Própolis: para que serve e como usar

O própolis é uma resina naturalmente produzida pelas abelhas a partir da seiva das árvores, que é combinada com a cera e a saliva das abelhas, resultando em um produto marrom pegajoso que serve como revestimento e proteção da colmeia.

Atualmente já foram identificados mais de 300 compostos no própolis, a maioria na forma de polifenóis que atuam como antioxidantes, ajudando na prevenção e combate de doenças. O própolis ainda possui propriedades que protegem contra bactérias, vírus e fungos, bem como é anti-inflamatório e possui ação cicatrizante.

O própolis varia entre as cores marrom, verde ou vermelha e a forma de apresentação mais comum é em extrato, mas também é encontrada em pó e na base de outros produtos que utilizam este ingrediente como cremes, pomadas, cápsulas e até cosméticos. Conheça mais sobre o própolis no vídeo a seguir:

Assim, devido à ação antimicrobiana, anti-inflamatória e antioxidante, o própolis pode trazer diversos benefícios para a saúde, podendo servir para:

1. Fortalecer o sistema imunológico

Uma das propriedades mais conhecidas do própolis é sua ação antioxidante, anti-inflamatória, imunomoduladora e antiviral, fortalecendo o sistema imunológico contra infecções locais em todo o organismo.

Por esse motivo, o própolis tem sido recomendado para ajudar no tratamento de infecções na garganta e amigdalite. Além disso, a resina também é indicada para tratar problemas respiratórios, como gripes, sinusites e resfriados.

2. Acelerar a cicatrização de feridas

Foi comprovado que o própolis atua sobre lesões de pele impedindo o crescimento e a ação das bactérias, leveduras e fungos, acelerando o processo de cicatrização. Aplicar própolis na pele a cada 3 dias pode ajudar a tratar pequenas queimaduras e prevenir infecções. Entretanto, mais estudos são necessários para a definição da dose e efeitos desse composto.

Quando comparado à ação anti-inflamatória da Dexametasona, por exemplo, o própolis apresentou melhores resultados no tratamento de feridas cirúrgicas da boca. O própolis também acelera a cicatrização de feridas nos pés de pessoas com diabetes e promove a recuperação de queimaduras, pois acelera o crescimento de novas células saudáveis.

3. Ajudar a tratar o herpes

Algumas pomadas contêm própolis em sua composição, como Herstat ou Coldsore-FX, que atuam na diminuição dos sintomas e na cura mais rápida das feridas de herpes labial e genital. No entanto, o própolis sozinho também vem apresentando resultados, se aplicado de 3 a 4 vezes ao dia sobre a ferida, apresentando tempo de cura mais eficiente do que com outras substâncias, como o Aciclovir, que é normalmente indicado no tratamento do herpes.

Além disso, a utilização do creme de própolis já tem associação com a proteção do corpo contra futuras lesões por herpes.

4. Curar aftas e gengivites

Por suas propriedades antimicrobianas, tomar própolis todos os dias, por via oral, combate e reduz as aftas bem como previne que elas apareçam. O mesmo acontece nos casos de pessoas com gengivite, que é inflamação da gengiva, onde o própolis pode ser usado em gel ou com enxágue prevenindo e reduzindo os sinais da doença, além de auxiliar a combater o mau hálito.

5. Prevenir contra o câncer

O própolis possui efeito anti-cancerígenos, pois como é imunomodulador, consegue aumentar a atividade dos anticorpos, reduzindo a chance das células se tornarem cancerosas e impedindo a sua multiplicação. Alguns estudos indicam que o uso do própolis como tratamento complementar do câncer de mama é bastante eficaz.

6. Proteger contra a Helicobacter pylori

O própolis possui ação antimicrobiana, anti-inflamatória e antioxidante, além de ser capaz de modelar as atividades enzimáticas, e, por isso, tem sido considerado como uma alternativa para o tratamento da infecção por Helicobacter pylori (H. pylori), ajudando a aliviar os sintomas de gastrite, úlcera péptica e alguns tipos de câncer.

Como usar o própolis

Própolis: para que serve e como usar

O própolis pode ser usado aplicado diretamente sobre a pele, na água para fazer inalações com o vapor, para gargarejo ou pode ser tomado puro ou diluído em água ou chá.

O própolis puro é a resina desidratada e moída em flocos. Essa forma é mais difícil de ser encontrada, mas é comercializada em lojas de produtos naturais ou diretamente com os produtores e pode ser consumida adicionada a sucos ou iogurte. Já o extrato, é o própolis concentrado e diluído em álcool ou água.

Já existem no mercado cremes, pomadas e loções contendo a resina, já para ser ingerido ele é encontrado em forma de comprimidos, extrato líquido e cápsulas e também existe em alimentos funcionais e cosméticos. O própolis pode ser encontrado e adquirido em farmácias e lojas de produtos naturais ou diretamente com os produtores.

O própolis é comercializado em diversas concentrações e por isso ainda não existem estudos que indiquem uma dose recomendada. Geralmente existe uma recomendação de dose sugerida no rótulo do produto, mas é indicado consultar um médico ou um profissional de saúde especializado no uso da resina antes de fazer uso.

Possíveis efeitos colaterais

O principal efeito colateral que pode ocorrer com o uso do própolis é a reação alérgica que causa sintomas como inchaço, vermelhidão, coceira ou urticária na pele.

Para evitar reações graves de alergia, é recomendado fazer um teste de sensibilidade antes de utilizar o própolis, sendo para isso apenas necessário pingar 2 gotas do extrato no antebraço e aguardar entre 20 a 30 minutos e verificar se surge coceira ou vermelhidão na pele.

Quem não deve usar

O extrato de própolis está contraindicado para pessoas com alergia a abelhas, ao própolis ou a algum dos componentes da fórmula do produto. Durante a gravidez ou lactação, o própolis só deve ser usado somente com orientação médica.

Além disso, as versões do extrato com álcool na composição estão também contra indicadas para crianças com menos de 12 anos de idade e alcoolistas.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • MARTINOTTI, Simona; RANZATO, Elia. Propolis: a new frontier for wound healing?. Burns & Trauma. Vol. 3, n. 9. 2015
  • BARROSO, Poliana Ribeiro et al.. Effect of propolis on mast cells in wound healing. Inflammopharmacology. Vol. 20, n. 5. 289-94, 2012
  • SHAPLA, Ummay Mahfuza, et al. Propolis: The future therapy against Helicobacter pylori-mediated gastrointestinal diseases. Journal of Applied Biomedicine. Vol. 16. 81-99, 2018
  • CHAN, Godfrey Chi-Fung. The immunomodulatory and anticancer properties of propolis. Clin Rev Allergy Immunol . Vol. 44, n. 3. 262-273, 2013
  • SFORCIN, José M, et al. Biological Properties and Therapeutic Applications of Propolis. Phytother Res . Vol. 30, n. 6. 894-905, 2016
  • HEALTHLINE. The Benefits and Uses of Propolis. Disponível em: <https://www.healthline.com/health/propolis-an-ancient-healer>. Acesso em 07 Ago 2020
  • CHIU, Hui Fang, et al. Chemopreventive and Chemotherapeutic Effect of Propolis and Its Constituents: A Mini-review. Journal of Cancer Prevention. Vol. 25. 70-78, 2020
  • MAHFUZA Ummay; RAIHAN Jinat et al. Propolis: The future therapy against Helicobacter pylori-mediated gastrointestinal diseases. Journal of Applied Biomedicine. 16. 81-99, 2018
Mais sobre este assunto: