É normal sentir falta de ar na gravidez?

Revisão médica: Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
junho 2022

Sentir falta de ar na gravidez é normal, desde que não haja outros sintomas envolvidos. Isso ocorre porque, com o crescimento do bebê, o diafragma e os pulmões vão sendo comprimidos e a capacidade de expansão da caixa torácica fica diminuída, gerando a sensação de falta de ar, sem que haja queda dos níveis de oxigênio no sangue.

 No entanto, a falta de ar também pode indicar doenças graves como asma, edema pulmonar, embolia pulmonar e reações alérgicas, principalmente quando ocorre subitamente e quando é acompanhada por outros sintomas como tosse, chiado no peito ou presença de sangue no catarro.

Assim, caso a falta de ar aconteça de forma inesperada e/ou seja acompanhada por outros sintomas, é importante que a mulher vá à emergência mais próxima para que seja feita uma avaliação e seja iniciado o tratamento mais adequado, caso haja necessidade.

O que fazer

Para aliviar a falta de ar na gravidez, o que se pode fazer é evitar grandes esforços, não se deitar de barriga para cima e tentar reduzir a ansiedade. Quando a grávida começar a sentir dificuldade para respirar, é importante concentrar-se na sua própria respiração, tentando acalmar-se o máximo possível. 

Além disso, como a falta de ar na gravidez geralmente está relacionada apenas às mudanças do corpo que são comuns nesse período, como as mudanças hormonais e o crescimento do bebê, não há nenhum medicamento específico que seja indicado para aliviar essa sensação.

No entanto, se a falta de ar for súbita ou ocorrer com outros sintomas, como febre, arrepios ou tosse, é importante ir à emergência ou consultar o obstetra assim que possível para que seja feita uma avaliação do estado geral de saúde da mulher e do bebê e seja verificada a necessidade de iniciar algum tratamento mais específico. 

Confira no vídeo a seguir algumas dicas do que fazer para aliviar a falta de ar na gravidez:

Falta de ar na gravidez prejudica o bebê?

A falta de ar ligeira que a maior parte das grávidas sentem durante a gravidez não prejudica o bebê de forma nenhuma, porque o bebê recebe o oxigênio que necessita através do sangue vindo pelo cordão umbilical, não havendo interferência no seu desenvolvimento.

Porém, se a grávida sentir qualquer outro sintoma além da falta de ar, ou se a falta de ar se tornar cada vez pior, é importante ir à emergência mais próxima para uma avaliação.

Falta de ar no início da gravidez

A falta de ar no início da gravidez não é muito comum, no entanto, pode acontecer como consequência das alterações hormonais típicas desse momento.

No entanto, com o crescimento do bebê, os pulmões e o diafragma começam a ser comprimidos, de forma que a falta de ar na gravidez é mais comum a partir de 24 semanas.  Além disso, essa sensação pode durar até às 36 semanas de gestação, que é geralmente quando o bebê encaixa na pelve, dando mais espaço para o diafragma e para os pulmões.

Possíveis causas

A falta de ar na gravidez pode ser causada por:

  • Excesso de atividade física;
  • Cansaço;
  • Crescimento do bebê;
  • Ansiedade;
  • Asma;
  • Bronquite;
  • Embolia pulmonar;
  • Edema pulmonar.

Assim, principalmente quando a falta de ar piorar muito rapidamente ou ocorrer com outros sintomas, como tosse ou chiado no peito, é importante procurar um médico assim que possível para uma avaliação mais detalhada. Saiba o que pode estar causando a falta de ar.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em junho de 2022. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • MORONG, Sharon et al. Sleep Position and Pregnancy. Positional Therapy in Obstructive Sleep Apnea. 163-173, 2014
  • SOMA-PILLAY, Priya; NELSON-PIERCY, Catherine; TOLPPANEN, Heli; MEBAZAA, Alexandre. Physiological changes in pregnancy. Cardiovasc J Afr. Vol 27. 2 ed; 89-94, 2016
Mostrar bibliografia completa
  • LOMAURO, Antonella; ALIVERTI, Andrea. Respiratory physiology of pregnancy. Breathe. Vol.11, n.4. 297-301, 2015
  • LEE, Shih-Yi et al. Dyspnea in pregnancy. Taiwan J Obstet Gynecol. Vol.56, n.4. 432-436, 2017
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.

Tuasaude no Youtube

  • Como aliviar os Sintomas de Gravidez

    11:13 | 60786 visualizações