Dor na testa: o que pode ser e o que fazer

Revisão médica: Dr. Gonzalo Ramirez
Clínico Geral e Psicólogo
junho 2022

A dor na testa é comum de acontecer em caso de gripe, resfriado e sinusite, já que devido à inflamação das vias nasais, acontece um aumento da pressão em volta dos olhos e nariz, resultando na dor. Além disso, a dor de cabeça na testa pode também ter origem tensional, ou seja, pode ser desencadeada por estresse excessivo, cansaço, má postura ou ansiedade, por exemplo.

No entanto, a dor na testa pode ser também um sinal de vista cansada ou de pressão alta, que são situações que devem ser tratadas de acordo com a orientação do médico.

Assim, caso a dor na testa seja frequente, é importante consultar o clinico geral ou neurologista para que seja avaliada e identificada a possível causa da dor e, assim, iniciar o tratamento mais adequado.

1. Gripe e resfriado

A gripe e o resfriado são situações em que a pessoa pode sentir dor na testa, o que acontece devido à inflamação das vias nasais, resultando na dor. A dor de cabeça na testa em caso de gripe e resfriado é normalmente acompanhada por outros sintomas, como sensação de mal estar geral, coriza, tosse e fraqueza, por exemplo.

O que fazer: nesses casos, é importante ficar em repouso, podendo ser também recomendado o uso de analgésicos, como o Paracetamol, para ajudar a aliviar a dor e o desconforto mais rapidamente.

2. Sinusite

A sinusite é a inflamação dos seios nasais que provoca sintomas como dor de cabeça e sensação de peso no rosto, principalmente na região da testa e das maçãs do rosto, que é onde se localizam os seios nasais. Além disso, podem também ocorrer sintomas como dor de garganta, nariz, dificuldade para respirar, mau hálito, perda do olfato e coriza. Saiba reconhecer os sintomas de sinusite.

O que fazer: em caso de sinusite, o tratamento consiste na aplicação de sprays nasais com corticoides, que ajudam a aliviar a sensação de nariz entupido, analgésicos e descongestionantes, que ajudam a aliviar a dor e a sensação de pressão no rosto, combatendo a dor na testa. Caso seja confirmado que a sinusite é causada por uma infecção por bactérias, o médico pode também indicar o uso de antibióticos. Veja como é feito o tratamento para sinusite.

3. Enxaqueca

A enxaqueca provoca sintomas como dor de cabeça forte, constante e pulsante que pode ocorrer apenas do lado direito ou esquerdo e irradiar para a testa e nuca, podendo durar cerca de 3 horas, mas em casos mais graves pode permanecer durante 72 horas. Além disso, podem ainda ocorrer sintomas como vômitos, tonturas, enjoo, visão turva e sensibilidade à luz e ruído, sensibilidade a cheiros e dificuldade na concentração.

O que fazer: caso a enxaqueca seja constante, é recomendado que a pessoa vá à emergência para que seja feita uma avaliação e possa ser indicado o melhor tratamento. Na maioria dos casos, o tratamento para enxaqueca recomendado pelo médico envolve o uso de remédios como Zomig (zolmitriptano) ou Enxak, por exemplo, que ajudam a aliviar a dor.

Caso a enxaqueca seja acompanhada por náuseas e vômitos intensos, pode ser necessário tomar metoclopramida ou droperidol, que aliviam estes sintomas. Entenda como é feito o tratamento para enxaqueca.

4. Dor de cabeça tensional

A dor de cabeça tensional é geralmente causada pela rigidez dos músculos do pescoço, das costas e do couro cabeludo, que pode ser causado por fatores como má postura, estresse, ansiedade ou cansaço.

Geralmente, os sintomas associados a uma dor de cabeça tensional são pressão na cabeça, dor que afeta os lados da cabeça e a testa e sensibilidade excessiva nos ombros, pescoço e couro cabeludo.

O que fazer: para aliviar este tipo de dor, a pessoa deve tentar relaxar, fazendo uma massagem no couro cabeludo ou tomando um banho quente e relaxante. Em alguns casos, a psicoterapia, a terapia comportamental e técnicas de relaxamento, podem também ajudar na prevenção da dor de cabeça tensional.

No entanto, se a dor de cabeça não melhorar pode ser necessário tomar analgésicos ou anti-inflamatórios como o paracetamol, ibuprofeno ou aspirina, por exemplo. Veja outras formas de aliviar a dor de cabeça tensional.

5. Vista cansada

Forçar muito os olhos ao longo do dia no computador, no celular ou lendo por muitas horas seguidas podem causar dor nos olhos e na parte da frente da cabeça, podendo essa dor ser irradiada para a testa em cima dos olhos e causar também alguma tensão muscular no pescoço. Podem ainda surgir sintomas, como lacrimejamento dos olhos, visão embaçada, coceira e vermelhidão.

Além da vista cansada, outras condições como glaucoma ou celulite ocular podem também causar dor na parte da frente da cabeça.

O que fazer: para evitar a vista cansada, deve-se reduzir o uso do computador, televisão e celular e preferir a luz amarelada, que é mais parecida com a luz do sol e não agride os olhos. Para pessoas que trabalham muito tempo ao computador, devem adotar uma postura com uma distância adequada, e pode ajudar olhar para um ponto distante a cada hora e piscar várias vezes os olhos, já que quando se está à frente do computador, há uma tendência natural de piscar menos.

Além disso, o uso de lágrimas artificiais também pode ajudar, assim como exercícios e massagens para melhorar os sintomas associados à vista cansada. Veja como fazer massagens e exercícios para vista cansada.

6. Pressão alta

Quando a pressão está muito alta, é possível que se sinta dor de cabeça na região da testa, que pode ser acompanhada por outros sintomas como visão dupla ou embaçada, sonolência, dor na nuca e aumento dos batimentos cardíacos. Saiba reconhecer os sintomas de pressão alta.

O que fazer: é importante que o tratamento indicado pelo cardiologista seja seguido, que normalmente envolve o uso de remédios para controlar a pressão. Além disso, é importante manter uma alimentação saudável e equilibrada, com pouco sal, e praticar atividade física regularmente.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em junho de 2022. Revisão médica por Dr. Gonzalo Ramirez - Clínico Geral e Psicólogo, em junho de 2022.
Revisão médica:
Dr. Gonzalo Ramirez
Clínico Geral e Psicólogo
Clínico geral pela UPAEP com cédula profissional nº 12420918 e licenciado em Psicologia Clínica pela UDLAP nº 10101998.