Dor no cotovelo: 7 principais causas e o que fazer

outubro 2022

​A dor no cotovelo pode ser causada, principalmente, pela prática de musculação ou outros esportes com os braços, como crossfit, tênis ou golfe, por exemplo. No entanto, a dor no cotovelo pode também acontecer devido à artrite, bursite, compressão do nervo ulnar ou fratura do braço.

De forma geral, a dor no cotovelo não indica um problema grave, mas pode provocar grande desconforto porque o cotovelo é uma articulação utilizada em quase todos os movimentos do braço e da mão.

É importante que o ortopedista seja consultado para que seja feita uma avaliação e indicados exames que ajudem a identificar a causa da dor no cotovelo e, assim, ser possível iniciar o tratamento mais adequado, o que pode envolver o repouso, uso de medicamentos e fisioterapia.

Principais causas

As principais causas de dor no cotovelo são:

1. Prática de atividade física

A prática de atividade física, como crossfit e musculação, por exemplo, podem causar dor no cotovelo devido ao uso a articulação na realização dos exercícios.

O que fazer: normalmente não é necessário realizar tratamento específico, já que é considerado comum. Porém, caso a dor seja persistente e limite a realização dos movimentos, é importante que o ortopedista seja consultado para que seja feita uma avaliação do cotovelo e, assim, seja possível indicar maneiras para aliviar a dor.

2. Epicondilite

A epicondilite é a inflamação dos tendões do cotovelo, que pode ser lateral, sendo chamada de cotovelo de tenista, ou medial, recebendo o nome de cotovelo de golfista. Em caso de epicondilite, a dor acontece ao fazer movimentos com o braço e piora quando se tenta esticar ou flexionar o braço, além de haver maior sensibilidade na região.

O que fazer: para aliviar a dor no cotovelo em caso de epicondilite, é importante consultar o ortopedista para que seja feita uma avaliação do grau da inflamação. De forma geral, pode ser recomendado ficar de repouso, colocar compressas de gelo na região, tomar remédios anestésicos, como o Paracetamol, e fazer fisioterapia. Veja mais detalhes do tratamento para epicondilite.

3. Bursite no cotovelo

A bursite é uma inflamação do tecido que serve de "amortecedor" da articulação, a dor afeta a parte de trás do cotovelo surgindo quando o cotovelo é colocado frequentemente sobre superfícies duras, como mesas, por exemplo, e, por isso, é muito comum em estudantes, pessoas com artrite reumatoide ou gota.

O que fazer: no caso da bursite, o ortopedista pode indicar que a pessoa fique em repouso, aplique compressas geladas, tome anti-inflamatórios, como o Ibuprofeno e/ou faça sessões de fisioterapia.

4. Artrite no cotovelo

A artrite no cotovelo é o desgaste e inflamação da articulação do cotovelo que gera dor e inchaço na região, sendo mais comum pacientes idosos. Saiba reconhecer os sintomas de artrite.

O que fazer: em caso de artrite, é importante seguir as orientações do ortopedista, que normalmente indica o uso de medicamentos anti-inflamatórios, além da realização de sessões de fisioterapia.

5. Fratura do braço

A fratura no braço pode também ter como um dos sintomas a dor no cotovelo, além de dificuldade para realizar movimentos, inchaço no local da fratura e deformidade no local, por exemplo. Veja como identificar uma fratura.

A fratura pode acontecer após fortes impactos, como acidentes, quedas ou pancadas que quebram uma região do osso próxima do cotovelo, podendo afetar ainda o braço ou antebraço.

O que fazer: na suspeita de fratura, é fundamental que a pessoa vá ao pronto-socorro mais próximo para que seja feito um raio-X para avaliar a gravidade da fratura e seja feita a imobilização. Além disso, o ortopedista pode indicar o uso de medicamentos analgésicos para aliviar a dor. Dependendo da gravidade da fratura, pode ser também indicada a realização de cirurgia e/ ou fisioterapia.

6. Compressão do nervo ulnar

A compressão do nervo ulnar pode ter como sintomas formigamento do braço, do dedo anelar ou mindinho, falta de força muscular e nos movimentos de dobrar ou abrir estes dedos, além da dor no cotovelo, sendo mais comum de acontecer após cirurgias ortopédicas.

O que fazer: é recomendado consultar o ortopedista para avaliar o grau de compressão do nervo e, assim, ser iniciado o tratamento mais adequado, que pode envolver a realização de sessões de fisioterapia ou cirurgia para reposicionar o nervo, dependendo da gravidade do caso.

7. Plica sinovial

A plica sinovial é uma dobra normal que existe dentro da cápsula que forma a articulação do cotovelo, quando ela aumenta de espessura pode causar dor na região atrás do cotovelo, podem ser ouvidos estalos ou dobrar ou esticar o braço, a dor surge ao dobrar e esticar o braço com a mão virada para baixo. A ressonância magnética é o único exame que pode mostrar o aumento da plica, que não deve ser maior que 3 mm.

O que fazer: nesse caso, o ortopedista indica a aplicação de pomada com efeito anti-inflamatório, a fisioterapia é recomendada.

Quando procurar o médico

É aconselhado procurar um médico quando a dor no cotovelo surge de forma repentina com aperto no peito ou quando:

  • A dor surgir acompanhada de febre;
  • O inchaço e a dor aumentam constantemente;
  • A dor surge mesmo quando não se está utilizando o braço;
  • A dor não passa mesmo tomando analgésico e ficando de repouso.

Nestes casos é recomendado consultar um ortopedista para que ele peça exames e indique a causa, assim como o melhor tratamento para o caso.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em outubro de 2022. Revisão clínica por Marcelle Pinheiro - Fisioterapeuta, em outubro de 2022.

Bibliografia

  • AMERICAN ACADEMY OF ORTHOPAEDIC SURGEONS. Fractures (Broken Bones). Disponível em: <https://orthoinfo.aaos.org/en/diseases--conditions/fractures-broken-bones/>. Acesso em 12 set 2022
  • KULKARNI, G. S. et al. Textbook of ORTHOPEDICS AND TRAUMA. 3.ed. New Delhi, India: Jaypee Brothers Medical Publishers (P) Ltd, 2016. 758-768.
Mostrar bibliografia completa
  • DUNCAN, J.; et al. Lateral epicondylitis: the condition and current management strategies. Br J Hosp Med (Lond). 80. 11; 647-651, 2019
  • MA, K. L.; WANG, H. Q. Management of Lateral Epicondylitis: A Narrative Literature Review. Pain Res Manag. 2020. 6965381, 2020
  • LECH, Osvandré; PILUSKI, Paulo César F.; SEVERO, Antônio L. Epicondilite lateral do cotovelo. Rev Bras Ortop. Vol 38. 8 ed;
  • COHEN, Márcio; FILHO, Geraldo R. M. Epicondilite lateral do cotovelo. Rev Bras Ortop. Vol 47. 4 ed; 414-420,
  • MATHIAS, Roger N. et al. Compressão do nervo ulnar na região do cotovelo. Arq Bras Neurocir. Vol.34. 128-133, 2015
  • AMERICAN ACADEMY OF ORTHOPAEDIC SURGEONS. Ulnar Nerve Entrapment at the Elbow (Cubital Tunnel Syndrome). 2019. Disponível em: <https://orthoinfo.aaos.org/en/diseases--conditions/ulnar-nerve-entrapment-at-the-elbow-cubital-tunnel-syndrome>. Acesso em 21 nov 2019
  • MOTTA, Geraldo; BARROS, Tarcísio. Ortopedia e traumatologia. 1.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2018. 174-176.
  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA. Lesões do Plexo Braquial . 2018. Disponível em: <http://www.ufjf.br/anatomia/files/2014/07/Lesoes-do-Plexo-Braquial.pdf>. Acesso em 21 nov 2019
  • SAHU, Ramji L. Liberação percutânea do cotovelo de golfista sob anestesia local: um estudo prospectivo. Revista Brasileira de Ortopedia. Vol 52. 3 ed; 315-318, 2017
  • LONGO, Dan L. et al.. Medicina interna de Harrison. 18.ed. São Paulo: AMGH Editora, 2013. 2860.
Revisão clínica:
Marcelle Pinheiro
Fisioterapeuta
Formada em Fisioterapia pela UNESA em 2006 com registro profissional no CREFITO- 2 nº. 170751 - F e especialista em dermatofuncional.