Gastroenterite viral: o que é, sintomas e tratamento

A gastroenterite viral é uma doença em que há inflamação do estômago devido à presença de vírus como rotavírus, norovírus, astrovírus e adenovírus, e que leva ao aparecimento de alguns sintomas, como diarreia, náuseas, vômitos e dor abdominal que podem durar até 7 dias caso não seja tratada.

Para combater a gastroenterite, é importante ficar em repouso e beber bastante líquido para repor os minerais perdidos e prevenir a desidratação, além de também ser recomendado ter uma alimentação mais leve e de fácil digestão.

Gastroenterite viral: o que é, sintomas e tratamento

Principais sintomas

Os sintomas de gastroenterite viral podem surgir poucas horas ou até 1 dia após o consumo do alimento ou água contaminada com o vírus, sendo os principais:

  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Diarreia líquida;
  • Dor abdominal;
  • Dor de cabeça;
  • Cólicas;
  • Dor muscular;
  • Febre;
  • Calafrios.

Além disso, quando a gastroenterite viral não é identificada e tratada corretamente, é possível também que surjam sinais e sintomas de desidratação, já que há grande perda de líquidos e minerais, podendo ser notado tontura, lábios secos, suor frio ou falta de suor e alteração dos batimentos cardíacos. Conheça outros sintomas de desidratação.

Dessa forma, na presença de sintomas mais graves de gastroenterite viral que possam ser indicativos de desidratação, é recomendado consultar o clínico geral ou gastroenterologista para que seja possível fazer uma avaliação dos sintomas apresentados e exames que ajudem a identificar o vírus responsável pela infecção.

Como acontece a transmissão

A transmissão da gastroenterite viral acontece por via fecal-oral, através do consumo de água ou alimentos contaminados pelo rotavírus, norovírus, astrovírus ou adenovírus, ou contato com superfícies contaminadas por esses agentes infecciosos. Além disso, alguns destes vírus, são resistentes a temperaturas altas, até aos 60ºC e, por isso, o vírus pode ser transmitido mesmo através de bebidas quentes.

É ainda muito comum a ocorrência de surtos em ambientes fechados, como creches, hospitais, escolas e excursões de cruzeiros, devido à elevada proximidade entre as pessoas e às refeições que ingerem em comum. O rotavírus é o agente mais frequente, sendo responsável por cerda de 60% de todos os episódios de diarreia nos países em desenvolvimento e por cerca de 40% nos países mais desenvolvidos. Saiba mais sobre a infecção pelo rotavírus.

Como prevenir a gastroenterite

Para prevenir a gastroenterite, é importante fazer uma correta higiene pessoal e dos alimentos, sendo importante:

  • Lavar e manter limpas as mãos;
  • Cobrir a boca e o nariz com lenços de papel quando espirrar ou tossir ou usar a dobra do braço;
  • Evitar partilhar toalhas com outras pessoas;
  • Armazenar os alimentos adequadamente;
  • Guardar os alimentos cozidos entre os 0℃ e os 5℃, durante o mínimo de dias possível;
  • Separar os alimentos crus dos alimentos cozidos, que devem ser processados com utensílios diferentes;
  • Cozinhar os alimentos completamente, com calor suficiente, principalmente as aves e os ovos;
  • Manter os utensílios e talheres bem limpos e evitar a partilha.

Além disso, existe ainda uma vacina indicada para prevenir as infecções por rotavírus, que é dada a crianças, para estimular o seu sistema imunológico a produzir anticorpos contra os tipos de rotavírus mais comuns. Veja mais sobre a vacina para rotavírus.

Como é feito o tratamento

O tratamento depende da gravidade da infecção e da resposta da pessoa e geralmente trata-se em casa. Uma das medidas mais importantes é evitar a desidratação através da ingestão de líquidos e soro de reidratação oral, que pode ser preparado em casa ou comprado em farmácias. Em alguns casos, a desidratação pode ter que ser tratada no hospital, através da administração de soro na veia.

Além disso, é importante fazer uma alimentação leve e de fácil digestão para oferecer os nutrientes necessários, sem provocar vômito ou diarreia, devendo-se preferir alimentos como arroz, frutas cozidas, carnes magras, como peito de frango e torradas, e evitar alimentos como leite e derivados, café, alimentos com muita gordura e com muito açúcar e álcool.

Em alguns casos, o médico pode ainda receitar remédios para aliviar os sintomas, como Plasil ou Dramin para as náuseas e os vômitos, Paracetamol para febre e dor abdominal.

Confira no vídeo a seguir algumas outras dicas para aliviar e combater os sintomas da gastroenterite:

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • CARVALHO, Thais Cristina Nascimento et. al.. Conhecimento sobre gastroenterite viral pelos profissionais de saúde de um hospital materno-infantil de referência no Estado do Pará, Brasil . Rev Pan-Amaz Saude 2014. Vol.4. 3.ed; 11-18, 2014
  • JBM. Gastroenterites infecciosas. 2013. Disponível em: <http://files.bvs.br/upload/S/0047-2077/2013/v101n2/a3986.pdf>. Acesso em 23 Abr 2020
  • DETECÇÃO DOS PRINCIPAIS VÍRUS CAUSADORES DE GASTROENTERITES. GASTROENTERITE VIRAL - . 2019. Disponível em: <https://mobiuslife.com.br/wp-content/uploads/2018/04/Gastroenterite-viral.pdf>. Acesso em 23 Abr 2020
Mais sobre este assunto: