Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é a Terapia de Reposição Hormonal e opções naturais

A Terapia de Reposição Hormonal ou Terapia de Substituição Hormonal, é um tipo de tratamento que permite aliviar os sintomas típicos da menopausa, como ondas de calor, cansaço excessivo, secura vaginal ou queda de cabelos, por exemplo.

Para isso, este tipo de terapia utiliza medicamentos que ajudam a repor os níveis de estrogênio e progesterona, que estão diminuídos na menopausa, já que os ovários deixam de os produzir quando a mulher entra no climatério e na menopausa por volta dos 50 anos de idade.

A reposição hormonal pode ser feita na forma de comprimidos ou adesivo para a pele e a duração do tratamento pode variar entre 2 a 5 anos, dependendo de mulher para mulher. Aprenda a identificar corretamente os sintomas da menopausa.

O que é a Terapia de Reposição Hormonal e opções naturais

Principais medicamentos utilizados

Existem dois tipos principais de terapias que podem ser indicadas pelo obstetra para fazer a reposição dos hormônios:

  • Terapia com estrogênios: nesta terapia são usados medicamentos contendo apenas estrogênios como estradiol, estrona ou mestranol, por exemplo, sendo especialmente indicada para mulheres que tenham removido o útero.
  • Terapia com estrogênio e progesterona: neste caso são usados medicamentos contendo progesterona natural ou uma forma sintética de progesterona combinada com um estrogênio. Esta terapia é especialmente indicada para mulheres com útero.

O tempo de total de tratamento não deve exceder 5 anos, uma vez que este tratamento está relacionado ao aumento do risco de câncer de mama e de doenças cardiovasculares.

Quando se deve evitar a terapia

A terapia de reposição hormonal está contraindicada em algumas situações, que incluem:

  • Câncer de mama;
  • Câncer de endométrio;
  • Porfiria;
  • Lúpus eritematoso sistêmico;
  • Ter tido um infarto ou AVC - acidente vascular cerebral;
  • Trombose venosa profunda;
  • Distúrbios da coagulação sanguínea;
  • Sangramento genital de causa desconhecida.

Esta terapia deve ser sempre indicada e acompanhada pelo ginecologista, pois existe a necessidade de um acompanhamento regular e as doses devem ser ajustadas com o tempo.

Além disso, a reposição hormonal também pode aumentar os riscos de doenças cardíacas, devendo ser feita apenas quando necessária, em baixas doses e por um curto período de tempo.

Como fazer a reposição hormonal Natural

Durante esta fase da vida é possível fazer uma reposição hormonal natural recorrendo ao consumo de alimentos com fitoestrogênios, que são substâncias naturais semelhantes ao estrogênio, e que estão presentes em alimentos como a soja, a linhaça, o inhame ou a amora, por exemplo.

Chá de amora para menopausa

O chá de amora é um ótimo remédio caseiro para reduzir os sintomas da menopausa pois ele ajuda a regular os níveis hormonais de forma natural. Além disso, este chá também possui cálcio e, por isso, pode ajudar a evitar a osteoporose comum da menopausa.

Ingredientes

  • 500 ml de água fervente
  • 5 folhas de amora picadas

Modo de preparo

Colocar as folhas dentro da água fervente, tampar e deixar repousar por 5 a 10 minutos. Depois, coar e beber 2 a 3 vezes por dia.

Além disso, a utilização de algumas plantas medicinais como Erva-de-São-Cristóvão, Árvore-da-Castidade, Pé-de-leão ou Salva também ajudam a combater os sintomas da menopausa, podendo ser indicadas pelo médico para complementar o tratamento. Saiba mais em Como fazer a Reposição Hormonal natural na Menopausa.

Para mais dicas do que você pode fazer para aliviar o desconforto da menopausa de forma natural assista o vídeo:

MENOPAUSA | Dieta para Aliviar Sintomas

186 mil visualizações

Terapia de Reposição hormonal engorda?

A reposição hormonal não engorda pois são utilizados hormônios sintéticos ou naturais, semelhantes aos que o corpo da mulher produz.

Contudo, durante devido ao envelhecimento natural do corpo, com o avançar da idade é normal existir uma maior tendência para engordar, assim como pode também existir um aumento da gordura na região abdominal.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem