Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Doença fogo selvagem: o que é, sintomas, causas e tratamento

Janeiro 2021

A doença do fogo selvagem, chamada cientificamente de pênfigo, é uma doença autoimune rara em que o sistema imunológico produz anticorpos que atacam e destroem as células da pele e das mucosas como boca, nariz, garganta ou órgãos genitais, formando bolhas ou feridas que causam sensação de ardor, queimação e dor, sendo mais comum em adultos e pessoas mais velhas, apesar de poder acontecer em qualquer idade.   

Os sintomas de fogo selvagem podem ser confundidos com os de outras doenças de pele, como penfigóide bolhoso, lúpus eritematoso e doença de Hailey-Hailey, por exemplo. Por isso, é importante que o dermatologista ou clínico geral seja consultado para que possa ser confirmado o diagnóstico do fogo selvagem e, assim, ser iniciado o tratamento mais adequado para aliviar os sintomas e prevenir complicações.

Doença fogo selvagem: o que é, sintomas, causas e tratamento

Principais sintomas

O principal sintoma de fogo selvagem é a formação de bolhas que podem se romper facilmente e formar feridas que causam sensação de ardor e queimação. De acordo com o local em que as bolhas surgem, a doença do fogo selvagem pode ser classificada em dois tipos principais:

  • Fogo selvagem vulgar ou pênfigo vulgar: começa com formação de bolhas na boca e, em seguida, na pele ou nas mucosas como garganta, nariz ou órgãos genitais, que geralmente são dolorosas, mas não coçam. Quando aparecem na boca ou na garganta podem dificultar a ingestão de alimentação e causar desnutrição;
  • Fogo selvagem foliáceo ou pênfigo foliáceo: as bolhas geralmente se formam no couro cabeludo, rosto, pescoço, peito, nas costas ou nos ombros, afetando a camada mais externa da pele, e podem se espalhar para todo o corpo causando queimação e dor. Este tipo de fogo selvagem não causa bolhas em mucosas.

Caso seja notado o aparecimento de bolhas na pele ou na mucosa que não cicatrizam, é importante que o dermatologista ou o clínico geral seja consultado, pois assim é possível que seja feita uma avaliação dos sintomas e seja indicada a realização de exames de sangue e biópsia de pele e da mucosa para confirmar o diagnóstico da doença do fogo selvagem. Quando a pessoa apresenta desconforto na garganta, o médico também pode indicar a realização de endoscopia para confirmar o fogo selvagem vulgar.

Possíveis causas

O fogo selvagem é uma doença autoimune em que o sistema imunológico reage contra as células da pele ou da mucosa, atacando e destruindo estas células como se fossem estranhas ao organismo, o que leva ao aparecimento de bolhas e feridas.

Outra causa do fogo selvagem, embora seja mais rara, é o uso de medicamentos como inibidores da enzima conversora de angiotensina ou penicilinas, que podem favorecer a produção de auto-anticorpos que atacam as células da pele, levando ao desenvolvimento do fogo selvagem foliáceo.

Doença fogo selvagem: o que é, sintomas, causas e tratamento

Como é feito o tratamento

O tratamento do fogo selvagem é feito para controlar os sintomas, reduzir a formação de bolhas e feridas, e evitar complicações como desnutrição ou infecções generalizadas. Os medicamentos que o dermatologista pode indicar para o tratamento são:

  • Corticóides como prednisona ou prednisolona que reduzem a inflamação e diminuem a ação do sistema imunológico, sendo usados no tratamento inicial e em casos leves;
  • Imunossupressores como azatioprina, micofenolato, metotrexato ou ciclofosfamida, pois ajudam a evitar que o sistema imunológico ataque o as células da pele ou da mucosa, e sendo usados nos casos em que os corticóides não apresentam melhora dos sintomas ou nos casos moderados a graves;
  • Anticorpo monoclonal como o rituximabe, que age controlando a imunidade e diminuindo os efeitos do sistema imunológico no organismo, sendo usado junto com os corticóides ou imunossupressores para o tratamento inicial em casos moderados ou graves.

Além disso, o médico pode indicar outros remédios como analgésicos para reduzir a dor, antibióticos para combater infecções ou pastilhas anestésicas para a boca.

Se o uso de algum medicamento foi a causa do aparecimento das bolhas, interromper o uso do remédio pode ser o suficiente para tratar o fogo selvagem.

Já nos casos de desnutrição causada pela má alimentação por causa das bolhas e feridas na boca ou garganta, pode ser necessária internação hospitalar e tratamento com soro e alimentação parenteral, que é dada diretamente na veia, até que a pessoa esteja recuperada.

Cuidados durante o tratamento 

Alguns cuidados são importantes durante o tratamento para ajudar a recuperar mais rápido ou para evitar o reaparecimento dos sintomas:

  • Cuidar das feridas conforme orientação do médico ou do enfermeiro;
  • Usar sabonete neutro lavar o corpo de forma suave;
  • Evitar exposição ao sol, pois a radiação ultravioleta pode causar aparecimento de novas bolhas na pele;
  • Evitar alimentos apimentados ou ácidos que podem irritar as bolhas na boca;
  • Evitar atividades físicas que possam machucar a pele, como esportes de contato.

No caso do fogo selvagem ocasionar bolhas na boca que impeçam a pessoa de escovar os dentes ou passar fio dental, pode ser necessário um tratamento especial para prevenir doenças da gengiva ou cáries. Por isso, é importante consultar um dentista para que seja orientado como fazer a higiene bucal, de acordo com a gravidade de cada caso.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • KRIDIN, Khalaf. Pemphigus group: overview, epidemiology, mortality, and comorbidities. Immunol Res. 66. 2; 255-270, 2018
  • SCHMIDT, Enno; KASPERKIEWICZ, Michael; JOLY, Pascal. Pemphigus. Lancet. 394. 10201; 882-894, 2019
  • KASPERLIEWICZ, Michael; et al. Pemphigus. Nat Rev Dis Primers. 11. 3; 17026, 2017
Mais sobre este assunto:

Carregando
...