Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Enxaguante bucal - tipos, como e quando usar

O uso de enxaguante é importante para a saúde da boca, pois previne problemas como cáries, placa bacteriana, gengivite e mau hálito, favorecendo um hálito refrescante e dentes mais bonitos. Estes produtos podem ter composições diferentes, com ou sem álcool, fluoretado ou sem flúor, que se adequam às necessidades da boca de cada pessoa e, preferencialmente, devem ser orientados pelo dentista, para que se consiga o máximo de benefício.

Entretanto, nem sempre é necessário o uso do enxaguante bucal, já que as pessoas que mais se beneficiam são aquelas que passaram por um procedimento cirúrgico bucal ou que têm alguma doença periodontal, como cáries, gengivites e dentes sensíveis. Isso porque, apesar do efeito de potencializar a limpeza da boca, o seu uso em excesso pode agredir o esmalte dos dentes, facilitar a formação de manchas e ressecar a mucosa oral.

O enxaguante deve ser utilizado sempre depois da escovação, fio dental e raspagem da língua, já que a boca tem que estar livre de placa e impurezas para o produto agir. Além disso, como existem inúmeras marcas deste produto, como Colgate, Listerine, Sensodyne, Halicare, Oral-B ou Cepacol, por exemplo, é importante checar se a marca tem aprovação da ANVISA e checar no rótulo os princípios ativos contidos na composição, para escolha e uso conforme orientação do dentista. 

Enxaguante bucal - tipos, como e quando usar

Como usar corretamente 

Para usar o enxaguante bucal deve fazer a higiene oral da seguinte forma:

  • Passar primeiro o fio dental entre todos os dentes. Pessoas com dentes muito unidos podem usar a fita dentária porque esta não machuca os dentes;
  • Escovar os dentes com escova e creme dental com flúor durante 2 minutos;
  • Enxaguar a boca apenas com água para eliminar completamente o creme dental;
  • Por último deve-se colocar o enxaguante bucal diretamente na boca, bochechar durante alguns segundos, se certificando de que o produto atinge todas as áreas da boca e cuspir. Pode-se usar a tampa do produto como copo medidor. 

Não se deve engolir o enxaguante bucal porque ele não é adequado para ingerir, contém micro-organismos e pode prejudicar o estômago.

Qual o melhor tipo

Existem diversas opções de enxaguantes bucais, com diferentes princípios ativos e modos de ação e eficácia. Os principais incluem:

  • Com álcool: o álcool é um componente utilizado para a diluição dos produtos do enxaguante bucal e devem ser seguros para o consumo. Entretanto, é preferível que este tipo de enxaguante seja evitado, pois causa agressões à mucosa oral e desgaste do esmalte dentário, além de poder desequilibrar o pH bucal, o que pode deixar os dentes amarelos e ressecar a língua;
  • Sem álcool: opções de enxaguantes sem álcool utilizam outros tipos de produtos para a diluição dos princípios ativos, que não ardem, ou maltratam a boca, podendo ser usados com uma maior segurança;
  • Com flúor: os produtos fluoretados são ideais para as pessoas com cáries, devendo ser utilizados 1 vez ao dia para combater a proliferação das bactérias, sendo também úteis para diminuir a sensibilidade nos dentes das pessoas com este problema;
  • Antisséptico, como o gluconato de Clorexidina: o enxaguante antisséptico é os mais indicados para quem tem mau hálito, já que é capaz de eliminar as bactérias que causam o cheiro desagradável na boca. Também são ideais para quem fez ou ainda fará uma cirurgia, pois reduz os riscos de se contrair uma infecção. Entretanto, este tipo de antisséptico deve ser usado por apenas 1 semana, conforme indicação do dentista, pois como é potente, pode causar danos e manchas nos dentes.

Assim, para a escolha do enxaguante bucal ideal e saber como usar, é importante buscar a avaliação do dentista, que poderá indicar o melhor tipo, a quantidade de uso diário e por quanto tempo porque na maior parte das vezes não há necessidade de uso diário de enxaguante bucal. 

Enxaguante bucal - tipos, como e quando usar

Cuidados para um melhor efeito 

Algumas dicas para que o enxaguante bucal funcione bem e não cause efeitos indesejados, incluem:

  • Usar à noite, preferivelmente, após higiene bucal com escova e fio dental, para um efeito mais duradouro. Apesar de algumas pessoas usarem 2 vezes ao dia, usar apenas 1 vez ao dia é suficiente para higiene bucal adequada;
  • Fazer o uso do fio dental e escovação correta dos dentes, pois apenas o uso de enxaguante não é suficiente para eliminar bactérias e impurezas. Confira quais são os passos para escovar os dentes corretamente;
  • Não diluir o produto com água, pois apesar de ser uma estratégia usada por algumas pessoas para diminuir o ardor do enxaguante, altera e diminui o efeito dos princípios ativos;
  • Pessoas que fizeram clareamento dental devem preferir enxaguantes transparentes e sem corantes, evitando que surjam manchas;
  • Para crianças, o enxaguante bucal deve ser sem álcool e sem flúor, mas qualquer tipo está contra-indicado antes dos 3 anos de idade.

Pessoas que têm diabetes devem usar o enxaguante bucal apenas 1 vez ao dia, antes de ir dormir, porque o uso em maiores quantidades pode favorecer a boca seca, um sintoma comum nestas pessoas mas que pode se agravar devido ao uso do enxaguante bucal. O uso do enxaguante bucal é particularmente indicado se tiver com cáries, placa bacteriana, gengivite ou se tiver realizado algum procedimento dentário como extração do dente ou cirurgia na boca, porque pode acelerar a cicatrização e a recuperação completa. 

Como fazer enxaguante bucal caseiro

Se o intuito é manter um hálito fresco e agradável, é possível utilizar opções naturais de enxaguantes bucais, preparados em casa, para uma menor exposição a produtos químicos. Assim, é possível fazer bochechos diários com:

Ingredientes

  • 20 gotas de própolis
  • 1 copo de água morna

Modo de preparo

Diluir o própolis na água morna e usar para bochechar 2 a 3 vezes por dia. Confira outras receitas naturais em: Remédios caseiros para gengivite.

Confira algumas das receitas naturais e descubra como a alimentação pode ajudar no combate ao mau hálito, neste vídeo preparado pela nossa nutricionista:

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem