Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Doença celíaca: o que é, sintomas, diagnóstico e tratamento

Revisão clínica: Tatiana Zanin
Nutricionista
outubro 2022
  1. Sintomas
  2. Diagnóstico
  3. Causas
  4. Tratamento

A doença celíaca é uma doença autoimune crônica caracterizada pela intolerância permanente ao glúten, que é a proteína presente no centeio, trigo, malte e cevada, provocando uma resposta do sistema imunológico capaz de causar inflamações e lesões no intestino.

A doença celíaca é causada por alterações genéticas, podendo surgir tanto em crianças como adultos e inclui sintomas como diarreia, dor de cabeça, barriga inchada, irritabilidade, cansaço e perda de peso.

O diagnóstico da doença celíaca deve ser feito por um clínico geral, ou gastroenterologista, que vai avaliar os sinais e sintomas apresentados pela pessoa, e solicitar exames para confirmar o diagnóstico, como teste genético, endoscopia e exame de sangue.

Imagem ilustrativa número 1

Principais sintomas da doença celíaca

De acordo com a Organização Mundial de Gastroenterologia, os sintomas da doença celíaca variam de acordo com o tipo dessa doença:

1. Doença celíaca clássica

A doença celíaca clássica está relacionada com a má absorção intestinal e os sintomas variam de acordo com a idade da pessoa, como:

  • Crianças: atraso no desenvolvimento e crescimento, perda de peso, vômitos  diarreia crônica, barriga inchada, anemia ferropriva, irritabilidade e desconforto;
  • Adultos: diarreia crônica, perda de peso, anemia ferropriva, barriga inchada,  mal-estar, cansaço e osteoporose.

2. Doença celíaca não clássica

Neste tipo de doença celíaca, crianças e adultos podem ter sintomas gastrointestinais sem apresentarem má absorção intestinal ou ainda podem ter sintomas não relacionados com o intestino, incluindo:

  • Barriga inchada;
  • Dor abdominal;
  • Crise celíaca, que inclui diarreia aquosa, barriga inchada, desidratação e hipotensão;
  • Cansaço crônico e falta de energia;
  • Prisão de ventre;
  • Enxaqueca crônica;
  • Alterações na pele, como vermelhidão, dermatite herpetiforme, feridas e psoríase;
  • Neuropatia periférica;
  • Perda da densidade óssea;
  • Infertilidade;
  • Atraso da puberdade;
  • Menstruação tardia ou menopausa precoce;
  • Defeitos no esmalte dos dentes;
  • Dispepsia;
  • Saciedade precoce ou perda do apetite;
  • Depressão, ansiedade, mau humor e irritabilidade.

Além disso, esse tipo de doença celíaca também pode causar aborto espontâneo, parto prematuro ou recém-nascido pequeno para a idade gestacional.

Já na doença celíaca assintomática, as pessoas não apresentam sintomas, apesar de apresentarem lesões no intestino.

Diferença entre intolerância ao glúten e doença celíaca

A intolerância ao glúten, também conhecida como sensibilidade ao glúten ou sensibilidade ao glúten não celíaca, é a incapacidade ou dificuldade de digestão do glúten, que provoca sintomas como diarreia, dor e inchaço abdominal. No entanto, na intolerância ao glúten a pessoa não possui alergias ou alterações autoimunes e as lesões no intestino diminuem com a exclusão do glúten da dieta.

Já a doença celíaca é uma resposta do sistema imunológico ao glúten que causa inflamação e lesões permanentes no intestino. Embora os sintomas da doença celíaca sejam parecidos com os da intolerância ao glúten, esta condição provoca danos irreversíveis no intestino, mesmo após a retirada do glúten da dieta.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da doença celíaca é feito pelo clínico geral ou gastroenterologista através da avaliação dos sintomas e sinais apresentados pela pessoa e do histórico familiar, já que a doença celíaca tem causa principalmente genética.

Além da avaliação clínica, o médico poderá solicitar a realização de alguns exames e testes, como exame de urina, fezes e sangue, para verificar os níveis de anticorpos; teste genético; e endoscopia com biópsia do intestino, o exame onde se consegue avaliar a estrutura do intestino e verificar qualquer sinal que indique doença celíaca.

Quando os testes e exames iniciais são inconclusivos, o médico também pode recomendar a exclusão do glúten da dieta e solicitar, em seguida, uma segunda biópsia do intestino.

Veja, no vídeo a seguir, outras formas de se diagnosticar a doença celíaca:

Principais causas

Apesar de ainda não se saber exatamente a causa da doença celíaca, acredita-se que essa doença seja causada por uma alteração genética herdada dos pais ou familiares que causa a reação do sistema imunológico, provocando inflamação, danos no intestino e dificultando a absorção de nutrientes.

Como é feito o tratamento

A doença celíaca não tem cura e, por isso, o tratamento deve ser feito durante toda a vida, principalmente excluindo-se os alimentos e remédios que contêm glúten, ajudando, assim, a melhorar a qualidade de vida da pessoa, além de evitar os sintomas dessa doença.

1. Alimentação

É fundamental excluir da dieta o trigo, o centeio, o malte e a cevada e os produtos preparados com esses cereais, como pães, massas, cerveja, bolos e biscoitos, por exemplo. Veja outros alimentos com glúten que devem ser excluídos da dieta.

A aveia pode ser incluída na dieta, no entanto, é fundamental verificar se o fabricante possui o selo de certificação de isenção de glúten deste produto.

A dieta também deve priorizar alimentos naturais ricos em ferro e folato, especialmente se a pessoa apresentar deficiência destes minerais. Além disso, é importante  sempre ler o rótulo dos produtos para verificar se o alimento contêm ou não glúten antes de consumí-lo.

É importante consultar um nutricionista especializado em dietas sem glúten, principalmente durante o primeiro ano após o diagnóstico da doença, para que seja elaborado um plano alimentar individualizado que previna a deficiência de nutrientes.

2. Suplementos

Como muitas pessoas com doença celíaca têm deficiência de fibras, ferro, cálcio, magnésio, zinco, folato, niacina, riboflavina, vitamina B12 e vitamina D, o uso de suplementos também pode ser recomendado pelo médico ou nutricionista.

3. Remédios

O uso de remédios para doença celíaca somente é indicado quando a pessoa não melhora  ou melhora temporariamente com a retirada do glúten da dieta.

Os remédios prescritos podem incluir esteroides, azatioprina, ciclosporina ou outros medicamentos usados para diminuir as reações inflamatórias ou imunológicas e devem ser usados somente sob a orientação do gastroenterologista.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Karla S. Leal - Nutricionista, em outubro de 2022. Revisão clínica por Tatiana Zanin - Nutricionista, em outubro de 2022.

Bibliografia

  • CELIAC DISEASE FOUNDATION. What is Celiac Disease?. Disponível em: <https://celiac.org/about-celiac-disease/what-is-celiac-disease/>. Acesso em 18 out 2022
  • WORLD GASTROENTEROLOGY ORGANISATION. World Gastroenterology Organisation Global Guidelines: doença celíaca. 2016. Disponível em: <https://www.worldgastroenterology.org/UserFiles/file/guidelines/celiac-disease-portuguese-2016.pdf>. Acesso em 18 out 2022
Mostrar bibliografia completa
  • PEDROSA, M, M. Deborah Evelyn et al. Doença Celíaca x Sensibilidade ao Glúten Não-Celíaca: Sintomas, Diagnóstico e Tratamento. Brazilian Journal of development. Vol.8. 3.ed; 16175-16194 , 2022
  • BVS. Doença Celíaca. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/doenca-celiaca/>. Acesso em 03 nov 2021
Revisão clínica:
Tatiana Zanin
Nutricionista
Formada pela Universidade Católica de Santos em 2001, com registro profissional no CRN-3 nº 15097.

Tuasaude no Youtube

  • 6 principais causas de DIARREIA CONSTANTE

    05:01 | 42331 visualizações
  • Como fazer DIETA SEM GLÚTEN

    05:04 | 365547 visualizações