Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Cefaleia em salvas: o que é, sintomas e tratamento

A cefaleia em salvas é uma situação bastante desconfortável e que é caracterizada por dor de cabeça intensa, que surgem em crises, e que acontece apenas em um lado, havendo também dor atrás e ao redor do olho no mesmo lado da dor, corrimento nasal e incapacidade de fazer qualquer outra atividade, uma vez que a dor é bastante forte. 

A cefaleia em salvas não tem cura, no entanto o tratamento indicado pelo neurologista tem como objetivo aliviar os sintomas e diminuir a frequência das crises, podendo ser necessário o uso de alguns medicamentos como anti-inflamatórios não esteroides, opioides e, em alguns casos, uso de uma máscara de oxigênio.

Cefaleia em salvas: o que é, sintomas e tratamento

Sintomas da cefaleia em salvas

Os sintomas da cefaleia em salvas são bastante desconfortáveis, podendo a pessoa ter episódios de dor de cabeça intensa 2 a 3 vezes por dia por cerca de 15 a 20 dias. Além disso, é comum que pelo menos um desses episódios aconteçam durante a madrugada, normalmente 1 a 2 horas depois de adormecer. Outros sinais sintomas que são normalmente indicativos de cefaleia em salva são:

  • Dor latejante apenas em um lado da cabeça;
  • Olho vermelho e lacrimejando no mesmo lado da dor de cabeça;
  • Dor por trás e ao redor do olho;
  • Inchaço do rosto do lado da dor;
  • Dificuldade para abrir completamente o olho no lado da dor;
  • Corrimento nasal;
  • Dor de cabeça que dura entre 15 minutos e 3 horas, sendo mais comum de durar até 40 minutos;
  • Incapacidade de realizar qualquer atividade devido à dor de cabeça intensa;
  • A dor não é influenciada pela luminosidade ou alimentação;
  • Desconforto na região afetada após diminuição da dor.

Não se sabe quando a crise irá acabar, mas algumas pessoas relatam que as dores de cabeça começam a ser mais espaçadas, havendo menos episódios por dia, até que desaparece completamente, retornando somente meses ou anos depois. Além disso, não é possível saber o que pode desencadear uma nova crise após meses de intervalo.

Assim, o médico pode fazer o diagnóstico da cefaleia em salvas por meio da observação dos sintomas apresentados pela pessoa, além de também poder ser recomendada a realização de ressonância magnética, por exemplo, para verificar se há alguma alteração cerebral. Na ausência de alterações, é normalmente considerado que a pessoa tem cefaleia em salvas. No entanto, o diagnóstico é demorado e é feito pelo neurologista, após meses ou anos e, por isso, é comum que nem todos os pacientes sejam diagnosticados na sua primeira crise de cefaleia em salvas.

Principais causas

Na maioria dos pacientes o estresse e o cansaço estão relacionados com o aparecimento das crises, mas não existe comprovação científica deste fato. A idade em que este tipo de enxaqueca começa a se manifestar encontra-se entre os 20 e os 40 anos, e apesar da causa ser desconhecida, a maioria dos pacientes são homens.

Acredita-se que as causas da cefaleia em salvas estejam relacionadas ao mal funcionamento do hipotálamo, porque ela parece estar relacionada ao ciclo circadiano, que regula o tempo de sono e vigília, mas apesar disso, sua cura ainda não foi encontrada e suas causas não são totalmente conhecidas.

Cefaleia em salvas: o que é, sintomas e tratamento

Como é feito o tratamento

O tratamento para cefaleia em salvas deve ser orientado pelo neurologista e tem como objetivo diminuir a intensidade da dor e fazer com que a crise dure menos tempo. Assim, o médico pode indicar o uso de anti-inflamatórios não esteroides,triptanos, ergotamina, opioides e uso de uma máscara de oxigênio a 100% nos momentos de crise.

Como as crises são mais comuns à noite, uma boa dica é o indivíduo ter um balão de oxigênio em casa, quando se iniciar um período de crise. Assim, as dores diminuem consideravelmente tornando-se mais suportável. Tomar 10 mg de melatonina antes de dormir também pode aliviar os sintomas e diminuir o risco de um crise.

Além disso o paciente não pode tomar nenhuma bebida alcoólica, nem fumar porque estes podem desencadear um episódio de dor de cabeça imediatamente. No entanto, fora do período de crises a pessoa pode consumir bebidas alcoólicas socialmente porque elas não irão desencadear um novo período de crise.

Possíveis efeitos colaterais

Apesar dos benefícios que trazem no alívio da dor os medicamentos receitados para cefaleia em salvas podem ter como efeitos colaterais náuseas, tonturas, sensação de fraqueza, vermelhidão na face, calor na cabeça, dormência e formigamentos pelo corpo, por exemplo.

Entretanto, o uso das máscaras de oxigênio durante 15 a 20 minutos, com o paciente sentado e inclinado para frente traz alívio rápido da dor entre 5 e 10 minutos e não tem efeitos colaterais quando o paciente não possui doenças respiratórias associadas.

Os analgésicos comuns como Paracetamol não fazem nenhum efeito no alívio da dor, mas colocar os pés de molho num balde com água quente e colocar compressas com gelo na face pode ser uma boa solução caseira porque isto diminui o calibre dos vasos sanguíneos cerebrais, sendo muito útil no combate à dor.

Bibliografia >

  • SANVITO, W.L.;MONZILLO, P.H.. O livro das cefaléias. São Paulo: Atheneu, 2001. p. 63-71.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.


Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem