Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Entenda o que é a Gastrite Enantematosa e como tratar

A gastrite enantematosa é uma inflamação na parede do estômago, provocada pela bactéria H. pylori, ou devido a doenças autoimunes, pelo consumo de álcool ou pelo uso frequente de medicamentos como aspirinas, remédios anti-inflamatórios ou corticoides.

A gastrite enantematosa é classificada de acordo com a região afetada do estômago e com a gravidade da inflamação. Assim, o diagnóstico de gastrite enantematosa antral significa que a inflamação ocorre na parte final do estômago, enquanto gastrite enantematosa leve é quando a inflamação ainda está no início, não prejudicando muito o estômago. Em casos mais graves, a gastrite enantematosa é classificada como sendo moderada ou severa.

Entenda o que é a Gastrite Enantematosa e como tratar

Tratamento para gastrite enantematosa

O tratamento para gastrite enantematosa inclui:

  • Diminuir a acidez no estômago usando medicamentos antiácidos, como Pepsamar e Mylanta, ou protetores gástricos como Omeprazol e Ranitidina;
  • Eliminar a bactéria H. pylori através do uso de antibióticos, quando essa for a causa da gastrite;
  • Alterar os hábitos alimentares, evitando alimentos gordurosos e que irritam o intestino, como pimenta, carnes vermelhas, bacon, linguiça, salsicha, frituras, chocolate e cafeína;
  • Parar de fumar e de consumir bebidas alcoólicas.

A duração do tratamento da gastrite enantematosa depende da gravidade da inflamação e das causas da gastrite, devendo sempre ser orientado pelo médico gastroenterologista. Quando o tratamento é realizado segundo as instruções do médico é possível curar essa gastrite dentro de algumas semanas ou meses.

Para saber mais sobre o tratamento da gastrite, veja também:

Dieta para gastrite

Veja no vídeo a seguir como deve ser a alimentação para curar a gastrite e úlcera de estômago:

Sintomas de gastrite enantematosa

Os sintomas de gastrite enantematosa surgem geralmente após as refeições, podendo durar cerca de 2h, e são:

  • Dor e queimação no estômago;
  • Azia;
  • Enjoo;
  • Má digestão;
  • Gases e arrotos frequentes;
  • Falta de apetite;
  • Vômito ou ânsia de vômito;
  • Dor de cabeça e mal-estar.

Na presença constante desses sintomas ou quando ocorre o aparecimento de sangue nas fezes, deve-se procurar o médico gastrentorologista.

O diagnóstico desse tipo de gastrite é confirmado através de um exame chamado endoscopia, através do qual o médico consegue visualizar a parte interna do estômago identificando a inflamação das paredes do estômago. Saiba como é feita a endoscopia e o que acontece nesse exame.

Gastrite enantematosa vira câncer?

Existe a comprovação de que quando a pessoa tem gastrite com a bactéria H. Pylori no estômago tem 10 vezes mais chances de desenvolver o câncer, no entanto não são todos os pacientes que tem essa bactéria que irão desenvolver essa doença porque existem muitos outros fatores envolvidos como genética, hábito de fumar, alimentação e outros hábitos de vida.

Antes de uma gastrite virar câncer, o tecido do estômago passa por várias transformações que podem ser observadas através da endoscopia e da biópsia. A primeira transformação é a do tecido normal para gastrite, que a seguir se torna uma gastrite crônica não-atrófica, que se altera para gastrite atrófica, e que depois vira uma metaplasia, e depois uma displasia, e somente depois disso, se transforma em câncer.

A melhor forma de evitar o câncer é seguir o tratamento indicado pelo médico, deixando de fumar, fazendo a alimentação adequada e usando os medicamentos para o estômago. Após controlar os sintomas, pode ser indicado voltar ao médico em cerca de 6 meses para repetir os exames e avaliar o estômago. Se nesse período ainda não tiver conseguido controlar a dor de estômago e a má digestão, pode-se usar outros medicamentos indicados pelo médico até que a gastrite seja curada.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...