada pela família ou pela sociedade.

Assim, o importante é mesmo manter a ansiedade sob controle usando se possível remédios naturais como o chá de maracujá, valeriana, alecrim, camomila ou erva-dos-gatos, as quais são plantas medicinais com propriedades calmantes e relaxantes.

Assista o vídeo para ver outras excelentes dicas da nutricionista Tatiana que vão ajudar a acabar com o estresse e ansiedade:

Além disso, nos casos mais graves pode mesmo ser necessário fazer tratamento médico com um psiquiatra, onde podem ser prescritos remédios para controlar a ansiedade como Diazepam, Alprazolam ou Lorazepam por exemplo. Saiba que remédios caseiros e de farmácia podem tratar a ansiedade em Remédios para Ansiedade.

3. Tratar a infertilidade e a menopausa precoce

Mulheres que sofrem de infertilidade ou que entram na menopausa precocemente podem ter gravidez psicológica caso queiram engravidam e sintam que o seu tempo está terminando. Nestes caso a melhor solução é mesmo consultar logo o ginecologista quando acha que não está conseguindo engravidar, para que possa ser recomendado o melhor tratamento.

Numa grande parte dos casos de infertilidade ou de menopausa precoce o tratamento envolve a reposição de hormônios com terapia hormonal.

4. Resolver os problemas conjugais

Algumas vezes, a presença de problemas conjugais ou a história de relacionamentos que acabaram em abandono ou separação leva a medos constantes e inseguranças, que podem acabar provocando uma gravidez psicológica.

Nestas situações, é muito importante resolver todos os problemas conjugais e tentar não ver o passado como exemplo. Além disso, a gravidez nunca deve ser vista como uma forma de segurar um relacionamento, pois esse tipo de pensamento vai trazer ansiedade, insegurança e baixa autoestima. 

Além disso, nos casos mais graves pode ser necessário fazer exames para saber se existem problemas hormonais, podendo ser necessário iniciar terapia com hormônios que deve ser indicada e acompanhada pelo ginecologista.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em março de 2022. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • MALCOLM, Adolfo. Phantom Pregnancy. Multimed. Revista Médica. Granma. 19. 5; 2015
  • SEEMAN, Mary. Pseudocyesis, delusional pregnancy, and psychosis: The birth of a delusion. World J Clin Cases. 2. 8; 338-344, 2014
Mostrar bibliografia completa
  • CRUZADO, Lizardo et al. Delirios de embarazo y pseudociesis: una breve aproximación. Rev. Colomb. Psiquiat. 41. 1; 208-216, 2012
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.

Tuasaude no Youtube

  • Alimentos para combater o estresse e a ansiedade

    02:05 | 469060 visualizações