Polução noturna: o que é e porque acontece

A polução noturna, conhecida popularmente como ejaculação noturna ou "sonhos molhados", é a saída involuntária de esperma durante o sono, no caso dos homens, e de secreções vaginais, no caso das mulheres, podendo ser acompanhado ou não por sonhos eróticos e, no caso das mulheres, pode não haver orgasmo.

Essa situação é considerada normal e comum de acontecer na adolescência e adultos jovens, principalmente quando não possuem vida sexual ativa, mas também pode acontecer em pessoas de qualquer idade que está há muitos dias sem ter relação sexual.

Devido ao fato de ser uma situação considerada e comum, não é necessário realizar tratamento, no entanto para diminuir o número de episódios de polução noturna, pode ser aconselhado ter relações sexuais seguras mais frequentes, por exemplo.

Polução noturna: o que é e porque acontece

Principais causas

A polução noturna parece estar relacionada com a abstinência sexual prolongada, fadiga, sonhos eróticos, cansaço excessivo, aperto no prepúcio ou até mesmo uma inflamação da próstata, e acontece durante a fase REM do sono, em que a atividade nervosa é mais intensa, podendo resultar em excitação e ejaculação. Saiba mais sobre o que acontece na fase REM do sono.

Na adolescência é muito comum os homens sofrerem desta polução noturna, pois têm os níveis de testosterona no organismo muito elevados, o que provoca um aumento da produção de esperma e, consequentemente, necessidade de liberar o excesso do corpo.

No caso das mulheres, apesar de pouco frequente, é possível haver casos de polução noturna, no entanto as causas ainda não são muito bem esclarecidas. Nesse caso, é possível que exista liberação de fluidos vaginais durante o sono, no entanto isso não necessariamente indica que houve orgasmo, pode ser apenas sinal de que houve excitação, o que pode ter sido acompanhado ou não por sonhos eróticos.

Episódios frequentes da saída involuntária de esperma ou lubrificação vaginal durante o sono podem ser prejudiciais à saúde porque em alguns casos pode resultar em:

  • Depressão;
  • Baixa concentração;
  • Falta de apetite sexual;
  • Aumento da vontade de urinar.

Nestes casos, é aconselhado consultar um pediatra, urologista ou ginecologista, de acordo com a idade, para avaliar a situação e verificar se não existem outras doenças associadas.

Como é feito o tratamento

Geralmente não é indicado qualquer tipo de tratamento específico para a polução noturna, já que é considerada uma situação normal. No entanto, o aumento da atividade sexual, assim como da masturbação, pode ajudar a reduzir o número de episódios.

Além disso, aumentar o consumo de alho, cebola ou gengibre e bebendo sucos de frutas, como abacaxi ou ameixa, também parece melhorar a circulação sanguínea, diminuindo os episódios de polução noturna.

No entanto, nos casos em que a polução noturna interfere diretamente na qualidade de vida da pessoa, é importante consultar um sexólogo ou psicólogo para que essas questões possam ser trabalhadas e possa haver diminuição dos episódios de polução.

Esta informação foi útil?
Mais sobre este assunto: