Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Espermograma: para que serve e como é feito

O exame de espermograma tem como objetivo analisar a quantidade e qualidade dos espermatozóides do homem e é solicitado principalmente para investigar a causa de infertilidade de um casal, por exemplo.

Além de ser solicitado para avaliar a capacidade reprodutiva do homem, esse exame também pode ser solicitado após cirurgia de vasectomia e para avaliar o funcionamento dos testículos. Saiba quais são as principais causas de infertilidade masculina e como tratar.

O espermograma custa entre R$70 e R$180,00 dependendo do laboratório, mas é disponibilizado gratuitamente pelo SUS.

Espermograma: para que serve e como é feito

Como é feito

Para realizar o exame é necessária uma amostra de sêmen, que normalmente é coletada no próprio laboratório por meio da masturbação. O material ejaculado é depositado em um recipiente próprio fornecido pelo laboratório e em seguida encaminhado para a análise.

É importante que o homem não pratique relações sexuais ou qualquer outra ação que provoque ejaculação 2 a 5 dias antes de realizar o exame, pois pode influenciar na quantidade total de espermatozóides presentes no sêmen. Além disso, a masturbação para a coleta não deve ser feita com o auxílio de lubrificantes, pois podem interferir no resultado do exame.

O que é analisado

A análise do sêmen ocorre em duas etapas, sendo a primeira uma análise macroscópica e a segunda uma análise microscópica. Ambas as etapas são fundamentais para avaliação da qualidade e quantidade de espermatozóides capazes de fertilizar um óvulo, indicando, assim, a capacidade reprodutiva do homem.

A análise macroscópica, ou seja, a olho nu, leva em consideração a avaliação de critérios como viscosidade, cor, pH, volume e tempo que o sêmen leva para se tornar completamente líquido, chamado de liquefação. A análise microscópica envolve a análise de critérios que só podem ser visualizados com o auxílio de um microscópio, como concentração de espermatozóides por mL e por volume total ejaculado, motilidade, vitalidade e morfologia.

A partir das análises realizadas em laboratório, é liberado um laudo contendo todos os parâmetros relacionados ao exame de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde. Entenda como interpretar o resultado do espermograma.

Quando é indicado

Normalmente o espermograma é indicado pelo urologista quando o casal possui dificuldades para engravidar, sendo, assim, investigado se o homem é capaz de produzir espermatozóides em quantidades suficientes e viáveis. Além disso, pode ser indicado quando o homem apresenta algum sinal genético, físico ou imunológico que possa interferir na fertilidade masculina.

Assim, o espermograma é feito para avaliar o funcionamento dos testículos e integridade do epidídimo, analisando, assim, qualidade e quantidade de espermatozóides produzidos pelo homem.

Recomendações importantes

Para realizar o exame corretamente o homem deve:

  • Não ter relações entre 2 e 5 dias antes da coleta;
  • Antes da coleta, lavar muito bem as mãos e o órgão genital;
  • Alguns médicos pedem para que seja feito em jejum, para um resultado mais fidedigno;
  • A coleta não deve ser feita em casa para evitar alguma contaminação.

Os laboratórios não aceitam o esperma que não tenha sido colhido na própria clínica e não é recomendado que o esperma seja colhido após o coito interrompido e nem através do preservativo, pois pode interferir no resultado do exame.

Além disso, é importante anotar a hora em que foi realizada a coleta para que seja levada em consideração na hora da análise laboratorial, já que o espermatozóide consegue sobreviver até 6 horas no pote de coleta para espermograma em condições adequadas.

Exames complementares

A depender do resultado do espermograma e condição clínica do homem, o urologista pode recomendar a realização de exames complementares, como:

  • Espermograma sob magnificação, que permite uma análise mais precisa da morfologia do espermatozóide;
  • Fragmentação de DNA, que verifica a quantidade de DNA que é liberado dos espermatozóides e fica no líquido seminal, o que pode indicar infertilidade dependendo da concentração de DNA;
  • FISH, que é um teste molecular realizado com o objetivo de verificar a quantidade de espermatozóides deficientes;
  • Teste de carga viral, que normalmente é solicitado para homens que possuem doenças causadas por vírus, como HIV, por exemplo.

Além desses exames complementares, o congelamento seminal pode ser recomendado pelo médico caso o homem irá realizar ou está realizando tratamento quimioterápico.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...