Escleroterapia com espuma: o que é e como é feita

Revisão médica: Dr. Arthur Frazão
Oftalmologista
agosto 2021

A escleroterapia com espuma densa é um tipo de tratamento que elimina completamente as varizes e os pequenos vasinhos. A técnica consiste em aplicar uma substância esclerosante chamada Polidocanol, em forma de espuma, diretamente nas varizes, até que estas desapareçam.

A escleroterapia com espuma é eficaz nas microvarizes e varizes de até 2 mm, eliminado-as completamente. Nas varizes de maior calibre, este tratamento pode não dar o melhor resultado, mas é capaz de diminuir o seu tamanho, sendo necessária mais de 1 aplicação na mesma variz.

É importante que esse procedimento seja realizado após indicação do cirurgião vascular para evitar a ocorrência de complicações.

Como é feita

Este tratamento é relativamente simples e realizado no consultório médico sem que haja a necessidade de internamento ou anestesia. Apesar de ser um procedimento simples e sem muitas complicações, é importante que a escleroterapia com espuma seja realizada por um médico especialista, de preferência pelo angiologista.

Para fazer o procedimento, o médico localiza a veia por meio do ultrassom e, em seguida, faz a injeção da substância em forma de espuma diretamente na veia, o que faz com que se feche e o sangue seja redirecionando, melhorando a circulação sanguínea e combatendo as varizes e os pequenos vasinhos. Durante a injeção, é possível que a pessoa sinta uma pequena dor e desconforto, porém costuma ser bem tolerada e desaparece após a injeção.

Após a sessão de escleroterapia com espuma, recomenda-se que a pessoa use meias de compressão elástica, tipo Kendall, para melhorar o retorno venoso e diminuir as chances de aparecer novas varizes. É ainda indicado que a pessoa não se exponha ao sol para evitar que a região fique manchada. Se for mesmo necessário, deve-se usar um filtro solar em toda a área tratada.

Esse tratamento é definitivo?

A eliminação das varizes e pequenos vasinhos com a escleroterapia com espuma é praticamente definitivo porque o vaso tratado não voltará a apresentar variz, no entanto, outras varizes podem surgir porque este também tem uma característica hereditária.

Riscos da escleroterapia com espuma

A escleroterapia com espuma é um procedimento seguro e possui baixos riscos, sendo apenas possível perceber pequenas alterações locais relacionadas à aplicação da espuma, como por exemplo ardência, inchaço ou vermelhidão da região que passam dentro que algumas horas, por exemplo.

Apesar de não oferecer riscos, em alguns casos raros a escleroterapia pode resultar em algumas consequências, como por exemplo trombose venosa profunda e embolia, que pode causar o deslocamento de coágulos pelo corpo e atingir o pulmão, por exemplo. Além disso pode haver reação alérgica grave, formação de feridas de difícil cicatrização ou hiperpigmentação da região.

Por isso, é importante que o cirurgião vascular seja consultado antes da realização da escleroterapia para que sejam avaliados os riscos da realização desse procedimento.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em agosto de 2021. Revisão médica por Dr. Arthur Frazão - Oftalmologista, em fevereiro de 2016.
Revisão médica:
Dr. Arthur Frazão
Clínico geral
Médico generalista, especialista em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em 2008, com registro profissional no CRM/PE 16878