Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Dor na costela: o que pode ser e o que fazer

A dor na costela é pouco comum e normalmente está relacionada com pancadas na região do peito ou das costelas, que podem surgir devido a acidentes de trânsito ou a impactos ao praticar alguns esportes mais violentos, como Muay Thai, MMA ou Rugby, por exemplo.

No entanto, a dor nas costelas também pode ser sinal de um problema respiratório e, nos casos mais graves, pode indicar câncer ou até infarto. Assim, sempre que a dor é muito intensa ou demora mais de 2 dias para aliviar, é aconselhado ir no clínico geral para identificar a causa e iniciar o tratamento mais adequado.

Dor na costela: o que pode ser e o que fazer

1. Pancada nas costelas

Esta é a principal causa de dor nas costelas que, normalmente, acontece devido a quedas, acidentes de trânsito ou à prática de esportes, resultando em dor constante nas costelas, manchas roxas e dificuldade para movimentar o tronco. Na maioria dos casos, as pancadas são leves e causam apenas um estiramento nos músculos, mas existem outras situações em que podem surgir fraturas.

  • O que fazer: é aconselhado manter o repouso para permitir que os músculos se recuperem, no entanto, também se pode aplicar compressas geladas sobre o local afetado, especialmente se surgirem manchas roxas no local. Caso a dor seja muito intensa e impeça a respiração ou caso existe suspeita de fratura é muito importante ir ao hospital, para fazer um raio X e iniciar o tratamento. Veja quando usar as compressas quentes ou frias para aliviar a dor.

2. Costocondrite

A costocondrite é a causa mais frequente de dor na costela quando não existe uma causa específica, como uma pancada no peito, por exemplo. Ela acontece devido à inflamação das cartilagens que ligam as costelas superiores ao osso do esterno e, por isso, é comum sentir intensa sensibilidade na região entre os mamilos, especialmente ao fazer pressão sobre a região. Veja todos os sintomas da costocondrite

  • O que fazer: em muitos casos os sintomas melhoram após 2 ou 3 dias apenas com descanso e aplicação de compressas quentes na região, mas também pode ser necessário tomar analgésicos, como Naproxeno ou anti-inflamatórios, como o Ibuprofeno, preferencialmente receitados pelo clínico geral.

3. Pleurisia

A pleurisia é um problema inflamatório que afeta a pleura, uma fina camada de tecido que reveste os pulmões e o interior da região torácica. Nestes casos, é comum que a dor seja mais intensa ao inspirar, pois é quando o pulmão se enche de ar e o tecido inflamado raspa nos órgãos em volta.

  • O que fazer: é importante ir ao hospital para iniciar o tratamento com antibióticos diretamente na veia e aliviar a inflamação. Além disso, pode ainda ser preciso fazer fisioterapia respiratória por até 2 semanas.
Dor na costela: o que pode ser e o que fazer

4. Fibromialgia

A fibromilagia é um tipo de dor crônica que pode afetar diferentes partes do corpo, mas que ainda não tem uma causa específica, podendo surgir em qualquer idade, especialmente entre os 30 e os 60 anos. Normalmente, a dor é atribuída à fibromialgia quando todos os exames são feitos e não é possível identificar outra causa para a dor na costela.

  • O que fazer: não existe uma forma específica de tratar a fibromialgia, no entanto, algumas técnicas como fazer acupuntura, fisioterapia ou investir em uma alimentação mais rica em ômega 3 pode ajudar a melhorar a qualidade de vida. Veja as principais formas de tratamento da fibromialgia.

5. Embolia pulmonar

A embolia pulmonar, embora seja rara, é uma situação grave que acontece quando uma artéria do pulmão fica bloqueada por um coágulo, podendo causar lesões sérias, com sintomas como dor forte ao respirar, falta de ar, respiração rápida, tosse com sangue e suor excessivo. Entenda melhor como identificar uma embolia pulmonar.

  • O que fazer: se existir suspeita de embolia pulmonar é importante ir rapidamente ao hospital, pois o tratamento precisa ser iniciado para retirar o coágulo do pulmão e permitir que o sangue volte a passar livremente.

6. Câncer pulmonar

Embora seja a causa mais rara, o surgimento de uma dor na região do peito junto das costelas também pode ser um sinal de câncer no pulmão. Nesses casos, a dor é mais intensa ao respirar fundo e podem também surgir outros sinais como chiado ao respirar, tosse com sangue, dor nas costas e emagrecimento sem causa aparente. Veja outros sintomas de câncer pulmonar.

  • O que fazer: o tratamento para câncer deve ser iniciado o mais cedo possível para garantir as melhores chances de cura, assim se existir suspeita de câncer é muito importante marcar uma consulta no pneumologista.
Mais sobre este assunto:


Carregando
...