Estomatite Aftosa: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
março 2022

A estomatite aftosa é uma situação caracterizada pelo aparecimento de aftas, bolhas ou ulcerações na boca de forma frequente, sendo mais comum de acontecer em bebês, crianças ou pessoas que possuem o sistema imunológico enfraquecido devido a doenças crônicas, como é o caso da infecção pelo HIV, por exemplo.

As aftas, bolhas e feridas podem, em alguns casos, surgir a cada 15 dias podendo ser desencadeada por estresse, alterações hormonais ou do sistema imune, além de também poder acontecer devido a deficiências minerais e de vitaminas, principalmente vitamina B12.

O tratamento da estomatite aftosa deve ser orientado pelo dentista ou pelo médico de acordo com sua causa, gravidade dos sintomas e frequência com que acontecem, podendo ser recomendado melhora da higienização bucal ou uso de remédios anti-inflamatórios ou anestésicos, por exemplo.

Principais sintomas

O principal sintoma de estomatite aftosa é o aparecimento de aftas, bolhas ou feridas na boca de formato oval e que possuem menos de 1 cm de diâmetro. Além disso, as aftas e feridas podem ser dolorosas, dificultar a ingestão de bebidas e de alimentos, além de haver maior sensibilidade na boca.

Apesar da estomatite aparecer mais facilmente nos lábios, em alguns casos pode também aparecer no céu da boca, garganta e na gengiva, o que pode ser ainda mais desconfortável. Conheça outros sintomas de estomatite.

De acordo com as características, o tamanho e quantidade de aftas que se formam na boca, a estomatite pode ser classificada em:

1. Estomatite aftosa do tipo menor

Este tipo de estomatite é o mais comum e é caracterizado por aftas pequenas, com aproximadamente 10 mm, e que geralmente levam entre 10 a 14 dias a desaparecer e sarar. Nesse tipo de estomatite as aftas possuem forma arredondada, de cor cinza ou amarelada e com bordas avermelhadas.

2. Estomatite aftosa do tipo maior

Este tipo de estomatite provoca aftas maiores, que podem chegar a 1 cm de tamanho, podendo levar desde dias a meses a sarar por completo devido ao seu tamanho. Este tipo de estomatite é menos comum, e as aftas quando aparecem surgem em menor quantidade, deixando cicatrizes na boca.

3. Estomatite do tipo herpetiforme

No caso da estomatite herpetiforme as aftas aparecem em surtos, normalmente são bem pequenas, podendo ter 1 a 3 mm de tamanho e geralmente aparecem em grande número, podendo surgir 100 aftas por episódio.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da estomatite aftosa é feito pelo dentista ou clínico geral através da avaliação da lesão na boca, frequência com que surgem as aftas e suas características, além de ser verificado qual o fator que favorece o aparecimento da estomatite, sendo que geralmente, não são necessários exames.

No entanto, quando a estomatite aftosa é grave, persistente ou aparece frequentemente, o médico pode solicitar exames de sangue pois permitem identificar a causa do surgimento dos sintomas, como deficiência de vitamina B12, ácido fólico ou ferro, ou neutropenia, que é o enfraquecimento do sistema imunológico.

Além disso, o médico pode solicitar outros exames para diagnosticar doenças que podem causar a estomatite aftosa, como anticorpo anti-endomísio e anticorpo anti-transglutaminase tissular, para detectar a doença celíaca, ou exame de HIV.

Possíveis causas

A estomatite aftosa pode aparecer em qualquer momento, sem haver fator desencadeante. No entanto, algumas situações podem favorecer o aparecimento das aftas e feridas na boca, sendo as principais:

  • Histórico familiar da doença;
  • Trauma na boca, lábios, céu da boca, garganta e na gengiva;
  • Má higiene bucal;
  • Infecção por vírus, como o vírus da herpes;
  • Alterações hormonais, sendo isso mais comum nas mulheres;
  • Deficiências nutricionais, principalmente ácido fólico e vitamina B12;
  • Alterações no sistema imune, como no caso de doenças autoimune e infecção pelo HIV, por exemplo;
  • Doença celíaca;
  • Estresse emocional ou físico;
  • Exposição a toxinas, como nitratos;
  • Hábito de fumar.

Além disso, a estomatite aftosa pode ser causada por alergia ao lauril sulfato de sódio presente na pasta de dentes ou em enxaguantes bucais, ou devido a maior sensibilidade a alimentos, como canela, queijo ou frutas cítricas, por exemplo.

Como é feito o tratamento

O tratamento para estomatite aftosa deve ser orientado pelo médico ou dentista com o objetivo de aliviar os sintomas como dor e desconforto, além de ajudar na cicatrização das úlceras.

Assim, podem ser recomendados alguns remédios anti-inflamatórios, como o triancinolona, anestésicos, como a benzocaína, ou antissépticos, como clorexidina ou água oxigenada, por exemplo, para serem usados diretamente sobre a afta, de acordo com a orientação do médico.

No caso da estomatite aftosa grave ou recorrente, pode ser realizado um tratamento com aplicação de laser, realizada pelo dentista. Já nos casos de deficiência nutricional, o médico ou o nutricionista podem indicar o uso de suplementos nutricionais.

Além disso, também pode ser recomendado o uso de remédios naturais e homeopáticos como a quercetina, o extrato da casca do Mangue-vermelho, extrato de alcaçuz ou própolis que ajudam a reduzir os sintomas apresentados. Confira outras opções de remédios naturais para estomatite.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em março de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em setembro de 2020.

Bibliografia

  • STAINES, K.; GREENWOOD, M. Aphthous ulcers (recurrent). BMJ Clin Evid. 2015. 2015
  • QUEIROZ, S. I. M. L.; et al. Recurrent aphthous ulceration: an epidemiological study of etiological factors, treatment and differential diagnosis. An Bras Dermatol. 93. 3; 341-346, 2018
Mostrar bibliografia completa
  • CHIANG, C. P.; et al. Recurrent aphthous stomatitis - Etiology, serum autoantibodies, anemia, hematinic deficiencies, and management. J Formos Med Assoc. 118. 9; 1279-1289, 2019
  • BIJELIC, B.; et al. Celiac disease-specific and inflammatory bowel disease-related antibodies in patients with recurrent aphthous stomatitis. Immunobiology. 224. 1; 75-79, 2019
  • PLEWA, M. C.; CHATTERJEE, K. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Aphthous Stomatitis. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK431059/>. Acesso em 16 mar 2022
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.